Políticas públicas educacionais e formação de professores: convergências e distanciamentos na área de Educação Especial

Bruno Cleiton Macedo do Carmo, Neiza de Lourdes Frederico Fumes, Elisangela Leal de Oliveira Mercado, Luciana de Oliveira Rocha Magalhães

Resumo


As políticas educacionais caminharam desde as últimas décadas do século XX em direção ao paradigma da inclusão escolar, demandando novas práticas docentes, como recorrentes estudos da área demonstram, e consequentemente exigem repensar a formação de professores. Assim, o objetivo do presente artigo é analisar as políticas públicas educacionais e as de formação de professores no intuito de refletir sobre possíveis convergências e distanciamentos na construção de um sistema de ensino capaz de atender à diversidade trazida pela inclusão escolar. Para tanto, foram analisadas as principais legislações e ações governamentais de 1994 a 2018. Os dados foram coletados em sítios oficiais do Governo Federal, no Diário Oficial da União e através de revisão bibliográfica. Reconhecendo que um único pesquisador não é capaz de esgotar a revisão das políticas públicas e as produções científicas elaboradas sobre a temática, optou-se pela conferência dos dados por 3 especialistas na área de Educação Especial e formação de professores, visando uma maior confiabilidade dos dados apresentados. A partir dos resultados alcançados, percebe-se que as políticas públicas educacionais de inclusão e de formação de professores, ao longo das últimas décadas, convergiram no sentido de assumir o paradigma da inclusão como norte para os sistemas de ensino no Brasil. Contudo, parece haver um descompasso entre as ações governamentais para a inclusão de alunos público-alvo da Educação Especial e a formação de professores para atendê-los, ficando esta última como uma preocupação secundária nas políticas públicas para a inclusão escolar.


Palavras-chave


Inclusão educacional; Política da educação; Formação de professores

Texto completo:

PDF HTML

Referências


AKKARI, Abdeljalil. Internacionalização das políticas educacionais: transformações e desafios. Petrópolis: Vozes, 2011. 143p.

AMARAL, Marcelo Parreira do. Política pública educacional e sua dimensão internacional: abordagens teóricas. Educ. Pesqui. São Paulo, v. 36, n. spe, p. 39-54, abr. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022010000400004&lng=pt&nrm=iso . Acesso em: 04 jul. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S1517-97022010000400004.

BALL, Stephen. J. & MAINARDES, Jefferson (org). Políticas Educacionais: questões e dilema. São Paulo: Cortez, 2011.

BANCO MUNDIAL. Human Development Network. Education sector strategy. World Bank. Washington, D.C. 1999. Disponível em: http://documents.worldbank.org/curated/pt/469761468150873366/Estrategia-sectorial-de-educacion. Acesso em: 20 dez. 2018.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa – Portugal: edições 70, 2004. 223p.

BRASIL. Congresso Nacional. Decreto Legislativo nº 186/2008. Aprova o texto da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e de seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova Iorque, em 30 de março de 2007. Brasília, DF, 2008a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/CONGRESSO/DLG/DLG-186-2008.htm. Acesso em: 28 jan. 2019.

BRASIL. Congresso Nacional. Decreto nº 6.571, de 17 de setembro de 2008. Dispõe sobre o atendimento educacional especializado, regulamenta o parágrafo único do art. 60 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e acrescenta dispositivo ao Decreto no 6.253, de 13 de novembro de 2007. Brasília, DF. 2008b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/decreto/d6571.htm. Acesso em: 28 jan. 2019.

BRASIL. Constituição [de 1988] da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 out. 1988.

BRASIL. Ministério da Educação. Sistema e-MEC: instituições de educação superior e cursos cadastrados. Brasília, DF, 2019c. Disponível em: http://emec.mec.gov.br/. Acesso em: 14 março 2019.

BRASIL. Ministro da Educação, Ministro de Desenvolvimento Social e de Combate à Fome, Ministro da Saúde e Secretária Especial Dos Direitos Humanos. Portaria normativa interministerial nº- 18, de 24 de abril de 2007. Brasília, DF, 2007a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/bpc.pdf. Acesso em: 28 jan. 2019.

BRASIL. Ministro de Estado da Educação e do Desporto. Portaria n.º 1.793, de dezembro de 1994. Brasília, DF, 1994. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/port1793.pdf. Acesso em: 28 jan. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Decreto nº 3.956, de 08 de outubro de 2001. Promulga a Convenção Interamericana para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Pessoas Portadoras de Deficiência. Brasília, DF, 2001a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2001/D3956.htm. Acesso em: 28 jan. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Brasília, DF, 2005. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2005/decreto-5626-22-dezembro-2005-539842-publicacaooriginal-39399-pe.html. Acesso em: 28 jan. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Decreto nº 6.094, de 24 de abril de 2007. Dispõe sobre a implementação do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação (...). 2007. Brasília, DF. 2007a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6094.htm. Acesso em: 28 jan. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Decreto nº 6.949 de 25 de agosto de 2009. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007. Brasília, DF. 2009b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d6949.htm. Acesso em: 28 jan. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Decreto nº 7.611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Brasília, DF. 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7611.htm. Acesso em: 28 jan. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Decreto nº 9.465, de 2 de janeiro de 2019. Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções de Confiança do Ministério da Educação, remaneja cargos em comissão e funções de confiança e transforma cargos em comissão do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores - DAS e Funções Comissionadas do Poder Executivo - FCPE. Brasília, DF, 2019a. Disponível em: http://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/57633286. Acesso em: 28 jan. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Decreto nº 9.741 de 29 de março de 2019. Altera o Decreto n o 9.711, de 15 de fevereiro de 2019, que dispõe sobre a programação orçamentária e financeira, estabelece o cronograma mensal de desembolso do Poder Executivo federal para o exercício de 2019 e dá outras providências. Brasília, DF, 2019b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2019/decreto/D9741.htm. Acesso em: 30 mai. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 10.098 de 19 de dezembro de 2000. Estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. 2000. Brasília, DF, 2000. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l10098.htm. Acesso em: 28 jan. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Lei no 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Brasília, DF, 2001b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10172.htm. Acesso em: 28 jan. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Brasília, DF, 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm. Acesso em: 28 jan. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. 2014. Brasília, DF, 2014. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 28 jan. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 13.146 de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, DF, 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l10098.htm. Acesso em: 28 jan. 2019.

CAIADO, Katia Regina Moreno et al. DEFICIÊNCIA E DESIGUALDADE SOCIAL: O RECENTE CAMINHO PARA A ESCOLA. Cad. CEDES, Campinas, v. 34, n. 93, p. 241-260, maio 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622014000200241&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 04 jul. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-32622014000200007.

CARVALHO, Guilherme Augusto Batista. A FORMAÇÃO DA AGENDA DE POLÍTICAS PÚBLICAS NO PRESIDENCIALISMO DE COALIZÃO. Olhares Plurais, Maceió-AL, v. 1, n. 16, p. 170-179, mar. 2017. ISSN 2176-9249. Disponível em: http://revista.seune.edu.br/index.php/op/article/view/239/206 . Acesso em: 04 jul. 2019.

CONGRESSO INTERNACIONAL SOCIEDADE INCLUSIVA. Declaração internacional de Montreal sobre inclusão. Montreal, 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/dec_inclu.pdf. Acesso em: 30 jan. 2019.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (CNE). Ministério da Educação. Resolução cne/ceb nº 2, de 11 de setembro de 2001. Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Brasília, DF, 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CEB0201.pdf. Acesso em: 28 jan. 2019.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (CNE). Ministério da Educação. Resolução cne/cp nº1, de 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília, DF, 2002. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_02.pdf. Acesso em: 28 jan. 2019.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (CNE). Ministério da Educação. Resolução cne/cp nº2, de 1 de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília, DF, 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=98191-res-cp-02-2015&category_slug=outubro-2018-pdf-1&Itemid=30192. Acesso em: 28 jan. 2019.

CUNHA, Monica Isabel Carleti. Programa BPC na escola: dilemas e perspectivas no campo dos direitos sociais. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Educação. Santa Catarina, 2015. 140p.

FRANCA, Marileide Gonçalves; PRIETO, Rosângela Gavioli. Financiamento da Educação Especial no Município de Vitória: desafios à gestão. Educ. rev., Curitiba, v. 34, n. 71, p. 279-296, out. 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602018000500279&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 04 jul. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.59229.

FRANCA, Marileide Gonçalves. O financiamento da educação especial no âmbito dos fundos da educação básica: Fundef e Fundeb. Educ. rev. Curitiba, n. 58, p. 271-286, dez. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40602015000400271&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 04 jul. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/0104-4060.42415.

FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO (FNDE). Ministério da Educação. Resolução/CD/FNDE nº 26, de 15 de junho de 2007. Estabelece as orientações e diretrizes para assistência financeira suplementar a projetos educacionais da Educação Especial, no exercício de 2007. Brasília, DF, 2007. Disponível em: https://www.fnde.gov.br/acesso-a-informacao/institucional/legislacao/item/3147-resolu%C3%A7%C3%A3o-cd-fnde-n%C2%BA-26-de-15-de-junho-de-2007. Acesso em: 28 jan 2019.

FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO (FNDE). Ministério da Educação. Resolução/CD/FNDE nº 20, de 19 de outubro de 2018. Dispõe sobre a destinação de recursos financeiros, nos moldes operacionais e regulamentares do Programa Dinheiro Direto na Escola (...) em conformidade com o Programa Escola Acessível. Brasília, DF, 2018. Disponível em: https://www.fnde.gov.br/acesso-a-informacao/institucional/legislacao/item/3147-resolu%C3%A7%C3%A3o-cd-fnde-n%C2%BA-26-de-15-de-junho-de-2007. Acesso em: 28 jan 2019.

GARCIA, Rosalba Maria Cardoso. Política de educação especial na perspectiva inclusiva e a formação docente no Brasil. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 18, n. 52, p. 101-119, mar. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782013000100007&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 04 jul. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782013000100007.

GREGUOL, Márcia; GOBBI, Erica; CARRARO, Attilio. Formação de professores para a educação especial: uma discussão sobre os modelos brasileiro e italiano. Rev. bras. educ. espec. Marília, v. 19, n. 3, p. 307-324, set. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-65382013000300002&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 04 jul. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-65382013000300002.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Ministério da Educação. Sinopse Estatística da Educação Básica do ano 2000. Brasília, DF, 2001. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas. Acesso em: 11 mar. 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Ministério da Educação. Sinopse Estatística da Educação Básica do ano 2018. Brasília, DF, 2019. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas. Acesso em: 11 mar. 2019.

KASSAR, Mônica de Carvalho Magalhães. A FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO INCLUSIVA E OS POSSÍVEIS IMPACTOS NA ESCOLARIZAÇÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIAS. Cad. CEDES, Campinas, v. 34, n. 93, p. 207-224, maio 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32622014000200207&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 04 jul. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-32622014000200005.

KUHN, Cleuza. Educação inclusiva: das ações institucionais à formação inicial de professores na UFPR. Dissertação de Mestrado, Setor de Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, 2011. 105p.

LAPLANE, Adriana Lia Friszman. O que os dados do censo escolar revelam sobre as barreiras à inclusão? Educação e Fronteiras, Dourados, v. 5, n. 14, p. 7-20, mar. 2016. ISSN 2237-258X. Disponível em: http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/3762. Acesso em: 04 jul. 2019.

LIBÂNIO, José Carlos; OLIVEIRA, João Ferreira; TOSCHI, Mirza Seabra. Educação Escolar: políticas, estruturas e organização. 10ª ed. São Paulo: Cortez, 2012.

MANTOAN, Maria Teresa Eglér (org). Em Defesa da política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva: análise e manifestação sobre a proposta do MEC de reformar a política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva. LEPED. FE/UNICAMP. 2018. Disponível em: https://inclusaoja.com.br/2018/03/21/manifesto-da-sociedade-civil-em-relacao-a-base-nacional-comum-curricular-bncc/. Acesso em: 26 mar. 2019

MARTINS, Lúcia de Araújo Ramos. Reflexões sobre a formação de professores com vistas à educação inclusiva. In: MIRANDA, Theresinha Guimarães; GALVÃO-FILHO, Teófilo Alves. (Org.). O professor e a educação inclusiva: formação, práticas e lugares. Salvador: EDUFBA. 2012. p. 25- 38

MENDES, Enicéia Gonçalves. (2019). A política de educação inclusiva e o futuro das instituições especializadas no Brasil. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, v. 27, n. 22, 18 de março 2019. Disponível em: https://epaa.asu.edu/ojs/article/view/3167/2217. Acesso em: 30 de abr. 2019. http://dx.doi.org/10.14507/epaa.27.3167

MOTA JUNIOR, William Pessoa da; MAUES, Olgaíses Cabral. O Banco Mundial e as Políticas Educacionais Brasileiras. Educ. Real. Porto Alegre, v. 39, n. 4, p. 1137-1152, dez. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-62362014000400010&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 04 jul. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S2175-62362014000400010.

OLIVEIRA, Dalila Andrade. A política educacional brasileira: entre a eficiência e a inclusão democrática. Educação e Filosofia Uberlândia, v. 28, n. especial, 225-243. 2014. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/24611. Acesso em: 29 jan 2019. doi: https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v28nEspeciala2014-p225a243

OLIVEIRA, Patricia Santos de; MENDES, Enicéia Gonçalves. Análise do projeto pedagógico e da grade curricular dos cursos de licenciatura em educação especial. Educ. Pesqui. São Paulo, v. 43, n. 1, p. 264-279, mar. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022017000100264&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 04 jul. 2019. Epub 07-Jul-2016. http://dx.doi.org/10.1590/s1517-9702201605145723.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU). Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. Assembleia Geral das Nações Unidas, 6 de dezembro de 2006. 2017. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=424-cartilha-c&category_slug=documentos-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 28 jan 2019

PANSINI, Flávia. Salas de recursos multifuncionais no brasil: para quê e para quem? Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal do Amazonas, UFAM. Manaus, 2018. 206p.

REBELO, Andressa Santos. Política de inclusão escolar no Brasil (2003-2010). Journal of Research in Special Educational Needs. v. 16. n. 1 p. 851–854. 2016. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1111/1471-3802.12341. Acesso em: 26 mar. 2019 doi: 10.1111/1471-3802.12341

ROCHA, Carlos Vasconcelos. Ideias e formação de agenda de uma reforma educacional. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, [S.l.], v. 19, n. 70, p. 191-218, jan. 2011. ISSN 1809-4465. Disponível em: http://revistas.cesgranrio.org.br/index.php/ensaio/article/view/459. Acesso em: 04 jul. 2019.

SÁ-SILVA, Jackson Ronie; ALMEIDA, Cristóvão Domingos de; GUINDANI, Joel Felipe. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, v. 1, n.1, p. 01-14. 2009. Disponível em: https://www.rbhcs.com/rbhcs/article/view/6. Acesso em: 04 jul. 2019.

SAVIANI, Dermeval. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Rev. Bras. Educ. Rio de Janeiro, v. 14, n. 40, p. 143-155, abr. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782009000100012&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 04 jul. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782009000100012.

SILVA, Iraci Balbina Gonçalves. O BANCO MUNDIAL E AS POLÍTICAS EDUCACIONAIS. Ciclo Revista, [S.l.], set. 2016. ISSN 2526-8082. Disponível em: https://www.ifgoiano.edu.br/periodicos/index.php/ciclo/article/view/225. Acesso em: 04 jul. 2019.

SOUZA BRIDI, Fabiane Romano de. Formação continuada em educação especial: o atendimento educacional especializado. Poiésis - Revista do Programa de Pós-Graduação em Educação, [S.l.], v. 4, n. 7, p. 187-199, jun. 2011. ISSN 2179-2534. Disponível em: http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Poiesis/article/view/655. Acesso em: 04 jul. 2019. doi: http://dx.doi.org/10.19177/prppge.v4e72011187-199.

SOUZA, Celina. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, n. 16, p. 20-45, dez. 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-45222006000200003&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 04 jul. 2019. http://dx.doi.org/10.1590/S1517-45222006000200003.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 17ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes. 2014.

UNESCO - United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization. The Salamanca Statement and Framework for Action on Special Needs Education. Salamanca. 1994. Disponível em: http://www.unesco.org/education/pdf/SALAMA_E.PDF. Acesso em: 23 maio 2015.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984686X39223

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOIhttp://dx.doi.org/10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação Especial agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

__________________________________________________