Cooperativas de catadores de resíduos sólidos: condições ambientais e impactos na comunidade

Lís Quarantini Souza Guimarães, Cristina Maria Dacach Fernadez Marchi

Resumo


Esse artigo buscou identificar, através de pesquisa bibliográfica quais as condições ambientais e dificuldades  das cooperativas de catadores de resíduos sólidos, para efetuar uma análise dos possíveis impactos que estas condições podem trazer à comunidade, que consequentemente podem gerar atrito nessa relação. Foram utilizados como referências artigos, teses, monografias, dissertações com estudo de caso. As dificuldades recorrentes encontradas foram a falta de infraestrutura e a falta de espaço para armazenamento dos resíduos sólidos. Os cooperativados, para poder negociar com as indústrias e garantir uma renda maior necessitam acumular um grande volume de resíduos. A solução é a apropriação indevida do meio-fio, de meios de passagem, das ruas ou de qualquer local que possa acomodar os excedentes. São vários transtornos causados pela falta de infraestrutura: entupimento da rede de esgoto, alagamentos, proliferação de animais nocivos à saúde humana, desvalorização dos imóveis, o aumento de doenças respiratórias, devido ao mau cheiro causado pela atividade e o risco de incêndio. O exposto acima, relata os possíveis motivos do repúdio da comunidade em relação às cooperativas. Sem apoio as cooperativas perdem a força para desenvolver um trabalho que é tão importante para a sociedade.


Palavras-chave


Cooperativa de Catadores; Resíduos Sólidos; Condições Ambientais; Comunidade

Texto completo:

HTML PDF

Referências


ABNT- Associação Brasileira de Normas Técnicas[internet]. São Paulo: Apresenta diretrizes e serviços do fórum nacional de normalização. São Paulo, SP. Disponível em: http://www.abnt.org.br.

Alencar TS, Rocha JPM, Silva RV. Política nacional de resíduos sólidos e os catadores de materiais recicláveis: estudo de caso de cooperativas nos municípios do estado do rio de janeiro. Revista Amigos da Natureza. 2013;(3):20.

Almeida FA, Sellitto MA, Ritter AM, Viana AP. Cooperativas de catadores de resíduos e cadeias logísticas reversas: estudo de dois casos. Ver. Eletr. Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental. [Internet]. 2013(17): 3376 – 3387.

Araujo RA, Araújo JGF, Morais AS, Silva AT. Cooperativa de resíduos sólidos: A potencialidade da organização dos catadores de Juara/MT. Ver. Eletr. Semana Acadêmica. [Internet].2018. Disponível em: https://semanaacademica.org.br/system/files/artigos/cooperativa.pdf

Araújor GC; bastos, HM. Cidadania, empreendedorismo social e economia solidária no contexto dos catadores cooperados de materiais recicláveis. Revistas Unicentro. 2015;(13):4.

Baptista, VF. As políticas públicas de coleta seletiva no município do Rio de Janeiro: onde e como estão as cooperativas de catadores de materiais recicláveis?. SCIELO. 2015; (1):141-164.

Brasil. Lei n. 12.305, 02 ago. de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Disponível: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Lei/L12305.htm

Campos, VE. Gestão de resíduos sólidos urbanos: contribuições socioambientais de duas cooperativas de catadores de materiais recicláveis na região do Médio Paranapanema. [dissertation]. São Paulo: Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Assis: 2014. 137 p.

Conceição A. et al. Estudo de caso sobre a cooperativa de coleta seletiva, processamento de plástico e proteção Ambiental. Intercom– Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação XX Congresso de Ciências da Comunicação na Região Nordeste;2018;Juazeiro;BA;2018.

Custódio J. A importância das organizações na sociedade.[internet]Administradores.com.2013 abri 10. Disponível em: https://administradores.com.br/artigos/a-importancia-das-organizacoes-na-sociedade.

Marchi CMDF, Santana J. Projetos Sociais e Ambientais para o Fortalecimento dos Empreendimentos Econômicos Solidários de Catadores de Materiais Recicláveis. In: Marchi, C MDF. Gestão dos Resíduos Sólidos: conceitos e perspectivas de atuação. 1. ed., Curitiba: Appris Ltda, 2018. P. 185-198.

MNCR - Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis [internet]São Paulo: MNCR [citado 2019 em abri 10]. Setor de Comunicação MNCR. Disponível em: http://www.mncr.org.br/sobre-o-mncr/duvidas-frequentes/quantos-catadores-existem-em-atividade-no-brasil

Rodrigues GL, Feitosa, MJS, Silva. GFL. Cooperativas de reciclagem de resíduos sólidos e seus benefícios socioambientais: um estudo na coopecamarest em serra talhada –PE. Rev. Eletr. Metropolitana de Sustentabilidade. [Internet].2015 (5):18-35. Disponível em : evistaseletronicas.fmu.br/index.php/rms/article/view/352/0

Rodrigues ML, Malheiros TF, Fernandes V, Darós TD. A percepção ambiental como instrumento de apoio na gestão e na formulação de políticas públicas ambientais.Rev. Eletr. SCIELO [Internet]. 2012. Disponível em : https://www.scielosp.org/article/sausoc/2012.v21suppl3/96-110/.

Santos BL. Especial Olhar Cidadão: Falta de incentivo é obstáculo para os catadores.Jornal a Tarde [internet] 2019 Abri 14. Disponivel em: https://atarde.uol.com.br/bahia/salvador/noticias/2051093-especial-olhar-cidadao-falta-de-incentivo-e-obstaculo-para-os-catadores.

Schwengber D. Qualidade vida e perfil socioeconômico de profissionais catadores de quatro cooperativas de resíduos sólidos da região metropolitana de porto alegre, rio grande do sul, brasil [dissertação]. Canoas: Centro Universitário La Salle – UNILASALLE;2015. 40 p.

Soares, D. L. C. Análise dos riscos ocupacionais e acidentes de trabalho em catadores de resíduos sólidos em Cooperativas de Ceilândia [monografia]. Ceilândia: Universidade de Brasília –UNB;2014.

Tamanaga B, Almeida C, Itani A, Macdowell SF. Cooperativa de catadores Mofarrej em São Paulo. Diagnóstico socioambiental. Rev. Eletr.InterfacEHS - Saúde, Meio Ambiente e Sustentabilidade [Internet]. 2016. (11):142-160. Disponível em: http://www3.sp.senac.br/hotsites/blogs/InterfacEHS/wp-content/uploads/2016/06/11.11.1.pdf.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130843529

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.