Educação e deficiência visual: uma revisão de literatura

Carla Beatris Valentini, Cláudia Alquati Bisol, Luani dos Santos Paim, Ana Paula Fachinetto Ehlers

Resumo


As políticas educacionais têm permitido avanços no ingresso de pessoas com deficiência visual em escolas comuns. No entanto, no cotidiano das escolas, ainda se encontram dificuldades no processo de escolarização desses estudantes. O objetivo do presente estudo é analisar a produção referente à deficiência visual na área da educação formal e não-formal, a partir de artigos científicos publicados em periódicos nacionais e internacionais. Foi realizada uma pesquisa de revisão bibliográfica que abarcou 66 artigos nacionais indexados nas bases de dados SciELO, Scopus e Portal de Periódicos da CAPES e 142 artigos internacionais presentes no ERIC e no EBSCO Host, publicados entre 2005 e 2016. Inicialmente, realizou-se análise estatística descritiva dos artigos nacionais e internacionais e em um segundo momento, análise das referências bibliográficas utilizadas nos artigos nacionais. Apresenta-se a distribuição das publicações ao longo do período pesquisado, os delineamentos e métodos encontrados, as características dos participantes e os periódicos que publicaram esses estudos com mais frequência, comparando os dados nacionais e internacionais. A análise das referências bibliográficas utilizadas nos artigos nacionais, por sua vez, possibilitou identificar os principais autores utilizados, o tipo de suporte e a língua predominantes. Percebe-se que as pesquisas têm avançado nas últimas décadas, no entanto há desafios e tensões que permitem novos estudos e articulação de temáticas ainda pouco exploradas.

 


Palavras-chave


deficiência visual; cegueira; inclusão educacional

Texto completo:

PDF HTML

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Sala de Recursos Multifuncionais: espaços para o Atendimento Educacional Especializado: Deficiência visual. Brasilia: MEC/SEESP, 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretoria de Políticas de Educação Especial. Principais Indicadores da Educação de Pessoas com Deficiência. Brasília: MEC/INEP, 2014. Disponível em: . Acesso em: jun. 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Especial. Saberes e práticas da inclusão: desenvolvendo competências para o atendimento às necessidades educacionais especiais de alunos cegos e de alunos com baixa visão. 2. ed. Brasília: MEC/SEESP, 2006.

CAMARGO, Eder Pires de. Inclusão social, educação inclusiva e educação especial: enlaces e desenlaces. Ciência e Educação, Bauru, v.23, n. 1, p. 1-6, jan./mar. 2017. Disponível em: . Acesso em: maio 2017.

COSTA, Angelo Brandelli; ZOLTOWSKI, Ana Paula Couto. Como escrever um artigo de revisão sistemática. In: KOLLER, Sílvia Helena. (Org.). Manual de produção científica. Porto Alegre: Penso, 2014. Disponível em: . Acesso em: abr. 2017.

ROSADO, Luiz Alexandre da Silva; FERREIRA, Giselle Martins dos Santos; CARVALHO, Jaciara de Sá. Educação e Tecnologia na literatura acadêmica on-line em português. In: ROSADO, Luiz Alexandre da Silva; FERREIRA, Giselle Martins dos Santos; CARVALHO, Jaciara de Sá. Educação e Tecnologia: abordagens críticas. Rio de Janeiro: SESES, 2017, p. 208-254.

FERREIRA, Maria Elisa Caputo. O enigma da inclusão: das intenções às práticas pedagógicas. Educação e Pesquisa, 33(3), 2007, p. 543–560.

GATTI, Bernadete Angelina. A construção metodológica da pesquisa em educação: desafios. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 28, n. 1, p. 13-34, jan/abr. 2012.

GATTI, Bernadete Angelina. Estudos quantitativos em educação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.30, n.1, p. 11-30, jan./abr. 2004.

LAPLANE, Adriana Lia Friszman de; BATISTA, Cecília Guarneiri. Ver, não ver e aprender: a participação de crianças com baixa visão e cegueira na escola. Cadernos Cedes, Campinas, vol. 28, n. 75, p. 209-227, maio/ago. 2008.

MORAES, Marcia Oliveira; ARENDT, Ronald João Jacques. Contribuições das investigações de Annemarie Mol para a psicologia social. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 18, n. 2, p. 313-321 abr./jun. 2013. Disponível em: . Acesso em: maio 2017.

NUERNBERG, Adriano Henrique. Contribuições de Vigotski para a educação de pessoas com deficiência visual. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 13, n. 2, p. 307-316, abr./jun. 2008. Disponível em: . Acesso em: maio 2017.

NUERNBERG, Adriano Henrique. Ilustrações táteis bidimensionais em livros infantis: considerações acerca de sua construção no contexto da educação de crianças com deficiência visual. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 23, n. 36, p. 131-143, jan./abr. 2010. Disponível em: . Acesso em: maio 2016.

NUNES, Silvia; LOMÔNACO, José Fernando Bitencourt. O aluno cego: preconceitos e potencialidades. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v.14, n.1, p. 55-6, jan. 2010.

ROMANOWSKI, Joana Paulin; ENS, Romilda Teodora. As Pesquisas Denominadas do Tipo Estado da Arte em Educação. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 6, n. 19, p. 37-50, 2006.

RUIZ, Letícia Coelho; BATISTA, Cecília Guarnieri. Interação entre crianças com deficiência visual em grupos de brincadeira. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 20, n. 2, jun. 2014.

SOARES, Magda Becker; MACIEL, Francisca. Alfabetização. Brasília: MEC/INEP, 2000. Disponível em: . Acesso em: abr. 2017.

VIGOTSKI, Lev Semionovitch. A defectologia e o estudo do desenvolvimento e da educação da criança anormal. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 4, p. 861-870, 2011. Disponível em: . Acesso em: abr. 2017.

VIGOTSKI, Lev Semiónovic. Obras escogidas V: Fundamentos de defectología. Madrid: Visor, 1997. P. 99-113. Tradução de Julio Guilhermo Blank.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984686X33154

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOIhttp://dx.doi.org/10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação Especial agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

__________________________________________________