Status sociométrico de alunos com deficiência intelectual e com transtorno do espectro do autismo na educação infantil e ensino fundamental

Cristiane Makida Dyonisio, Roberto Gimenez

Resumo


O presente estudo teve por objetivo comparar o status sociométrico de alunos com deficiência intelectual e com transtorno do espectro do autismo (TEA) nos âmbitos da Educação Infantil (EI) e do Ensino Fundamental (EF). Participaram deste estudo 51 indivíduos, dos quais 25 estavam matriculados na EI e 26 no EF. O instrumento utilizado correspondeu à Sociometria, que possibilita identificar o nível de aceitação ou rejeição de indivíduos em situações de grupo. Para tanto, foi aplicado um teste sociométrico, com o intuito de indagar, a todos os educandos, sobre a preferência de escolhas em nível social, uma de caráter positivo (aceitação em relação ao grupo) e outra, negativo (rejeição em relação ao grupo). Todos foram submetidos ao teste, entretanto, foram analisados os resultados de duas crianças em cada nível da Educação Básica, totalizando 4 estudantes-alvo: duas crianças com deficiência intelectual e outras duas diagnosticadas com TEA. A partir da aplicação do teste, foi possível identificar o status dos indivíduos em seu grupo social. Os resultados obtidos apontaram que os alunos-alvo da Educação Infantil apresentaram status de isolado e excluído. Em contrapartida, os alunos do Ensino Fundamental apresentaram um status sociométrico mais positivo, como o de não-excluído e popular. Conclui-se que o tempo de convívio entre os sujeitos é um fator determinante na criação de vínculo. Além disso, identificou-se que, mais do que a deficiência, a dimensão subjetiva parece ser um fator crucial no processo de interação.


Palavras-chave


Interação Social; Educação Infantil; Ensino Fundamental.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ALMEIDA, Aline Castro. Ensino Fundamental de nove anos: alfabetização e letramento com crianças de seis anos. 2012. 102 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado em Educação, Educação, Universidade Federal São João del Rei, São João del Rei, 2012.

ALVES, Danny José. O teste sociométrico: sociogramas. Porto Alegre: Editora Globo, 1972.p.128.

ANHÃO, Patrícia Páfaro Gomes; PFEIFER, Luzia Iara; SANTOS, Jair Lício dos. Interação social de crianças com síndrome de Down na Educação Infantil. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 16, n. 1, p.31-46, jan. 2010.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorder DSM-V. Draft, 2018.

BAGAROLLO, Maria Fernanda; RIBEIRO, Vanessa Veis; PANHOCA, Ivone. Anautisticchild's play fromthe cultural-historical perspective. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 19, n. 1, p. 107-120, 2013.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira. Culturas escolares, culturas de infância e culturas familiares: as socializações e a escolarização no entretecer destas culturas. Rev. Educação e Sociedade, vol. 28, n° 100, 2007, p.1059-1083.

BATISTA, Marcus Welby; ENUMO, Sônia Regina Fiorim. Inclusão escolar e deficiência mental: análise da interação social entre companheiros. Estudos em Psicologia. v. 9, n. 1, p.101-111, abr. 2004.

BAYDIK, Berrin; BAKKALOĞLU, Hatice. Predictors of Sociometric Status for Low Socioeconomic Status Elementary Mainstreamed Students with and without Special Needs. Educational Sciences: Theory & Practice. v.9 n.2, Spring, p. 435-447, 2009.

BEIERS, Kevin; DERBY, K. Mark; MCLAUGHLIN, T. F. Increasing social interactions using prompts and rewards for adolescents with ASD in an ice hockey practice context. Educational Research Quarterly, v. 39, n. 3, p. 40, 2016. Disponível em: https://search.proquest.com/openview/f37b204c2af84b0bffa958129d7e643e/1?pq-origsite=gscholar&cbl=48020 Acesso em: 19/02/2018.

BOCK, Marjorie. The impact of social behavioral strategy training on the social interaction skills of four students with Asperger Syndrome. Focus on Autism and Other Developmental Disabilities. v.4, n.2. p. 45-57, 2007. https://doi.org/10.1177/10883576070220020901

CAMARGO, Síglia Pimentel Höher; BOSA, Cleonice Alves. Competência social, inclusão escolar e autismo: revisão crítica da literatura. Revista Psicologia & Sociedade; vol.21, n.1, 2009. P. 65-74.

CAMARGO, Síglia Pimentel Höher et al. Behaviorally based interventions for teaching social interaction skills to children with ASD in inclusive settings: a meta-analysis. Journal of Behavioral Education, v. 25, n. 2, p. 223-248, 2016. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s10864-015-9240-1. Acesso em: 16/02/2018.

CÉSAR, Margarida; SANTOS, Nuno. From exclusion to inclusion: Collaborative work contributions to more inclusive learning settings. European Journal of Psychology of Education, v. 21, n. 3, p. 333, 2006. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/BF03173420. Acesso em: 16/02/2018.

CLEGG, Jennifer; MURPHY, Elizabeth; ALMACK, Kathryn; HARVEY, Anna. Tensions around inclusion: Reframing the moral horizon. Journal of Applied Research in Intellectual Disabilities, v. 21, n. 1, p. 81-94, 2008. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/j.1468-3148.2007.00371.x Acesso em: 16/02/2018.

CUCKLE, Pat; WILSON, June. Social relationships and friendships among young people with Down’s syndrome in secondary schools. British Journal of Special Education, v. 29, n. 2, p. 66-71, 2002. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/1467-8527.00242. Acesso em: 19/02/2018.

DALBOSCO, Claudio Almir. Formas de reconhecimento e força intersubjetiva de grupo. Educação e Sociedade, Campinas, v. 36, nº. 131, p. 325-341, abr.-jun., 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/ES0101-73302015137308. Acesso em: 04/12/2019.

EDLER DE CARVALHO, Rosita. Panorama Internacional da Integração: enfoque nacional. Revista Integração, v.12, n. 3, 1991, p.9-13.

FERREIRA, Elizângela Fernandes; MUNSTER, Mey de Abreu van. Avaliação das Habilidades Sociais de Crianças com Deficiência Intelectual sob a Perspectiva dos Professores. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 23, n. 1, p. 97-110, 2017.

GIMENEZ, Roberto. A inclusão de crianças com dificuldades motoras nas aulas de educação física: o que fazer com o último a ser escolhido no time? In: GIMENEZ, Roberto& FREITAS, Alessandro (orgs). Educação física inclusiva na Educação Básica: reflexões, propostas e ações. Curitiba: CRV, 2015. p.245-258.

GIMENEZ, Roberto; ONHA, Amanda Melges. Educação Física Inclusiva: Impactos da Tutoria no Desempenho de Jovens com Deficiência Intelectual num Jogo Pré-Desportivo. Cadernos de Pesquisa: Pensamento Educacional, v. 11, n. 28, p. 169-188, 2016. Disponível em: http://seer.utp.br/index.php/a/article/view/317. Acessou 19/02/2018.

GOMES, Rosana Carvalho, NUNES, Debora Regina de Paula. Interações comunicativas entre uma professora e um aluno com autismo na escola comum: uma proposta de intervenção. Educação e Pesquisa, v.40, n.1, p.143-161, 2014.

GONÇALVES, Viviane Oliveira; SILVA, Kelly Suêmia Dutra; FERNANDES, Denise Pereira; FERREIRA, Lorena Barbosa. Educação Física adaptada e avaliação: um caminho para o trabalho motor em alunos com deficiência mental. Pensar a Prática, v. 7, n. 2, p. 231-244, 2004.

GREENWAY, Carol. Autism and Asperger syndrome: Strategies to promote prosocial behaviours. Educational Psychology in Practice, v. 16, n. 4, p. 469-486, 2000. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/713666112. Acesso em: 16/02/2018.

GURALNICK, Michael J. Involvement with peers: comparisons between young children with and without Down’s syndrome. Journal of Intellectual Disability Research, v. 46, n. 5, p. 379-393, 2002. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1046/j.1365-2788.2002.00405.x. Acesso em: 17/02/20018.

HARRIS, Judith Rich. Where Is the Child's Environment? A Group Socialization Theory of Development. Psychological Review, Middletown, New Jersey, v. 102, n. 3, p.458-489, 1995.

HARRIS, Judith Rich. Diga-me com quem anda... Rio de Janeiro: Objetiva 1999.

HOUSTON-WILSON, Cathy, LIEBERMAN, L. Strategies for teaching students with autism in physical education. Journal of Physical Education Recreation and Dance v 24, p. 40-44, 2013. https://doi.org/10.1080/07303084.2003.10609218

ILYAS, Zahida; SHAHED, Sarah. An impact of perceived social support on old age well being mediated by spirituality, self steem and ego integrity.Journal of religion and Health. v.4, n.3, p.1-18, 2020. https://doi.org/10.1007/s10943-019-00969-6

INEP - INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sinopse da Educação Básica 2012. Brasília. INEP, 2019. Disponível em: http://inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas-da-educacao-basica Acesso em: 12/09/2019.

INEP - INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Sinopse da Educação Básica 2018. Brasília. INEP, 2019. Disponível em: http://inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas-da-educacao-basica Acesso em: 12/09/2019.

JOHNSON, Hilary; DOUGLAS, Jacinta; BIGBY, Christine; IACONO, Teresa. Social interaction with adults with severe intellectual disability: Having fun and hanging out. Journal of Applied Research in Intellectual Disabilities, v. 25, n. 4, p. 329-341, 2012. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/j.1468-3148.2011.00669.x. Acesso em: 19/02/2018.

KIRKEBY, Inge Mette; GRANGAARD, Sidse. Can we build inclusion? Studies in health technology and informatics, In. PETRIE, Helen; DARZENTAS, J.; WALSH, Tanja (Ed.). Universal Design 2016: Learning from the Past, Designing for the Future: Proceedings of the 3rd International Conference on Universal Design (UD 2016), York, United Kingdom, August 21–24, 2016. IOS Press, 2016. p. 246-255

LACEY, Penny. The role of learning support assistants in the inclusive learning of pupils with severe and profound learning difficulties. Educational Review, v. 53, n. 2, p. 157-167, 2001. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/00131910120055589. Acesso em: 17/02/2018.

LEMOS, Emellyne Lima de Medeiros Dias; SALOMÃO, Nádia Maria Ribeiro; AGRIPINO-RAMOS, Cibele Shírley. Inclusão de crianças autistas: um estudo sobre interações sociais no contexto escolar. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 20, n. 1, p. 117-130, 2014.

LOPES, Lene Wilma Rodrigues; MAGALHAES, Celina Maria Colina; MAURO, Patrícia Izar. Interações entre pré-escolares: possibilidades e análises. Psicologia: Ciência e Profissão, v.23, n.4, p.88-97, 2003.

LORENZ, Korand. Os fundamentos da etologia (Tradução de Pedro Melo Cruz e Carlos Alberts). Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 1995.

MACKAY, Tommy; KNOTT, Fiona; DUNLOP, Aline‐Wendy. Developing social interaction and understanding in individuals with autism spectrum disorder: A groupwork intervention. Journal of Intellectual and Developmental Disability, v. 32, n. 4, p. 279-290, 2007. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/13668250701689280. Acesso em: 17/02/2018.

MAKIDA–DYONISIO, Cristiane. Inclusão escolar: uma análise sobre os contextos sociais e físicos na Educação Infantil e no Ensino Fundamental. 2017. 137p. Dissertação de Mestrado em Educação. Universidade Cidade de São Paulo, São Paulo, 2017.

MAKIDA–DYONISIO, Cristiane; MARTINS, Ida Carneiro; GIMENEZ, Roberto. Inclusão escolar: uma reflexão sobre a transição da Educação Infantil para o Ensino Fundamental. Comunicações, v. 23, n. 2, p. 207-224, 2016. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacoes/article/view/2819 . Acesso em: 16/02/2018.

MEYER, Luanna H. The impact of inclusion on children's lives: Multiple outcomes, and friendship in particular. International Journal of Disability, Development and Education, v. 48, n. 1, p. 9-31, 2001. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/10349120120036288. Acesso em: 19/02/2018.

MOLINA, Renata Cristina Moreno; DEL PRETTE, Almir. Mudança no status sociométrico negativo de alunos com dificuldades de aprendizagem. Psicologia Escolar e Educacional, v.11, n.2. p.299-310, 2007.

NEGRINI, Tatiane; COSTA, Leandra Costa da; ORTIZ, Leodi Conceição Meireles; FREITAS, Soraia Napoleão. Acessibilidade na agenda da inclusão social e educacional. Revista Educação Especial, v. 1, n. 1, p. 287 – 297, 2010.

ODOM, Samuel L. Preschool Inclusion: what we Know and where we go from here? TESCE, v.20, n.1, 2000. p.20-27.

OLIVEIRA, Marta Kohl De. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento: um processo sócio-histórico. São Paulo: Scipione, 1997. 112 p.

ORSMOND, Gael I.; KRAUSS, Marty Wyngaarden; SELTZER, Marsha Mailick. Peer relationships and social and recreational activities among adolescents and adults with autism. Journal of autism and developmental disorders, v. 34, n. 3, p. 245-256, 2004.Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1023/B:JADD.0000029547.96610.df. Acesso em: 17/08/2018.

PADILHA, Anna Maria Lunardi; OLIVEIRA, Ivone Martins (Orgs.). Educação para todos: as muitas fases da inclusão escolar. Campinas, São Paulo: Papirus, 2013.

PAWSON, Nicole; RAGHAVAN, Raghu; SMALL, Neil; CRAIG, Sue; SPENCER, Marion. Social inclusion, social networks and ethnicity: the development of the Social Inclusion Interview Schedule for young people with learning disabilities. British Journal of Learning Disabilities, v. 33, n. 1, p. 15-22, 2005. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/j.1468-3156.2004.00270.x. Acesso em: 19/02/2018.

PICHON-RIVIÈRE, Enric. Teoria do vínculo. São Paulo. Ed. Martins Fontes.2000. p.129.

PIJL, Sip Jan; FROSTAD, Per; FLEM, Annlaug. The social position of pupils with special needs in regular schools. Scandinavian Journal of Educational Research. v.52, n.4, p. 387-405, 2008. Disponível em: https://www.rug.nl/research/portal/publications/the-social-position-of-pupils-with-special-needs-in-regular-schools(96644222-dbd3-478c-b7f6-aec06d42bdca)/export.html

QI, Jing; HA, Amy S. Inclusion in Physical Education: A review of literature. International Journal of Disability, Development and Education, v. 59, n. 3, p. 257-281, 2012. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/1034912X.2012.697737 . Acesso em: 19/02/2018.

REIS, Helena Isabel Silva; PEREIRA, Ana Paula da Silva; ALMEIDA, Leandro S. Características e especificidades da comunicação social na perturbação do espectro do autismo. Revista Brasileira de Educação Especial, v. 22, n. 3, p. 325-336, 2016.

RIX, Jonathan; HALL, Kathy; NIND, Melanie; SHEEHY, Kieron; WEARMOUTH, Janice. What pedagogical approaches can effectively include children with special educational needs in mainstream classrooms? A systematic literature review. Support for learning, v. 24, n. 2, p. 86-94, 2009. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/j.1467-9604.2009.01404.x . Acesso em: 12/02/2018.

RHEAMS, Theresa Arceneaux; BAIN, Sherry K. Social interaction interventions in an inclusive era: Attitudes of teachers in early childhood self‐contained and inclusive settings. Psychology in the Schools, v. 42, n. 1, p. 53-63, 2005. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/pits.20029. Acesso em: 16/02/2011.

SÁ, Maria das Graças Carvalho Silva de; SIQUARA, Zelinda Orlandi; CHICON, José Francisco. Representação simbólica e linguagem de uma criança com autismo no ato de brincar. Revista Brasileira de Ciências do Esporte [online],vol.37, n.4, pp.355-361, 2015. Disponível em http:http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101- Acesso em: 18/02/2018.

SANDERSON, Patricia. The arts, social inclusion and social class: the case of dance. British Educational Research Journal, v. 34, n. 4, p. 467-490, 2008. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1080/01411920701609349. Acesso em: 18/02/2018.

SANTOS, Claudielda Nunes da Silva; et al. A CONTRIBUIÇÃO DAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA PARA A INCLUSÃO DO ALUNO COM TEA. Encontro Alagoano de Educação Inclusiva, v.1, n.1, 2017. Disponível em: http://www.seer.ufal.br/index.php/eaei/article/view/3814 . Acesso em: 04/12/2019.

SANTOS, Fabio Xavier; MARTINS, Ida Carneiro; GIMENEZ, Roberto. O brincar e os contextos físicos escolares: uma reflexão sobre a Educação Infantil no município de São Paulo. Revista Ambiente @educação, v.12, n.1, p.177-191, 2019.

SILVA, T.T.S. (org.) Identidade e Diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

SOUZA Vera. Recursos alternativos para o desenvolvimento da comunicação. In: NUNES, Leila Regina. (Org.). Favorecendo o desenvolvimento da comunicação em crianças e jovens com necessidades educacionais especiais. Rio de Janeiro: Dunya. 2003. p. 219-233.

STAINBACK, Susan. & STAINBACK, William. Inclusão: um guia para educadores. Porto Alegre. Artmed. 1999.

TACHIBANA, Yoshiyuki et al. A systematic review and meta-analysis of comprehensive interventions for pre-school children with autism spectrum disorder (ASD). PloSone, v. 12, n. 12, p. e0186502, 2017. Disponível em: http://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0186502 .Acesso em: 16/02/2018.

TURNER, John C; HOGG, Michael A; OAKES, Penelope J; REICHER, Stephen D; WETHERELL, Margaret S. Rediscovering the social group: A self-categorization theory. BasilBlackwell, 1987.

VYGOTSKY, Lev. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores, São Paulo: Martins Fontes, 1994.

WAINMAN, Briony M; WALKER, Sue; BROWNLEE, Joanne M.; BOULTON-LEWIS, Gillian M.; COBB-MOORE, Charlotte; JOHANSSON, Eva; WHITEFORD, Chrystal. Young children’s beliefs about including others in their play: Social and moral reasoning about inclusion and exclusion. Australasian Journal of Early Childhood, v. 37, n. 3, p. 137-146, 2011. Disponível em: https://eprints.qut.edu.au/45872/2/45872.pdf. Acesso em: 19/02/2018.

WENDELBORG, Christian; KVELLO, Øyvind. Perceived social acceptance and peer intimacy among children with disabilities in regular schools in Norway. Journal of Applied Research in Intellectual Disabilities, v. 23, n. 2, p. 143-153, 2010. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/j.1468-3148.2009.00515.x . Acesso em: 16/02/2018.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984686X36641

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOIhttp://dx.doi.org/10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação Especial agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

__________________________________________________