DORMI EXPECTADOR, ACORDEI PROTAGONISTA: REFLEXÕES SOBRE A TRANSIÇÃO DO DISCENTE PARA O DOCENTE NA FILOSOFIA

Ezequiel Redin

Resumo


O processo de formação de professores de Filosofia é complexo e ultrapassa as questões relacionadas ao fato de estar atrelado apenas a um expectador das aulas. No ensino de graduação de Filosofia no Brasil há muitos desafios para se romper na formação dos futuros docentes, inclusive, a condição de expectador. O trabalho objetiva refletir sobre o processo de formação nos cursos de Filosofia em âmbito de licenciatura e a sua relação com os percursos iniciais dos professores formados que ingressam na escola em suas primeiras imersões no contexto da docência. A problemática central envolve compreender a forma do ensino de filosofia através de suas experiências como estudantes e que, posteriormente, são reproduzidas como docentes de Filosofia. Para tanto, tratamos de compreender os métodos, as formas de ensinar e aprender nos cursos de licenciatura e o que essas relações influenciam no futuro da sua prática docente nas escolas de ensino médio.


Palavras-chave


Docência; Ensino; Filosofia; Formação

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Dalton José. A filosofia no ensino médio: ambuiguidades e contradições na LBD. Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2002.

ARAGÃO, José Euzébio de Oliveira Souza. As políticas de avaliação e a qualidade do ensino superior brasileiro na ótica dos gestores de cursos de graduação. Revista de Educação, Ciência e Cultura, v. 17, n.1, p. 51-65, jan./jun. 2012.

ASPIS, Renata Lima. Ensino de filosofia e resistência e sub versões e. Polyphonía, v. 23, n.2, p.63-77, jul./dez. 2012.

CERLETTI, Alejandro. O ensino de filosofia como problema filosófico. Tradução de Ingrid Muller Xavier. Belo Horizonte: Autêntica editora, 2009.

FAVARETTO, Celso Fernando. Notas sobre o ensino de filosofia. In: ARANTES, Paulo Eduardo. (ORG.). A filosofia e seu ensino. São Paulo: Educ, 1993. 96p.

FERREIRA, Aurelio Buarque de Holanda. Minidicionário da língua portuguesa. 3.ed. Rio de Janeiro: Nova fronteira, 1993.

FOLLE, Alexandra.; POZZOBON, Maria Elizete.; BRUM, Carina Fátima. Modelos de ensino, nível de satisfação e fatores motivacionais presentes nas aulas de Educação Física. Revista da Educação Física/UEM, Maringá, v. 16, n. 2, p. 145-154, ago./dez. 2005.

GALLO, Sílvio.; KOHAN, Walter Omar. (Orgs.). Filosofia no ensino médio. 3. ed. Petrópolis-RJ: Vozes, 2001.

GRISOTTO, Américo.; GALLO, Sílvio. A filosofia como disciplina escolar. Revista do NESEF Filosofia e Ensino, v. 2, n.2, p. 5-19, fev./mai. 2013.

LUFT, Celso Pedro. Reprodução. Minidicionário Luft. São Paulo, Ática, 2000.

KANT, Immanuel. Anúncio do Programa do Semestre de Inverno de 1765-1766. In: WALFORD, David.; MERBOTE, Ralf. Theoretical Philosophy, 1755-1770. Cambridge University Press, 1992.

OBIOLS, Guillermo. Uma introdução ao Ensino da Filosofia. Ijuí, Rio Grande do Sul: Unijuí, 2002. 144p.

PERINE, Marcelo. Apreendendo e ensinando a filosofar. In.: CARVALHO, Marcelo.; CORNELLI, Gabriele. (Orgs.). Ensinar Filosofia. v. 2. Cuiabá: Central de Texto, 2013. p. 149-162.

POZZOBON, Maria Elizete.; FOLLE, Alexandra.; SOUZA, Volnei Antonio de. Nível de satisfação profissional de escolares submetidos a um programa de jogos esportivos modificados. Revista Científica do JOPEF, Curitiba, v. 3, n. 4, p.131-134, 2006.

RAMOS, Cesar Augusto. Aprender a filosofar ou aprender a filosofia: Kant ou Hegel? Trans/Form/Ação, Marília, v. 30, n.2, p.197-217, 2007.

TOMAZETTI, Elisete Medianeira.; SCHLICKMANN, Vitor. Escola, ensino médio e juventude: a massificação de um sistema e a busca de sentido. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 42, n. 2, p. 331-342, jun. 2016.

YOUNG, Michel. Para que servem as escolas. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 101, p. 1287-1302, set./dez. 2007.




DOI: https://doi.org/10.5902/2448065736471

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

A Revista Digital de Ensino de Filosofia - REFilo agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

_____________________________________________________________