Reforma do Estado e políticas de avaliação da qualidade da Educação Básica no Brasil

Késia Silva Tosta, Marlon Gomes Ney, Renata Maldonado da Silva

Resumo


A partir da revisão bibliográfica este ensaio tem como objetivo identificar o percurso histórico e os alicerces de destaque da teoria neoliberal e sua influência no Brasil a partir do início da década de 1990. Esse período é marcado pela recente redemocratização do país e estabelecimento legal das políticas sociais, entre elas a política de educação. Mas nesse momento de consagração de direitos, começa o processo de reforma do estado. A política de educação teve destaque dentro das reformas neoliberais, no qual o principal instrumento utilizado foram as avaliações em larga escala. A partir da adoção de receituários neoliberais, vê-se a negação dos preceitos constitucionais e a deficitária afirmação de direitos sociais. Para análise e problematização dessa temática, este artigo se divide em duas partes: i) “A Reforma do Estado e seus desdobramentos na política de educação brasileira”, que aborda a emergência da teoria neoliberal, seu alastramento no Brasil e impacto na política de educação; e ii) “Avaliação em Larga Escala”, que trata a forma como se dá a avaliação de políticas sociais, em especial na educação básica em larga escala. Compondo o trabalho também há as seções de introdução e considerações finais.


Palavras-chave


Reforma do Estado; Avaliação; Política de Educação.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


AGUILAR, M. J. & ANDER-EGG E. Avaliação de serviços e programas sociais. Petrópolis: Vozes, 1994.

BARDANACHIVILI, Elaine. Avaliações nacionais ignoram processo de evolução da escola. Jornal do Brasil, 17 dez. 2000. Educação e Trabalho – empregos, p.3-5.

BEHRING, Elaine Rossetti. Brasil em contra-reforma: desestruturação do Estado e perda de direitos. 2ª edição – São Paulo: Cortez, 2008.

BONAMINO, Alicia Maria Catalano de.; SOUSA, Sandra Záquia. Três gerações de avaliação da educação básica no Brasil: interfaces com o currículo da/na escola. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.38, n.2, p.373-388, abr./jun.2012.

BONAMINO, Alicia Maria Catalano de. Tempos de avaliação educacional: o SAEB, seus agentes, referências e tendências. Rio de Janeiro: Quartet. 2002.

BONAMINO, Alicia Maria Catalano de; FRANCO, Crespo. Avaliação e política educacional: o processo de institucionalização do SAEB. Cadernos de Pesquisa, n.108, São Paulo: Fundação Carlos Chagas/Autores Associados, Nov.,p.101-132, 1999.

BOSCHETTI, Ivanete. Avaliação de Políticas, Programas e Projetos Sociais. In: CFESS;ABEPSS (org). Serviço Social: Direitos Sociais e Competências Profissionais. 1ª edição. Brasília: CFESS, 2009, v.1, p.575-592.

BROOKE, Nigel; CUNHA, Maria Amália de Almeida.; FALEIROS, Matheus. Avaliação Externa como instrumento da Gestão Educacional nos Estados. Relatório Final. GAME/FAE/UFMG. Agosto, 2011.

CÁRIA, Neide Pena; OLIVEIRA, Sandra Maria da Silva SALES. Avaliação em larga escala e a gestão da qualidade da educação. Revista de Ciências Humanas – Educação, FW, v. 16, n. 26, p. 22-40, Jul. 2015.

COMERLATTO, Luciani Paz; CAETANO, Maria Raquel. As parcerias público-privadas na educação brasileira e as decorrências na gestão da educação: o caso Instituto Ayrton Senna (IAS). In:

PERONI, Vera (org.) Redefinições das fronteiras entre o público e o privado: implicações para a democratização da educação. Brasília: Liber Livro, 2013. pp.175-204.

CURY, Carlos Roberto Jamil. Educação como direito social. Dicionário de Políticas Sociais/ Organizadores: Carmem Lúcia Freitas de Castro, Cynthia Rúbia Braga Gontijo, Antônio Eduardo de Noronha Amabile. Barbacena: EDUEMG, 2012.

DAGNINO, Evelina. ¿Sociedade civil, participação e cidadania: de que estamos falando? Em Daniel Mato (coord.), Politicas de ciudadania y sociedad civil em tiempos de globalización: FACES, Universidad Central de Venezuela, pp. 95 – 110, 2004.

DESLANDES, Suely Ferreira. Concepções em pesquisa social: Articulações com o campo da avaliação em serviços de saúde. Cadernos de Saúde Pública, nº13, p.103-107, 1997.

DOURADO, Luiz Fernandes. As transformações da sociedade contemporânea, o papel do Banco Mundial e os impactos na educação superior brasileira. In: SILVA, Rinalva Cassiano. (Org.). Educação para o século XXI: dilemas e perspectivas. Piracicaba: Editora UNIMEP, 1999.

FARIA, Carlos Aurélio Pimenta de. A Política da Avaliação de Políticas Públicas. Revista Brasileira de Ciências Sociais, Vol.20, nº59, Outubro de 2005.

FARIA, Regina. Avaliação de Programas Sociais: evolução e tendências. In: RICO, Elizabeth Melo (Org.). Avaliação de Políticas Sociais: uma questão em debate. São Paulo: Cortez: Instituto de Estudos Especiais, 1999, p.41-49.

FISCHER, Beatriz Terezinha. Daudt. Avaliação da aprendizagem: a obsessão pelo resultado pode obscurecer a importância do processo. In: Avaliação em larga escala:foco na escola. Flávia Obino Werle (org). São Leopoldo: Oikos; Brasília: Liber Livro, 2010.

FREITAS, Luiz Carlos. de. Eliminação Adiada: o caso das classes populares no interior da escola e a ocultação da (má) qualidade do ensino. Educação Sociedade, Campinas, vol.28, n.100 – Especial, p.965-987, out.2007.

FREITAS, Luiz Carlos de. A importância da avaliação: em defesa de uma responsabilização participativa. Em Aberto, Brasília, n.96, p.127-137, maio/ago, 2016.

HARVEY, David. O Neoliberalismo: histórias e implicações. Tradução: Adail Sobral e Maria Stela Gonçalves. Edições Loyola, Inglaterra, 2005.

LOPES, Karina Carrasqueira. A política de responsabilização educacional do município do Rio de Janeiro. 2013. 110 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós Graduação em Educação, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

MIOTO, Regina Célia Tamaso; NOGUEIRA, Vera Maria Ribeiro. Sistematização, Planejamento e Avaliação das ações dos assistentes sociais no campo da saúde. In: MOTA, Ana Elizabete et al. Serviço Social e Saúde: Formação e Trabalho Profissional. São Paulo: Cortez, 2007.

OLIVEIRA, Adailda Gomes de. Políticas educacionais e a qualidade da educação nos municípios fluminenses: alguns recortes. Ensaio: Avaliação de Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v.22, n.83, p.411-442, abr./jun.2014.

PARENTE, J. M. Gerencialismo e Performatividade na Gestão da Educação: repercussões no trabalho do diretor escolar. In: Política, Gestão e Financiamento da Educação/ Juliano Mota Parente, Cláudia da Mota Darós Parente. São Cristovão: Editora UFS, 2012.

PERONI, Vera Maria Vidal et al. Estado e Terceiro Setor: As novas regulações entre o público e o privado na gestão da Educação Básica Brasileira. Educação e Sociedade, Campinas, vol. 30, n. 108, p. 761-778, out. 2009.

PERONI, Vera Maria Vidal. Política Educacional e papel do Estado no Brasil dos anos 1990. São Paulo: Xamã, 2003.

PERONI, Vera Maria Vidal; ADRIÃO, Thereza. Público não-estatal: estratégias para o setor educacional brasileiro. In: PERONI, Vera;

ADRIÃO, Thereza (orgs). O público e o privado na educação: interfaces entre Estado e sociedade. São Paulo: Xamã, 2004. Pp137-153.

PESTANA, Maria Inês. O Sistema de avaliação brasileiro. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v.79, n.191, p.65-73. Jan-abr.,1998.

PISA. Média dos países em cada área. Disponível em: Acesso em: 20 de nov. 2014.

PISA. Programme for InternationalStudentAssessmentResultsFrom Pisa. Brazil – Country Note – Resultsfrom Pisa, 2012. Disponível em: Acesso em: 20 nov. 2014

PRATES, Jane Cruz. As pesquisas avaliativas de enfoque misto e a construção de indicadores para avaliação de políticas e programas sociais. XII Encontro Nacional de Pesquisdores em Serviço Social, Rio de Janeiro, 2010. Anais... Rio de Janeiro: ABEPSS, 2010.

RIBEIRO, Benvinda Barros Dourado. A Função Social da Avaliação Escolar e as Políticas de Avaliação da Educação Básica no Brasil nos anos 90: breves considerações. Inter-Ação: Revista da Faculdade de Educação. UFG, Jul./dez., 2002.

SANTOS, Jean Mac Cole Tavares. Exame Nacional do Ensino Médio: entre a regulação da qualidade do Ensino Médio e o vestibular. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n.40, p.195-205, abr./jun.2011. Editora UFPR.

SAVIANI, Demerval. O Plano de Desenvolvimento da Educação: análise do projeto do MEC. Educação e Sociedade, Campinas, v-28, n.100 – Especial p. 1231-1255, out. 2007.

SILVA, Ilse Gomes. A Reforma do Estado brasileiro nos anos 90: processo e contradições. IV Congresso Português de Sociologia, 2000, Coimbra. Cadernos de resumo, 2000. v.1.p.1-13.

SILVA, Maria Ozanira Silva e (org.). Avaliação de políticas e programas sociais: teoria e prática. São Paulo: Veras, 2001.

SOLANO, Cleonice Halfeld. As políticas educacionais gerencialistas e o PDE-Escola. In: RODRIGUES, Rubens Luiz (org.) Educação Escolar no século XXI. Juiz de Fora, MG: Editora UFJF, 2013 pp.79-97.

SOUSA, Sandra Zákia; Arcas, Paulo Henrique. Implicações da avaliação em larga escala no currículo: revelações de escolas estaduais de São Paulo. Educação: Teoria e Prática - v. 20, n.35, jul.-dez.-2010, p. 181-199.

SOUSA, Sandra Zákia. Concepções de qualidade da educação básica forjadas por meio de avaliações em larga escala. Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, v.19, n.2, p.407-420, jul. 2014.

TORRES, Rosa Maria. Melhorar a qualidade da educação básica? As estratégias do Banco Mundial. In: O Banco Mundial e as Políticas Educacionais. Livia de Tommasi, Mirian Jorge Warde, Sérgio Haddad. (org.) Cortez, 6ªed. 280p., 2007.

WERLE, Flávia Obino Corrêa. Sistema de avaliação da educação básica no Brasil: abordagem por níveis de segmentação. In: Avaliação em larga escala: foco na escola. Flávia Obino Werle (org). São Leopoldo: Oikos; Brasília: Liber Livro, 2010.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984644436288

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc - Prédio 16
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao


ISSN Eletrônico: 1984-6444

DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19846444

Qualis/Capes: Educação A1

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação (UFSM) agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY 4.0).

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________

    

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar