CENTRAIS DE TRIAGEM DE RESÍDUOS (CTR): UMA SOLUÇÃO PARA O GERENCIAMENTO EM MUNICÍPIOS DE PEQUENO PORTE

Juliana Penteado Coelho, Marta Regina Lopes Tocchetto, Erny Lauro Meinhardt

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/2236130810930

No Brasil, os resíduos sólidos urbanos (RSU) ainda são depositados em locais irregulares. Algumas estratégias de gerenciamento podem mudar este cenário, como a redução da geração e a reciclagem de materiais, com a consequente disposição em aterro apenas do rejeito. A construção e o gerenciamento de aterros por municípios de pequeno porte é sempre difícil por apresentarem limitações financeiras e técnicas. As Centrais de Triagem de Resíduos (CTR) se constituem em uma solução viável considerando a possibilidade de melhorar a segregação e valorização dos materiais. O material triado é encaminhado à reciclagem ou à disposição em aterro. Esta solução pode ser consorciada, possibilidade regulamentada na Política Nacional dos Resíduos Sólidos, Lei 12.305 (BRASIL, 2010). O contexto apresentado motivou o presente trabalho que foi realizado em parceria, UFSM e FEPAM Regional Santa Maria/GERSEN. O objetivo traçado foi desenvolver um estudo para viabilizar a implantação de CTR em municípios de pequeno porte. Para conhecermos o perfil de geração dos pequenos municípios foram analisadas duas regiões localizadas no centro do Estado do Rio Grande do Sul. Cada uma dessas regiões foi composta por seis municípios. Os resultados demonstraram que o resíduo oriundo das áreas rurais é essencialmente reciclável, pois a fração orgânica que é separada na origem é reaproveitada e utilizada para produção de adubo ou é misturada à alimentação de animais. Assim, a parcela coletada e encaminhada à central de triagem apresenta alto aproveitamento, considerando posterior envio às empresas de reciclagem. Por outro lado, o resíduo gerado pela população urbana carece de uma melhor separação, a fim de reduzir o desperdício de materiais enviados para aterro. Este estudo permite afirmar que a implantação de CTR reduz os custos de gerenciamento de resíduos para os municípios, especialmente os de pequeno porte, pois é uma oportunidade de agregar valor à fração coletada e reduzir o volume a ser encaminhado ao aterro. A organização do setor a partir das Centrais, possibilita a implantação de programas de coleta seletiva e de educação ambiental, além do atendimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos.


Palavras-chave


centrais de resíduos; municípios pequeno porte; gestão resíduos urbanos

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130810930

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.