Planejamentos pedagógicos voltados para crianças com deficiência intelectual: experiências colaborativas a partir da ação do Atendimento Educacional Especializado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/1984686X67106

Palavras-chave:

Deficiência Intelectual, Práticas Pedagógicas, Atendimento Educacional Especializado.

Resumo

Esse artigo abordou a temática de planejamentos pedagógicos para crianças com deficiência intelectual, numa perspectiva de articulação entre o Atendimento Educacional Especializado (AEE) e a sala comum. O objetivo do estudo foi mapear as produções científicas que pudessem fornecer indicadores para auxiliar nesses planejamentos pedagógicos com perspectiva colaborativa. Tratou-se de uma revisão sistemática, com critérios e estratégias de busca que levaram em consideração a qualidade de uma revisão de literatura a partir da Assessing the Methodological Quality of Systematic Reviews (AMSTAR). Os resultados indicaram 459 trabalhos considerando os termos mais relevantes vinculados à prática pedagógica no Tesauros Brasileiro de Educação, quais sejam: formação de professores, recursos de ensino e currículo. Após aplicação dos filtros, foram analisados na íntegra 74 estudos, cujos principais indicadores foram: atividades pedagógicas individualizadas e diferenciadas com utilização de adaptações curriculares; formação de professores com ênfase para uma assunção da pessoa com deficiência como sujeito que aprende; mediação do conhecimento e ênfase em colaboração entre os professores de apoio e da sala comum; práticas pedagógicas que consideram características e maneiras diferentes de acesso ao conhecimento. Concluímos que os estudos problematizam questões vinculadas ao campo da didática, porém, alguns ainda desconsideram aspectos da ação docente desenvolvida com e para essas crianças, priorizando elementos que promovem a participação delas em atividades da sala comum.

Biografia do Autor

Jáima Pinheiro de Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG

Professora pós-doutora da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.

Maria Almerinda de Souza Matos, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, AM

Professora pós-doutora da Universidade Federal do Amazonas, Manaus, AM, Barsil.

Referências

ALLES, Elisiane Perufo; CASTRO, Sabrina Fernandes de; MENEZES, Eliana da Costa Pereira; DICKEL, Cláudia Adriane Graeff. (Re)Significações no Processo de Avaliação do Sujeito Jovem e Adulto com Deficiência Intelectual. Revista Brasileira de Educação Especial [online]. 2019, v. 25, n. 3. Acesso em: 04 out. 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s1413-65382519000300002.

ALMEIDA, Patrícia Cristina Albieri de.; BIAJONE, Jefferson. Saberes docentes e formação inicial de professores: implicações e desafios para as propostas de formação. Educação e Pesquisa, [online], v. 33, n. 2, p. 281-295. Acesso em: 02 nov. 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/8gDXyFChcHMd5p6drYRgQSn/?format=pdf&lang=pt

ALMENDROS, Inácio Calderón; LARDOEYT, Sabina Habegger. Educación, Hándicap e Inclusión - Una lucha familiar contra una escuela excluyente, Granada: Máqina edicones, 2012, 176 p.

APA. Associação Americana de Psiquiatria. DSM-5: Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. 5ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2014. 992p.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Tradução: RETO, Luiz Antero; PINHEIRO. Augusto. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Secretaria da Educação do Estado de São Paulo/Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF, 2008.

CAMPOS, Erica Costa Vilese; PLETSCH, Márcia Denize. Escolarização do aluno com deficiência intelectual: dialogando com o currículo e o plano educacional individualizado. In: VI Congresso Brasileiro de Educação Especial e IX Encontro Nacional dos Pesquisadores da Educação Especial. UFSCAR/ABPEE, São Carlos, 2014.

CAPELLINI, Vera Lúcia Messias Fialho; ZERBATO, Ana Paula. O que é Ensino Colaborativo? São Paulo: Edicon, 2019.

CARDOSO, Aliana Anghinoni; DEL PINO, Mauro Augusto Burkert; DORNELES, Caroline Lacerda. Os saberes profissionais dos professores na perspectiva de Tardif e Gauhier: contribuições para o campo de pesquisa sobre os saberes docentes no brasil, Seminário de Pesquisa em educação Região Sul, 2012.

CASAGRANDE, Rosana Castro; MAINARDES, Jefferson. O campo acadêmico da Educação Especial no Brasil. Revista Brasileira de Educação Especial, [online], v. 27, p. 119-138. Acesso em: 02 ago. 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1980-54702021v27e0132

COSTA, Angelo Brandelli; ZOLTOWSKI, Aana Paula Couto; KOLLER, Silvia Helena; TEIXEIRA, Marco Antonio. Construção de uma escala para avaliar a qualidade metodológica de revisões sistemáticas. Ciência & Saúde Coletiva, v. 20, n. 8, p. 2441-2452, 2015. Acesso em: 02 set. 2020. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v20n8/1413-8123-csc-20-08-2441.pdf.

DUTRA, Claudia Pereira; GRIBOSKI, Claudia Maffini. Gestão para inclusão. Revista Educação Especial, Santa Maria, 26, 2005. Acesso em: 02 ago. 2021. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/4372/2566.

FRANCO, Maria Amélia. Prática pedagógica e docência: um olhar a partir da epistemologia do conceito. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 97, n. 247, p. 534-551, 2016. Acesso em: 01 fev. 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s2176-6681/288236353.

GLAT, Rosana; PLETSCH, Márcia Denize. (Orgs.). Estratégias educacionais diferenciadas para alunos com necessidades especiais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2013.

GHIRELLO-PIRES, Carla Salati. Formas usuais de entendimento sobre a síndrome de Down e a teoria histórico-cultural. In: BARROCO, S. M. S.; LEONARDO, N. S.; SILVA, T. do S. (Orgs.). Educação especial e Teoria Histórico-Cultural: em defesa da humanização do homem. Maringá: Eduem, 2012, p. 167-192.

GUEBERT, Mírian Célia Castellain. Alfabetização de alunos com deficiência intelectual: um estudo sobre estratégias de ensino utilizadas no ensino regular. 2013. 119 f. Tese (Doutorado em Educação: Historia, Política, Sociedade) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Programa de Estudos Pós-graduação em Educação: Historia, Política, Sociedade, 2013.

JANUZZI, Gilberta. A educação do deficiente no Brasil: dos primórdios ao início do século XXI. 2. ed. Campinas: Autores, SP, 2006.

LUCKASSON, Ruth.; BORTHWICK-DUFFY, Sharon.; BUNTINX, Wil H.; COULTER, David. et al. Mental retardation: Definition, classification, and systems of support, 10th Ed., Washington, DC: American Association on Mental Retardation, 2002.

LUTOSA, Francisca; MELO, Claudiana Maria. Organização e princípios didáticos para gestação da sala de aula inclusiva: a gênese de práticas pedagógicas de atenção à diversidade. In: FRANCO, Marco Antonio Melo; GUERRA, Lenor Bezerra. Práticas Pedagógicas de inclusão: situações de sala de aula – vol. 3, 1 ed., Jundiaí, SP, 2018.

MEDRADO, Cylene; GOMES, Vívian Martins; NUNES SOBRINHO, Francisco de Paula. Atributos Teórico-Metodológicos da Revisão Sistemática das Pesquisas Empíricas em Educação Especial: Evidências Científicas na Tomada de Decisão sobre as Melhores Práticas Inclusivas. In: NUNES, L. R. d’O de P. (Org.), Novas trilhas no modo de fazer pesquisa em Educação Especial (pp. 105-126). Marília: Marquezine & Manzini/ABPEE, 2014.

MINAS GERAIS. Resolução SEE nº 4256/2020. Normatização e organização da Educação Especial na rede estadual de Ensino de Minas Gerais. Secretaria do Estado de Educação, Belo Horizonte, 2020.

MUGNAI, Camila. Mudança de atitudes sociais de professores em relação à inclusão: transformação junto com alunos. Revista Educação Especial, v. 30, n. 59, p. 723-736, 2017. Acesso em: 10 nov. 2017. Disponível em:https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/28429/pdf_1.

OLIVEIRA, Emely Kelly. S. S. Engajamento de Crianças com Transtorno do Espectro Autista em Atividades de um Programa Metatextual de Produção de Histórias. [Dissertação de Mestrado]. Programa de Pós-graduação em Educação. Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Ciências, Marília, 2021.

OLIVEIRA, Jaima Pinheiro de. Proposta de Análise de Funções Comunicativas em Crianças com Deficiência (PAFCCD). IN: OLIVEIRA, Jáima Pinheiro de.; MATA, Simara pereira da.; BLANCO, Marília Bazan. Educação Infantil, Linguagem e Inclusão Escolar. São Carlos: De Castro Editora, 2021.

OLIVEIRA, Jaima Pinheiro de. Novo PRONARRAR. Suporte estruturado para a emergência e o Desenvolvimento de Histórias Infantis. Curitiba: ed. CRV, 2019.

ONEESP. Observatório Nacional de Educação Especial. Publicações. Relatórios (1 a 4 – 2011 a 2014). Disponível em: https://www.oneesp.ufscar.br/publicacoes. Acesso em: 20 mai 2021.

PAGNI, Pedro. Encontros com a deficiência: de ensaios da ficção a testemunhos sobre a sua ética em uma rede (in) visível. Revista Diálogos e Perspectivas em Educação Especial. [online]. v. 2, n. 1, 2015, p. 103-120. Acesso em: 02 mar. 2021. Disponível em: http://revistas.marilia.unesp.br/index.php/dialogoseperspectivas/article/view/5295/3708.

PATTO, Maria Helena. A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia (4ª ed). São Paulo: Casa do Psicólogo, 2015.

PLETSCH. Márica Denize. A formação de professores para a educação inclusiva: legislação, diretrizes políticas e resultados de pesquisa. In: Educar em Revista, v. 33, p. 143-156, Paraná, 2009.

ROLDÃO, Maria do Céu. Estratégias de Ensino: o saber e o agir do professor. Vila Nova de Gaia: Fundação Manuel Leão, 2009.

RUTHERFORD Marrion; BAXTER, Julie; GRAYSON, Zoe; JOHNSTON, Lorna; O’HARE, Anne. Visual supports at home and in the community for individuals with autism spectrum disorders: A scoping review. Autism. 24, 2, p. 447-469, 2020. Acesso em: 24 jan. 2021. Disponível em: doi:10.1177/1362361319871756

SACRISTÁN, José Gimeno. Consciência e ação sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: NÓVOA, António. Profissão professor. 2. ed. Porto: Porto, 1995. p. 63-92.

SANTOS, Shirley Aparecida dos; MAKISHIMA, Edne Aparecida Claser; SILVA, Thaís Gama da. O Trabalho Colaborativo entre o professor especialista e o professor das disciplinas – o fortalecimento das Políticas Públicas para Educação Especial no Paraná. In: XII Congresso Nacional de Educação: Formação de professores, complexidade e trabalho docente. EDUCERE, p. 8312-8325, 2015.

SCHALOCK, Robert L.; BORTHWICK-DUFFY, Sharon A.; BRADLEY, Valerie J.; BUNTINX, Wil H. et al. Mental retardation: Definition, classification, and systems of support, 11th Ed., Intellectual disability: Definition, classification, and systems of support (11th Ed.). Washington, DC: American Association on Intellectual and Developmental Disabilities, 2010.

SEBASTIÁN-HEREDERO, Eladio. Diretrizes para o Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA). Revista Brasileira de Educação Especial, v. 26, n. 4, 2020. Acesso em: 02 nov. 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1980-54702020v26e0155

SHULMAN, Lee S. Those who understand: knowledge growth in teaching. Educational, v. 15, n. 2, p. tional 4-14, 1986.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 17ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

VAZ, Daniela Virgínia; ANTUNES, Ana Amélia Moraes; FURTADO, Sheyla Rossana Cavalcanti. Tensões e possibilidades no campo da reabilitação sob a ótica dos estudos da deficiência. Cadernos Brasileiros de Terapia Ocupacional, 27(4), 917-928, 2019.

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Editora Artes Médicas Sul Ltda., 1998.

ZABOROSKI-OLEINIK, Ana Paula. Construção e avaliação do impacto de um programa de ensino metatextual para desenvolver a narrativa escrita de estudantes com deficiência intelectual. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), Faculdade de Filosofia e Ciências, Marília, 2020.

Downloads

Publicado

2021-12-27

Como Citar

Oliveira, J. P. de, & Matos, M. A. de S. (2021). Planejamentos pedagógicos voltados para crianças com deficiência intelectual: experiências colaborativas a partir da ação do Atendimento Educacional Especializado. Revista Educação Especial, 34, e64/1–26. https://doi.org/10.5902/1984686X67106

Edição

Seção

Dossiê: Atendimento educacional especializado e práticas pedagógicas inclusivas