Sobre a Revista

Foco e Escopo

A Revista Educação Especial (Journal of Special Education) da Universidade Federal de Santa Maria, publica apenas artigos originais, sendo relatos de pesquisa ou revisão de literatura, que contribuam para o campo da Educação Especial. Destina-se a estudantes, professores e pesquisadores em Educação. Os artigos devem atender a qualidade e contexto que o Conselho Editorial considera que seriam de interesse para um público nacional e internacional.

A publicação impressa começou em 1986 e foi encerrada em 2016. Atualmente, apenas a versão eletrônica está disponível. Publicamos aproximadamente 85 artigos por ano, em periodicidade de publicação contínua em volume único, com recebimento de fluxo contínuo de tema livre e também um Dossiê Temático anual. A revista tem o português (Brasil) como idioma principal e inglês ou espanhol como secundários. 

Tipos de trabalhos publicados: Artigos de demanda contínua, relatos de pesquisa, revisão de literatura ou estudos teóricos e Dossiês.

Missão

Objetivo

Ficha Catalográfica

Conflito de Interesses

Política de Plágio

https://ufsm.turnitin.com/ – é o software de verificação de originalidade e prevenção de plágio.

Processo de Avaliação pelos Pares

À comissão editorial reserva-se o direito de não publicar artigos de mesma autoria em interstícios inferiores a uma edição anual de demanda contínua. Além disso, recusa estudos que foram também submetidos simultaneamente a outros periódicos nacionais ou internacionais, bem como aqueles encaminhados para livros ou capítulos de livros.

O processo de submissão e avaliação de artigos encaminhados se dá através do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER). Ao serem submetidos, os trabalhos são previamente avaliados pelo Conselho Editorial (Desk Review). Aqueles que estiverem fora das normas editoriais ou do escopo da Revista serão devolvidos aos autores; os demais são encaminhados aos Editores de Seção que designam a, pelo menos, uma dupla de pareceristas ad hoc para avaliação. No caso de pareceres divergentes o artigo será enviado ao um terceiro parecerista. A identificação, tanto dos autores quanto das instituições, não consta no texto enviado para avaliação. A aprovação ou recusa de cada artigo depende da disponibilidade e agilidade do Conselho Editorial e dos pareceristas ad hoc

Instruções aos Avaliadores

Fluxograma - descrição etapas e tempo médio

Periodicidade

Publicação contínua – ISSN eletrônico: 1984-686X

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

Atribuição-NãoComercial CC BY-NC

Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho para fins não comerciais, e embora os novos trabalhos tenham de lhe atribuir o devido crédito e não possam ser usados para fins comerciais, os usuários não têm de licenciar esses trabalhos derivados sob os mesmos termos.

Indexadores 

 

 

BBE – Bibliografia Brasileira de Educação – Centro de Informação e Biblioteca em Educação (Brasil-CIBEC/INEP)

Edubase – Faculdade de Educação/Unicamp, São Paulo/Brasil

EZB – Electronic Journals Library

UlrichsWeb – Global Serials Directory

 

Histórico do periódico

A Revista Educação Especial, Qualis/CAPES A2, teve sua criação em 1987, com o nome de “Cadernos de Educação Especial”, sendo uma das primeiras da sua área, atualmente com 32 anos de dedicação efetiva na formação de recursos humanos para pessoas com deficiência. Em 2004, tem seu escopo e normas de circulação modificados, bem como seu nome, que passou a ser Revista Educação Especial, título que carrega até a presente data.

Em 2009, passou para quadrimestral, já com todo o fluxo editorial gerido pelo SEER, momento em que obteve o ISSN eletrônico – 1984-686X, e, em 2013, alcançou o DOI – 10.5902/1984686X. Assim como a revista Educação (UFSM), os artigos publicados a partir de 2010 também foram contemplados com o DOI. Em 2016, tem seu último ano da editoração impressa, ficando apenas com a versão eletrônica, e, em 2018, começa a ser editada trimestralmente, no intuito de dar maior agilidade e dinamicidade aos trabalhos já aprovados, para chegar aos leitores o mais rápido possível.

Em 2019 passamos a adotar o volume único anual, publicação contínua.