Da história dos índios às histórias indígenas: descolonizando o ensino de história

Nayara Silva de Carie, Pablo Luiz de Oliveira Lima

Resumo


A partir de uma problematização das representações sobre os povos indígenas presentes em coleções didáticas utilizadas no ensino de História, este artigo tem o objetivo de analisar o lugar social de produção do conhecimento sobre a história dos índios. Questiona-se a hegemonia de narrativas sobre história indígena, de caráter colonialista e construída a partir de versões não-indígenas, presentes nos livros didáticos de História. Ao lado disso, são valorizadas pesquisas e produções bibliográficas mais atualizadas, que buscam compreender o processo colonial por meio de versões indígenas, não somente a partir do campo da História, mas, também, dos campos da Arqueologia, da Etnologia e da Literatura de autoria indígena. A metodologia de pesquisa consistiu no levantamento e na análise crítica de estudos acadêmicos recentes nos campos da História e da educação indígena, assim como das narrativas que abordam histórias indígenas presentes nas coleções didáticas do segundo segmento do Ensino Fundamental aprovadas pelo Programa Nacional de Livros Didáticos do ano de 2017 (PNLD/2017). Por meio da crítica a uma história colonialista dos povos indígenas são apontados caminhos para a sua superação, utilizando pesquisas e narrativas construídas a partir das perspectivas dos próprios índios. Desse modo, pretende-se contribuir com a formação de professores nos cursos de Licenciatura em História, Pedagogia, Educação do Campo e Educação Indígena.


Palavras-chave


Educação Indígena, Ensino de História, História Indígena

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Maria Inês de. Desocidentada: experiência literária em terra indígena. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

ALMEIDA, Maria Regina Celestino de. Metamorfoses indígenas: identidade e cultura nas aldeias coloniais do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2003.

BRASIL. Congresso Nacional. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 1988. Disponível em . Acesso em: 10 out. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei 11.645/2008. Brasília, DF, 2008. Disponível em:Acesso em: 10 out. 2017.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei 12.711. Brasília, DF, 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer do MEC/CNE/CP n° 11/2009. Brasília, DF, 2009. Disponível em:. Acesso em: 4 nov. 2012.

BRASIL. Congresso Nacional. Plano Nacional de Educação. Lei 13.005/2014. Brasília, DF, 2014. Disponível em . Acesso em 11 nov. 2017.

BRASIL. Palácio do Planalto. Decreto 5.051/2004, promulga a Convenção no 169 da Organização Internacional do Trabalho - OIT sobre Povos Indígenas e Tribais. Brasília, DF, 2004. Disponível em . Acesso em 20 ago. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Orientações e Ações para a Educação das Relações étnico-Raciais. Brasília, DF, 2006. Disponível em:. Acesso em: 4 ago. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. Orientações curriculares nacionais para o ensino médio. Volume 1: Linguagens Códigos e suas Tecnologias. Brasília, DF, 2006. Disponível em:. Acesso em:4 nov. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica-SEB. PNLD 2017: história - Ensino fundamental anos finais/ Ministério da Educação - Secretaria de Educação Básica - SEB – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Brasília, DF, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica - SEB,.PNLD 2016: história - Ensino fundamental anos iniciais. Brasília, DF, 2016.

BARÉ, Índios. Histórias, mitos e lendas do povo Baré/comunidade Indígena Tabocal dos Pereira. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2007.

BARRETTO, E. S. S. (org.) Os Currículos do ensino fundamental para as escolas brasileiras. São Paulo: Fundação Carlos Chagas; Campinas: Autores Associados, 1998.

CAMARGO, Eliane; Villar, Diego et. al. (Orgs.) HuniKuinHiwepaunibuki /A história dos caxinauás por eles mesmos / La historia de loscashinahuas por ellosmismos. São Paulo: SESC São Paulo, 2013.

CUNHA, Manoela Carneiro (Org.) História dos índios no Brasil. São Paulo: Cia. Das Letras, 1992.

CUNHA, Manuela Carneiro. O efeito Lévi-Strauss: Anotações para uma conferência na USP. Tempo Brasileiro, v. 175, p. 120, 2009.

DIAS, Adriana; GRINBERG, Keila; PELLEGRINI, Marco. Vontade de Saber História, 7o ano. São Paulo: FTD, 2015.

DOMINGUES, Ângela. Quando os índios eram vassalos: colonização e relações de poder no Norte do Brasil na segunda metade do séc. XVIII. Lisboa: CNCDP, 2000.

ESPÍNDOLA, Haruf S. Sertão do Rio Doce. Bauru: EDUSC, 2005.

FARAGE, Nádia. As muralhas dos sertões: os povos indígenas no Rio Branco e a colonização. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.

FAUSTO, Carlos. Inimigos fiéis: história, guerra e xamanismo na Amazônia. São Paulo: EdUSP, 2002.

FERNANDES, Florestan. A função social da guerra na sociedade tupinambá. São Paulo: Globo, 2006.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1997.

_____________. Educação como Prática da Liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1971.

GIROUX, Henry. Escola Crítica e Política Cultural. São Paulo: Cortez, 1992.

GOMES, Nilma Lino. Educação e relações raciais: discutindo algumas estratégias de atuação. In: MUNANGA, Kabengele (org.) Superando o racismo na escola. Brasília: MEC, 1999.

_____________. Relações Étnico-Raciais, Educação e Descolonização dos Currículos. In: Currículo sem Fronteiras, v.12, n.1, pp. 98-109, Jan/Abr 2012.

GRANDE, Sandy. Red Pedagogy: Native American social and political thought. Lanham: Rowman&Littlefield, 2004.

KUENZER, A. Z. A formação de professores para o ensino médio: velhos problemas, novos desafios. In: Educação e Sociedade, Campinas, v. 32, n. 116, p. 667-688, jul.-set. 2011.

LAS CASAS, Bartolomé de. Brevísimarelación de ladestruición de lasIndias. Madrid: EdicionesCátedra, 1982.

LIMA, Amanda Machado Alves de. O livro indígena e suas múltiplas grafias. 2012. 155f. Dissertação – Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

MANN, Charles. 1491: new revelations of the Americas before Columbus. New York: Vintage Books, 2005.

MATTOS, Izabel Missagiade. Civilização e Revolta: os Botocudos e a catequese na Província de Minas. Bauru, SP: EDUSC, 2004.

MAXACALI, Índios. Peñahã: livro de Pradinho e Água Boa. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2005.

MAXAKALI, Índios. Hitupmã’ax: curar. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG; Cipó Voador, 2008.

MAXAKALI, Toninho [et al.]; Tugny, Rosângela (Org.). Xunimyõgkutex xi hemexyõgkutex. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2013.

METCALF, Alida. Go-betweens and the colonization of Brazil, 1500-1600. Austin: University of Texas Press, 2005.

_______________; DUFFY, Eve.The return of Hans Staden: a go-between in the Atlantic World. Baltimore: John Hopkins University Press, 2012.

MONTEIRO, John Manuel. Negros da terra: índios e bandeirantes nas origens de São Paulo. São Paulo: Cia. das Letras, 1994.

PEREIRA (ISKUHU), Edílson [etal.]. Shawãshãdipahu: histórias do povo Shawãdawa (Arara). Rio de Janeiro/Acre: Museu do Índio/CPI-AC, 2009.

POMPA, Cristina. Religião como Tradução: missionários, Tupi e Tapuia no Brasil Colonial. Bauru: Edusc, 2003.

PROFESSORES Indígenas de Rondônia e noroeste do Mato Grosso. Do açaí cada fruto uma história: narrativas dos povos indígenas de Rondônia e noroeste do Mato Grosso. Belo Horizonte: FALE/UFMG; Cipó Voador, 2009.

RICHTER, Daniel K. Facing East from Indian country: a native history of early America. Cambridge: Harvard University Press, 2001.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, M,ária Paula. Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SCHMIDT, Maria Auxiliadora; BARCA, Isabel; MARTINS, Estevão de Rezende (Org.). Jörn Rüsen e o ensino de história. Curitiba: Ed. UFPR, 2010.

VAINFAS, Ronaldo. A heresia dos índios: catolicismo e rebeldia no Brasil Colonial. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

VARNHAGEN, Francisco Adolpho de. História Geral do Brasil. Tomo 1. 5ª ed. São Paulo: Melhoramentos, 1953.

WITTMANN, Luísa Tombini. O vapor e o botoque: imigrantes alemães e índios Xokleng no Vale do Itajaí/SC (1850-1926). Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2007.

XAKRIABÁ, Índios; ALMEIDA, Maria Inês (Org.). Encontros traduções. Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2009.

Coleções didáticas analisadas:

ANASTASIA, Carla Maria Junho; RIBEIRO, Vanise Maria. Piatã: História. Curitiba: Positivo, 2015.

APOLINÁRIO, Maria Raquel. Projeto Araribá: História. São Paulo: Moderna, 2014.

AZEVEDO, Gislaine; SERIACOPI, Reinaldo. Projeto Teláris: História. São Paulo: Ática, 2015.

BERUTTI, Flávio. História para nosso tempo. Curitiba: Positivo,2015.

BOULOS JÚNIOR, Alfredo. História, sociedade e cidadania. São Paulo: FTD, 2015.

BRAICK, Patrícia Ramos. Estudar História: das origens do homem à era digital. São Paulo: Moderna,2015.

BUONO CALAINHO, Daniela; FERREIRA, Jorge; VAINFAS, Ronaldo; CASTRO FARIA, Sheila de. História.doc. São Paulo: Saraiva Educação, 2015.

CAMPOS, Flávio de; DOLHNIKOFF, Miriam; CLARO, Regina. História nos dias de hoje. São Paulo: Leya, 2015.

CERQUEIRA, Célia; PONTES, Maria Aparecida; SANTIAGO, Pedro. Integralis: História. São Paulo: IBEP,2015.

COTRIM, Gilberto; RODRIGUES, Jaime.Historiar. São Paulo: Saraiva Educação, 2015.

DIAS Adriana; GRINBERG, Keila; PELLEGRINI, Marco. Vontade de saber: História. São Paulo: FTD, 2015.

MOCELLIN, Renato; CAMARGO, Rosiane de. Projeto Apoema: História. São Paulo: Editora do Brasil,2015.

VAZ, Maria Luisa; PANAZZO, Silvia. Jornadas. Hist: História. São Paulo: Saraiva Educação,2015.

VICENTINO, Cláudio; VICENTINO, José Bruno. Projeto Mosaico: História. São Paulo: Scipione, 2015.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984644433309

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc - Prédio 16
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao


ISSN Eletrônico: 1984-6444

DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19846444

Qualis/Capes: Educação A1

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação (UFSM) agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY 4.0).

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________

    

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar