Perspectivas dos gestores ambientais dos municípios consorciados ao CIGRES no processo de implantação da coleta seletiva

Deisy Brasil Gonçalves, Damaris Kirsch Pinheiro

Resumo


Ainda são insuficientes os municípios brasileiros que realizam ações em prol de um gerenciamento adequado dos resíduos sólidos urbanos. Diversos fatores contribuem para que o trabalho de educação ambiental em muitos casos sejam ausentes ou pouco eficazes. Este estudo teve como objetivo identificar os métodos de educação ambiental, as fragilidades e potencialidades no processo de implantação do sistema, visando análise, discussão e proposição de ferramentas, soluções e/ou mitigação das dificuldades encontradas. Para isso, foi realizada uma pesquisa qualiquantitativa direcionada aos gestores ambientais dos municípios da região noroeste do estado do Rio Grande do Sul-RS. Diante dos resultados constatou-se que muitos municípios ainda estão atrasados neste processo e a grande maioria tem se deparado com inúmeros desafios, entre eles a falta de apoio dentro da própria administração municipal e da população em geral. Evidenciou-se também a necessidade da implantação deste sistema ser intensa e ininterrupta, integrando atividades de informação, sensibilização e mobilização de todos os envolvidos. Posterior a análise dos dados, realizou-se uma palestra com os gestores ambientais onde foi apresentado e discutido os resultados da pesquisa, além disso, foram compartilhadas dicas para facilitar o processo de implantação da coleta seletiva, sendo muitas delas apresentadas pelos próprios gestores ambientais em suas respostas.


Palavras-chave


Coleta seletiva; Resíduos sólidos urbanos; Gestão ambiental

Texto completo:

HTML PDF

Referências


BRASIL, Lei N° 12.305 de 02 de agosto de 2010 - Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), Brasília, 2010.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

BRASIL, Lei 9795. Política Nacional de Educação Ambiental, Brasília: Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 1999.

GUIMARÃES A. Falta Educação ambiental para quem mais precisa. 2008. Disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/2894/falta-educacao-ambiental-para-quem-mais-precisa Acesso em: 01/10/18.

HEBER, F.; SILVA, E. M. D. Institucionalização da Política Nacional de Resíduos Sólidos: dilemas e constrangimentos na Região Metropolitana de Aracaju (SE). Rio de Janeiro: Rev. Adm. Pública, v. 48, n. 4, p. 913-937. 2014.

IPEA- INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA, Sensibilização E Mobilização Dentro Da Política Nacional De Resíduos Sólidos: Desafios e Oportunidades da Educação Ambiental, Texto para discussão/ Brasília: IPEA, Rio de Janeiro, 2012.

IPEA- INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Situação Social das Catadoras e dos Catadores de Material Reciclável e Reutilizável, Brasília: IPEA, Rio de Janeiro, 2013.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Plano Nacional de Resíduos Sólidos. 2012. Disponível em: http://www.mma.gov.br/estruturas/253/_publicacao/253_publicacao02022012041757.pdf Acesso em: 20 de set de 2018.

MAIELLO, A.; BRITTO, A. L. N. DE P. & VALLE, T. F. Implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Rio de Janeiro: Rev. Adm. Pública, vol.52 nº 1. 2018

NOGUEIRA, C. F. DE A. Política Nacional de Resíduos Sólidos, Coleta Seletiva e seus Atores – o caso do Distrito Federal. Distrito Federal: Revista Brasileira de Direito, vol. 10 nº 1. 2014.

OLIVEIRA, T. B. &, JUNIOR, A. C. G. Planejamento municipal na gestão dos resíduos sólidos urbanos e na organização da coleta seletiva Rio de Janeiro: Scielo. Eng. Sanit. Ambient., vol.21 no.1, 2016.

OLIVEIRA, D. A. M. Percepção de riscos ocupacionais em catadores de materiais recicláveis: estudo em uma cooperativa em Salvador-Bahia. Dissertação (Mestrado em Saúde, Ambiente e Trabalho) – Universidade Federal da Bahia, 174 f Salvador, 2011.

SCHALCH, V. W. LEITE, C. A.; JÚNIOR , J. L. F.; DE CASTRO, M.C. A. A. Gestão E Gerenciamento De Resíduos Sólidos- Universidade de São Paulo Escola de Engenharia de São Carlos, Departamento de Hidráulica e Saneamento. São Carlos, 2002.

STUMPF, U.; D. THEIS, V. & SCHREIBER, D. Gestão de Resíduos Sólidos em Empresas Metalomecânicas De Pequeno Porte. São Paulo: Rev. Gest. Ambient. Sustentabilidade, Vol. 7, N. 2, 2018.

VIANA, D. S. M.; BARROS, E. S. M.; SOARES, Z. T. Lixo: o que fazer? Rev. Educação Ambiental em Ação, n.57, ano 16, 2016.

VIRGENS, R. A. Educação Ambiental no Ambiente Escolar, 2011. 26 F. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Biologia)- Universidade de Brasília, Brasília, 2011.

WESLEY R. S. F. E CHARBEL J. C. J. Utilizando Estudo de Caso(S) Como Estratégia De Pesquisa Qualitativa: Boas Práticas E Sugestões. Lajeado: Rev. Estudo & Debate, v. 18, n. 2, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130840176

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.