Revisão sistemática sobre avaliação para identificação inicial de alunos com deficiência intelectual

Érika Rímoli Mota da Silva, Maria da Piedade Resende da Costa

Resumo


Tendo em vista que um dos serviços para atendimento dos alunos público alvo da educação especial, entre eles os alunos com deficiência intelectual (DI), são os Atendimentos Educacionais Especializados, realizados nas Salas de Recursos no contra turno das aulas regulares e que grande parte desses alunos é identificada num primeiro momento pelos professores (da sala comum ou da sala de recursos) surgiram algumas questões, as quais, para serem respondidas, a presente pesquisa teve por objetivo investigar as formas de identificação de alunos com DI, por meio de revisão sistemática de publicações científicas encontradas em bases de dados online no período de 2010 a 2017. A referida revisão foi realizada das publicações pertinentes, selecionadas de acordo com resultados provenientes de 10 combinações entre sete termos de pesquisa. A busca se deu nas bases de dados Lilacs e Portal de Periódicos da Capes. Após sistematização e análise do conteúdo das publicações e extração de informações referentes à forma de identificação deste público, realizou-se a categorização dos textos de acordo com as temáticas dos estudos encontrados. Constatou-se que as pesquisas não apresentam formas de avaliação objetivas, relatando-as superficialmente, mencionando em sua maioria critérios como os estabelecidos pela Associação Americana sobre Deficiência Intelectual e Desenvolvimento, questão que não ocorre apenas no Brasil, mas também em outros países da América Latina, segundo apontam os estudos realizados. Tendo em vista a escassez de resultados, ressalta-se a importância da realização de pesquisas que enfoquem a sistematização, padronização e divulgação das formas de avaliação das pessoas com DI.

Palavras-chave


Educação Especial; Deficiência intelectual; Identificação

Texto completo:

PDF

Referências


AAIDD. Intellectual disability: definition, classification and systems of supports. 11th ed. Washington (DC): American Association on Intellectual and Developmental Disabilities, 2010

ALARCÓN-LEIVA, Jorge; SEPÚLVEDA-DOTE, Maribel. La conducta adaptativa como criterio diagnóstico de discapacidad intelectual en estudiantes de Chile. Rev. latinoam. cienc. soc. niñez juv, Manizales, v. 12, n. 1, p. 187-199, jan. 2014. Disponível em: . Acesso em: 17 nov. 2017.

ALMEIDA, Maria Amélia; BOUERI, Iasmin Zanchi; POSTALLI, Lidia Maria Marson. A Escala de Intensidade de Suporte – SIS no Brasil. Journal of Research in Special Education Needs, v.16, 2016, p. 60–64.

BENITEZ, Priscila. et al. Evidência de validade do diagnóstico da leitura e escrita (DLE) em relação ao WISC-III em deficientes intelectuais. Bol. Psicol., São Paulo, v. 65, n. 142, p. 83-96, 2015. Disponível em . Acesso em: 07 nov. 2017.

BOY, Raquel. Abordagem diagnóstica de crianças com atraso do desenvolvimento e deficiência intelectual. Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto. v.15, n.2, 2016, p. 177-186.

BRASIL, Ministério da Educação e Cultura. Nota Técnica n.4 de 23 de janeiro de 2014. Orientação quanto a documentos comprobatórios de alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação no Censo Escolar. Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2017.

CAMPOS, Carolina Rosa; NAKANO, Tatiana de Cássia. Avaliação da inteligência de crianças deficientes visuais: proposta de instrumento, v. 34, n. 2, p. 406-419. Disponível em: . Acesso em: 07 nov. 2017.

CÁNOVAS, Rosa et al . Retraso mental y psicomotor en la primera infancia: Revisión de la literatura y propuesta de un protocolo de valoración neuropsicológica. Cuad. neuropsicol., Santiago, v. 4, n. 2, p. 162-185, 2010. Disponível em: . Acesso em: 07 nov 2017.

COSTA, A. B.; ZOLTOWSKI, A. C. Como escrever um artigo de revisão sistemática. In: S. H. KOLLER, M. C. P. COUTO; J. V. HOHENDORFF. Manual para produção científica. Porto Alegre: Penso, 2014, p.55-70.

FERREIRA, Elizângela Fernandes; VAN MUNSTER, Mey de Abreu. Métodos de avaliação do comportamento adaptativo em pessoas com deficiência intelectual: uma revisão de literatura. Revista Educação Especial, Santa Maria, p. 193-208, dez. 2014. ISSN 1984-686X. Disponível em: . Acesso em: 7 nov. 2017.

GARGHETTI, F. C.; MEDEIROS, J. G.; NUERNBERG, A. H. Breve história da deficiência intelectual. Revista Electrónica de Investigación y Docencia (REID), 10, Jul. 2013, p. 101-116. Disponível em: . Acesso em: 14 jan. 2017.

HOHENDORFF, J. V. Como escrever um artigo de revisão de literatura. In: S. H. KOLLER, M. C. P. COUTO; J. V. HOHENDORFF. Manual para produção científica. Porto Alegre: Penso, 2014, p.39-54.

LAZCANO-PONCE, Eduardo, et al. Trastornos del desarrollo intelectual en America Latina: un marco para establecer las prioridades politicas de investigacion y atencion. Revista Panamericana de Salud Publica, vol. 34, no. 3, 2013, p. 204-209. Disponível em: . Acesso em: 17 Nov. 2017.

LEVY, J. História da psicologia sem as partes chatas: tudo o que você sempre quis saber sobre o comportamento humano e nem Freud conseguiu explicar. Trad. Mário Molina. São Paulo: Cultrix, 2016, 150p.

MECCA, Tatiana Pontrelli. et al . Perfil de Habilidades Cognitivas Não-Verbais na Síndrome de Down. Revista brasileira de educação especial, Marília, v. 21, n. 2, 2015, p. 213-228. Disponível em: . Acesso em: 07 nov. 2017.

MILIAN, Queila Guise et al . Deficiência intelectual: doze anos de publicações na base SciELO. Rev. psicopedag., São Paulo, v. 30, n. 91, p. 64-73, 2013. Disponível em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

MONTERO, Delfín; LAGOS, Juan. Conducta adaptativa y discapacidad intelectual: 50 años de historia y su incipiente desarrollo en la educación en Chile. Estud. pedagóg., Valdivia , v. 37, n. 2, p. 345-361, 2011 . Disponível em: . Acesso em: 27 nov. 2017.

MOREIRA, L. M. A. Deficiência intelectual: conceitos e causas. In: Algumas abordagens da educação sexual na deficiência intelectual. 3rd ed. Salvador: EDUFBA, 2011, pp. 35-41. Bahia de todos collection. ISBN 978-85- 2321157-8.

OMS. Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde - CIF. Lisboa; 2004.

PAICHECO, Roseli et al. Inventário de Avaliação Pediátrica de Incapacidade (PEDI): aplicabilidade no diagnóstico de transtorno invasivo do desenvolvimento e retardo mental. Med. reabil; v. 29, n. 1, 2010, p. 09-12.

PEREIRA, Amanda Morão et al. Avaliação da memória em crianças e adolescentes com capacidade intelectual limítrofe e deficiência intelectual leve. Rev. psicopedag., São Paulo, v. 32, n. 99, p. 302-313, 2015. Disponível em: . Acesso em: 07 nov. 2017.

PRIMI, R. Inteligência: avanços nos Modelos teóricos e nos Instrumentos de Medida. Avaliação Psicológica (online), 2003, p.67-77.

SILVA, M. C. V. M. História dos testes psicológicos. São Paulo: Vetor, 1 ed., 2011, 122p.

SOUZA, Fernanda Santos; BATISTA, Cecília Guarnieri. Indicadores de Desenvolvimento em Crianças e Adolescentes com QI Igual ou Inferior a 70. Revista brasileira de educação especial, Marília, v. 22, n. 4, p. 493-510, 2016. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2017.

VELTRONE, Aline Aparecida; MENDES, Enicéia Gonçalves. Descrição das propostas do Ministério da Educação na avaliação da deficiência intelectual. Paidéia, Ribeirão Preto, v. 21, n. 50, p. 413-421, Dez. 2011. Disponível em: . Acesso em: 02 Mar. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1984686X31890

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOIhttp://dx.doi.org/10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

 

 

Periodicidade – Publicação contínua


O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________