https://periodicos.ufsm.br/refilo/issue/feed Revista Digital de Ensino de Filosofia - REFilo 2024-05-28T15:14:34-03:00 Revista Digital de Ensino de Filosofia - REFilo refilo@ufsm.br Open Journal Systems <p style="text-align: justify;">A<strong> Revista Digital de Ensino de Filosofia - REFilo</strong>, vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Educação, da Universidade Federal de Santa Maria, tem como objetivo publicar produções científicas sobre <strong>Ensino e Aprendizagem de Filosofia</strong>, em diferentes perspectivas teóricas. A REFilo publica apenas textos originais, com relevância científica, abrangência do tema, inovação, boa estrutura teórica e metodológica e contribuição para a área. Por isso, a Revista não aceita trabalhos encaminhados simultaneamente para outro periódico ou livro. A Revista é digital e tem publicação contínua, assim como recebimento contínuo de artigos, o que possibilita o envio de texto a qualquer momento para avaliação. Não há cobrança de taxa para submissão, avaliação e nem publicação dos artigos. Os textos publicados apresentam resultados de experiências escolares e/ou não escolares, de pesquisas de mestrado e doutorado, assim como relatos de experiência com interlocução com obras e autores de referência da área, projetos de ensino e extensão e trabalhos de conclusão de curso. A Revista também publica dossiês, resenhas bibliográficas, entrevistas e traduções, com temáticas vinculadas aos objetivos da Revista.</p> <p style="text-align: justify;"><strong>eISSN 2448-0657 | Qualis/CAPES (2017-2020) = B1</strong></p> https://periodicos.ufsm.br/refilo/article/view/85663 Relato de experiência sobre as manifestações da barbárie no ambiente escolar: o encontro entre a educação emancipatória de Theodor Adorno e a literatura transgressora de Georges Bataille como práxis filosófico-literária 2023-11-23T09:31:01-03:00 Francisco Atualpa Ribeiro Filho farf25@gmail.com <p>O presente relato de experiência visa apresentar em linhas gerais a pesquisa sobre o encontro entre a educação emancipadora de Theodor Adorno e a literatura transgressora de Georges Bataille. Busca problematizar e refletir sobre como romper os cenários de violência no ambiente escolar sem fazer uso de princípios normativos e moralizantes. Discute e evidencia sobre a importância do diálogo entre literatura e filosofia, pois esta última sozinha não consegue atingir reflexivamente os estudantes. Encontra-se em Bataille a chance à transgressão, ao erro, à emoção como oportunidade filosófico-literária de ressignificar posturas preconceituosas. As atividades emancipadoras como produção de documentários, autobiografias, performances foram desenvolvidas pelos estudantes do terceiro ano do ensino médio do Colégio Estadual Nossa Senhora Aparecida no município de Formosa do Rio Preto-BA. O norte bibliográfico da pesquisa encontra-se nos textos Educação e emancipação (2006), Dialética negativa (2009) de Adorno e A história do olho (2018) e A literatura e o mal (2015) de Bataille. A metodologia de cunho qualitativo proporciona a reflexão das narrativas dos estudantes como autores de seu próprio projeto de vida.</p> 2024-02-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Digital de Ensino de Filosofia - REFilo https://periodicos.ufsm.br/refilo/article/view/86285 As possibilidades de pensar a educação e a formação docente pelo PIBID: experiência com as visualidades na educação 2024-04-18T08:52:23-03:00 Brunno Amâncio brunnofilo@gmail.com Carolina Romanazzi carolina.romanazzi@edu.unirio.br <p>O presente relato traz reflexões sobre como o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) têm um papel importante na formação docente. Apresentamos dois relatos que emergem da atuação no PIBID de Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro realizado no Colégio Estadual André Maurois e da Universidade Federal Fluminense realizado no Colégio Estadual Joaquim Távora e no Colégio Estadual Aurelino Leal. Pensar o ensino da filosofia como uma experiência intermediada por filmes é o ponto fulcral deste relato. Igualmente importante é o processo formativo docente que programas como PIBID proporcionam. Usamos como referência filósofos que se debruçam sobre o ensino da filosofia como experiência do pensamento, bem como documentos que nos permitem entender os objetivos da criação do programa.</p> 2024-04-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Digital de Ensino de Filosofia - REFilo https://periodicos.ufsm.br/refilo/article/view/85440 Uma curta introdução à escrita acadêmica e ao trabalho acadêmico 2024-05-22T10:49:09-03:00 Flavio Fontenelle Loque flavioloque@yahoo.com <p>Para os(as) estudantes de filosofia, a transição do Ensino Médio para o Ensino Superior implica deparar-se com um nível significativamente mais alto de exigência quanto à leitura e à escrita. Em especial nos períodos iniciais, umas das principais dificuldades enfrentadas pelos(as) estudantes decorre da ausência de uma compreensão clara (i) dos elementos estruturantes dos textos filosóficos, (ii) das características básicas dos gêneros de escrita acadêmica e (iii) de algumas tarefas corriqueiras do trabalho acadêmico. O presente artigo tem como objetivo elaborar uma explicação sintética desses três pontos e, ao final, fornecer uma orientação bibliográfica que permita um aprofundamento da compreensão de cada um deles.</p> 2024-06-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Digital de Ensino de Filosofia - REFilo https://periodicos.ufsm.br/refilo/article/view/86621 Filosofia com crianças: por uma literatura de vozes das infâncias 2024-02-12T10:08:27-03:00 Amanda Fernandes Rosa Bueno amanda.fr.bueno@unesp.br <p>Observa-se que as crianças estão às margens da nossa sociedade. Através da Sociologia da Infância, inicia-se a observação dos lugares que elas ocupam: surge a necessidade de registrar e pesquisar quais os olhares e concepções que as crianças têm sobre ser criança na nossa sociedade. Assim, esta pesquisa configura-se uma pesquisa-ação qualitativa, que apresentou como instrumento a entrevista embasada na Filosofia com Crianças. Aconteceram seis encontros que duraram uma média de uma hora cada um, entre os anos de 2022 e 2023. Eles foram realizados com os participantes que aceitaram estar nesta pesquisa e que fazem parte do Comitê das Crianças, atividade integrante do projeto Cidade das Crianças. As conversas foram gravadas, transcritas e analisadas. A literatura que as crianças propõem é uma literatura oral, que traz como principais enredos acontecimentos da escola e conflitos de gênero. Reconhece-se a potência do encontro entre a Filosofia com Crianças e a Sociologia da Infância.</p> 2024-03-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Digital de Ensino de Filosofia - REFilo https://periodicos.ufsm.br/refilo/article/view/85550 Um estudo decolonial sobre os livros didáticos de filosofia distribuídos pelo PNLD 2012, 2015 e 2018 2023-10-31T08:37:50-03:00 Jallys Mendes jallys_mendes@hotmail.com <p>Nas últimas décadas houve o aumento da produção de materiais didáticos destinados ao ensino de filosofia no Brasil. Um dos responsáveis por esse aumento é a oferta de livros didáticos de Filosofia pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), a partir de 2012. Diante dessa realidade, esse estudo tem por objetivos identificar nos livros didáticos de Filosofia aprovados pelo PNLD filosofias latino-americanas, analisar as representações dos cenários, paisagens e povos latino-americanos nas figuras e imagens desses livros didáticos e refletir sobre as ausências e presenças de filosofias e filósofos não europeus nos livros didáticos de Filosofia distribuídos pelo PNLD. Como problema central, coloca-se a seguinte questão: Qual a relevância dada ao pensamento filosófico latino-americano ou brasileiro nos livros didáticos de Filosofia distribuídos pelo PNLD 2012, 2015 e 2018? Quanto metodologia será realizada uma pesquisa exploratória dos materiais didáticos. Assim, recorreu-se ao referencial teórico de Aníbal Quijano (2005), Roberto Gomes (1994) e Silveira (2020). Portanto, sem esgotar a complexidade dessa temática, foi considerado à guisa de conclusão que os livros didáticos de Filosofia adquiridos e distribuídos pelo PNLD 2012, 2015 e 2018, não contemplam uma abordagem decolonial e, mesmo assim,contribuem para uma introdução aos estudos filosóficos gerais.</p> 2024-04-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Digital de Ensino de Filosofia - REFilo https://periodicos.ufsm.br/refilo/article/view/85448 Poder, expertise acadêmica, barbárie: o Projeto Manhattan e o sentido da educação 2024-03-05T14:45:15-03:00 Bárbara Romeika Rodrigues Marques barbara.marques@cefet-rj.br <p>O que a experiência do Projeto Manhattan (1942-1946), a bilionária mobilização norte-americana para o desenvolvimento de armas nucleares, dá a pensar sobre o sentido da educação? O que um projeto de pesquisa e desenvolvimento circunscrito na razão-domínio tem a revelar da relação entre poder, saber acadêmico e barbárie? Este texto problematiza a relação entre a racionalidade instrumentalizada e a educação no mundo moderno e, para tal, discute a expertise científica e acadêmica na composição do Projeto Manhattan. Destaca as ruínas da razão-domínio com o modelo da escolarização atrelada aos parâmetros operacionais e propõe a hipótese da indissociabilidade entre a formação acadêmica e a incumbência em consolidar a reflexão crítica em cada atividade. Conclui com a defesa de que eventos como Hiroshima e Nagasaki intensificam o compromisso da educação em disputar as perspectivas do processo civilizatório em contraposição à barbárie.</p> 2024-06-14T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Digital de Ensino de Filosofia - REFilo https://periodicos.ufsm.br/refilo/article/view/86504 Contornos curriculares do ensino de filosofia no ensino médio em teses doutorais defendidas após a MPV 746/2016 2024-05-13T09:21:32-03:00 Kleber Santos Chaves kleber.ksc2@gmail.com Benedito Gonçalves Eugênio benedito.eugenio@uesb.edu.br <p>Apresentamos no artigo em tela os resultados de uma Revisão Sistemática de Literatura (RSL) cujo objetivo de pesquisa foi indicar os contornos curriculares do ensino de Filosofia no ensino médio em um corpus formado por sete teses cuja investigação atravessou, simultaneamente, o campo do Currículo, do Ensino de Filosofia e do Ensino Médio e que tenham sido defendidas no Brasil após a Reforma dessa etapa da educação básica (MPV 746/2016, convertida na Lei 13.415/2017) até 2022. Para tanto, nos aportamos teoricamente na Teoria do Discurso de Ernesto Laclau e Chantal Mouffe e nas curriculistas Alice Lopes e Elizabete Macedo. Metodologicamente nos inspiramos na Análise de Conteúdo de Laurence Bardin e nos procedimentos da RSL, adaptados da indicação de Maria Cristiane Galvão, Ivan Luiz Ricarte e Chitu Okoli. Compreendemos com a pesquisa que há uma divergência entre a ambiência criada pela Reforma e pela Base Nacional Comum Curricular e as necessidades apontadas nas teses para um ensino filosófico.</p> 2024-06-14T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Digital de Ensino de Filosofia - REFilo https://periodicos.ufsm.br/refilo/article/view/87809 Da filosofia própria e apropriada à didática filosófica mínima: notas introdutórias 2024-05-28T15:14:34-03:00 Alexsandro da Silva Marques amarques89@hotmail.com <p>O artigo apresenta as contribuições do pensamento filosófico de Dante Galeffi em defesa de uma didática filosófica mínima para o ensino de filosofia e o conceito de filosofia própria e apropriada, inseridos no contexto da formação humana. A metodologia utilizada é teórico-bibliográfica, de natureza qualitativa de abordagem analítico-hermenêutica. As questões mobilizadoras são: qual o significado de uma filosofia própria e apropriada e como se relaciona com o aprendizado filosófico? Como a Didática Filosófica Mínima se diferencia ou avança em relação à Didática Geral? Diante dessas questões, o texto é estruturado em três partes: inicialmente, localiza-se a perspectiva poemático-pedagógica da filosofia própria e apropriada, abordando suas influências teóricas e conceitos fundantes. Em seguida, examina-se a didática em filosofia, tratando-a como um problema filosófico. Por último, interpela-se a didática filosófica mínima, considerando-a uma via de acesso ao aprendizado filosófico em diferentes níveis de ensino. Nas considerações finais, revisita-se a problemática discutida e destaca-se a importância de uma didática que seja flexível e aberta ao acontecimento da prática filosófica. Assim, a didática filosófica mínima, fundamentada na compreensão poemático-pedagógica de uma filosofia própria e apropriada, é uma possibilidade de vivência conectiva gestada no espaço de liberdade poética, enfatizando a necessidade de promover o florescimento humano em direção a uma sustentabilidade triética: social, mental e ambiental.</p> 2024-07-10T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 Revista Digital de Ensino de Filosofia - REFilo