Surdez, educação e trabalho

Valéria Simplício da Silva, Miguel Angel Garcia Bordas

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo mostrar um panorama do estado da arte das produções acadêmicas, cuja temática relaciona a formação educacional dos surdos e sua atuação no mercado de trabalho, com a finalidade é obter um aprofundamento no processo investigativo da pesquisa de campo, que faz parte de uma pesquisa de Doutoramento, intitulada O surdo, a educação e o trabalho: uma análise dessa tríade no mercado de trabalho em Aracaju/Se. Para a realização da coleta de dados foi consultado o Banco de Teses e Dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). O período da busca foi demarcado, inicialmente, pelo último ano em que estavam disponíveis as informações no Banco de Teses, ou seja, 2018, e retrocedendo-se cinco anos, temos como corte inicial o ano de 2014. No entanto, tendo identificado apenas uma produção relacionada a esta temática, foi realizada outra busca, de forma geral, sem delimitar período, com o intuito de obter um número maior de trabalhos publicados. Para a organização dos dados coletados e a fim de analisar o corpus encontrado, foram definidas duas categorias de análise: (i) tipos de pesquisa, e (ii) abordagem teórica. A sistematização dos dados foi feita a partir de quadros por considerar-se que os dados neles apresentados consolidam uma análise quantitativa e descritiva. A pesquisa em questão nos permite conhecer a não evolução das produções que relacionam surdez, educação e trabalho, pois a caracterização das produções aponta temas silenciados, evidenciando a necessidade de novas investigações na área.

Palavras-chave


Educação; Surdez; Trabalho

Texto completo:

PDF HTML

Referências


BRASIL. Lei nº 10.436 de 24 de abril de 2002. Brasília: Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos.

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria da Educação Especial. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 2005. Disponível em: http://www.presidencia.gov.br/ccivil/ Acesso em: 20 abr. 2018.

BRASIL. Ministério do Emprego e do Trabalho. Lei 8.213 de 24 de julho de 1991. Legislação relativa ao trabalho de pessoas portadoras de deficiência: coletânea. Brasília: TEM SIT/DSST, 1999.

BRITO, Fábio Bezerra; NEVES, Sylvia Lia Grespan; XAVIER, André Nogueira. O movimento surdo e sua luta pelo reconhecimento da LIBRAS e pela construção de uma política linguística no Brasil. In: LIBRAS em estudo: política linguística. Neiva de Aquino Albres e Sylvia Lia Grespan (Org.). São Paulo: Editora FENEIS, 2013.

BRITO, Fábio Bezerra. O movimento surdo no Brasil: a busca por direitos. Journal of Research in Special Educational Needs, Volume 16, Number s1, 2016, p. 766-769. doi: 10.1111/1471-3802.12214.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Serviços: Banco de teses. 2018. Disponível em: http://catalogodeteses.capes.gov.br/catalogo-teses/. Acesso em: maio/jun. 2018.

COOPER, Donald R.; SCHINDLER, Pamela S. Métodos de pesquisa em administração. 7. ed. São Paulo: Bookman, 2003.

GAMBOA, Silvio Sanchez. Pesquisa em educação: métodos e epistemologias. Chapecó: Argos, 2007.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2008.

GIL, A. C.; SILVA, S. P. M. O Método Fenomenológico na Pesquisa sobre Empreendedorismo no Brasil. Revista de Ciências da Administração, v. 17, n. 41, p. 99-113, abr. 2015.

KLEIN, Madalena. Cultura surda e inclusão no mercado de trabalho. In: SKLIAR, Carlos (Org.). A surdez: um olhar sobre as diferenças. 3. ed. Porto Alegre: Mediação, 2005.

MOREIRA, Daniel A. O método fenomenológico na pesquisa. São Paulo: Pioneira Thomson, 2002.

PASTORE, Jose. Oportunidades de trabalho para portadores de deficiência. São Paulo. Editora LTr,2000.

SACKS, Oliver. Vendo vozes: uma viagem ao mundo dos surdos. Tradução Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

SANTIAGO, Vânia de Aquino Albres. A participação dos surdos no mercado de trabalho. Anhanguera Educacional, 2011. Disponível em: http://www.porsinal.pt/index.php?ps=artigos&idt=artc&cat=12&idart=299. Acesso em: 15 de jun. de 2017.

SKLIAR, C. (Org.). Os estudos surdos na educação: problematizando a normalidade. In: A surdez: um olhar sobre as diferenças. 6. ed. Porto Alegre: Mediação, 2005.

SKILIAR. Carlos. A surdez: um olhar sobre as diferenças. 3. ed. Editora Mediação. Porto Alegre. 1998.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em Educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VIANA, A. A inserção dos surdos no mercado de trabalho: políticas públicas, práticas organizacionais e realidades subjetivas. 2009. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade do Grande Rio, Duque de Caxias,2009.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984686X35960

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOIhttp://dx.doi.org/10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação Especial agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

__________________________________________________