A identidade e a subjetividade cultural surda em vistas à inclusão

Silvana Marques da Silva, Benedito Rodrigues dos Santos, Gabriel Artur Marra e Rosa

Resumo


Este artigo tem como foco a análise teórica da constituição da identidade cultural e da subjetividade surda, com o objetivo de promover seu reconhecimento como uma diversidade cultural e de aprimorar o processo de inclusão dos surdos no sistema de ensino e na sociedade. Para tanto, o artigo propõe uma revisão crítica da literatura especializada na temática da identidade e da subjetividade surda, com o intuito de averiguar até que ponto essa literatura é capaz de elucidar as principais características da identidade dos surdos e quais são as questões que perpassam o paradigma da inclusão. Os resultados atestam a necessidade de uma mudança profunda e urgente no processo de inclusão dos surdos, considerando a participação desses sujeitos na construção de um novo modelo de inclusão que, além da língua, atenda também a outras especificidades dessa diversidade, pois os surdos seguem à margem social e não se desenvolvem de acordo com as suas potencialidades. Este artigo conclui que, embora a legislação referente à inclusão tenha avançado, ainda há contradição nas práticas inclusivas, o que acentua a sensação de opressão e exclusão dos surdos, pois estes se sentem pressionados a expressarem a sua identidade de acordo com o padrão da sociedade ouvinte.


Palavras-chave


Movimento surdo; Inclusão; Identidade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1984686X17102

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOI10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

 

 

Periodicidade – Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição 31 março.

Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição 30 junho.

Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição 30 setembro.

Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________