A deficiência e as concepções que conformam o campo da educação especial: permanências e rupturas em sua identidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/1984686X66151

Palavras-chave:

Deficiência, Educação Especial, Produção de conhecimento, Identidade.

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar, por meio de artigos publicados no periódico Revista Brasileira de Educação Especial, no período compreendido entre os anos de 1992 e 2015, as concepções subjacentes ao conceito de deficiência, empregadas pelos pesquisadores do campo, por meio da caraterização do alunado que o compõe, marcadas por determinados espaços e tempos históricos. Os textos foram selecionados a partir de critérios definidos a priori e analisados tendo por base o referencial teórico bourdieusiano. Como resultados, pode-se averiguar diferentes concepções subjacentes ao conceito de deficiência compondo o campo da educação especial, conformando permanências e rupturas em sua identidade, demonstrando que, nem sua constituição, nem a constituição do saber que aí se produz e que institui a identidade de seu público são estáveis e inflexíveis, mas decorrem de movimentos distintos enredados pelos movimentos dos outros campos, especialmente o campo político, na medida em que este é o espaço em que as práticas educacionais se concretizam.

Biografia do Autor

Sirleine Brandão de Souza, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG

Professora doutora da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.

Referências

ABE, Patrícia Bettiol; ARAÚJO, Cássia Tibério. A participação escolar de alunos com deficiência na percepção de seus professores. Revista Brasileira de Educação Especial, São Paulo, n. 2, vol. 16, , mai./ ago. 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbee/a/n8gHcqc7zbDQVmBsF8VWW7C/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 13 fev. 2014.

ABRAMOWICZ, Anete. Educação inclusiva: incluir para quê? Revista Brasileira de Educação Especial, São Paulo, n. 2, vol. 7, 2001. Disponível em: https://www.abpee.net/revista-7-2.php. Acesso em 13 fev. 2014.

ANACHE, Alexandra Ayach. O deficiente e o mercado de trabalho: concessão ou conquista? Revista Brasileira de Educação Especial, São Paulo, vol. 4, 1996. Disponível em: https://www.abpee.net/pdf/artigos/art-4-10.pdf. Acesso em: 15 fev. 2014.

BERGO, Maria Stela de Araújo Albuquerque, et al. Diagnósticos e avaliações de alunos de classes especiais em Sergipe: investigações sobre a eficácia do Processo. Revista Brasileira de Educação Especial, São Paulo, n. 2, vol. 7, 2001. Disponível em: https://www.abpee.net/pdf/artigos/art-7-2-3.pdf. Acesso em: 20 fev. 2014.

BOURDIEU, Pierre. Langage et Pouvoir Symbolique. Cambridge, Grande-Bretagne: Polity Press, 1991.

BOURDIEU, Pierre; CHAMBOREDON, Jean-Claude, PASSERON; Jean-Claude. Ofício de sociólogo. Metodologia da Pesquisa em Sociologia. Tradução: Guilherme João de Freitas Teixeira. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

BOURDIEU, Pierre; CHAMPAGNE, Patrick. Os excluídos do interior. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afrânio. (Orgs.). Escritos de Educação. 16 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015, p. 243-245.

BUENO, José Geraldo Silveira. A produção social da identidade do anormal. In: FREITAS, Marcos Cezar de. (Org). História social da infância no Brasil. 3 ed. rev. e ampl. São Paulo: Cortez, 2001, p. 163- 185.

CARDOSO-BUCKLEY, Maria Cecília de Freitas. Valores influenciando a visão do ser humano e pesquisa em educação especial: uma reflexão. Revista Brasileira de Educação Especial, São Paulo, n. especial, vol. 17, mai./ ago. 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbee/i/2011.v17nspe1/. Acesso em: 20 fev. 2014.

DALLABRIDA, Adarzilse Mazzuco. As famílias e a classe especial em um colégio de elite. Revista Brasileira de Educação Especial, São Paulo, n. 3, vol. 13, set./ dez. 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbee/i/2007.v13n3/. Acesso em: 20 fev. 2014.

GOFFMAN, Erving. Estigma. Notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. 4 ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1982.

LEITE, Lúcia Pereira. Educador especial: reflexões e críticas sobre sua prática pedagógica. Revista Brasileira de Educação Especial, São Paulo, n.2, vol. 10, mai./ ago. 2004. Disponível em: https://www.abpee.net/pdf/artigos/art-10-2-1.pdf. Acesso em: 20 fev. 2014.

MAIA, Ana Claudia Bortolozzi. Reflexões sobre a educação sexual da pessoa com deficiência. Revista Brasileira de Educação Especial, São Paulo, n. 1, vol. 7, 2001. Disponível em: https://www.abpee.net/pdf/artigos/art-7-1-3.pdf. Acesso em: 13 mar. 2014.

MICHELS, Maria Helena. Paradoxos da formação de professores para a Educação Especial: o currículo como expressão da reiteração do modelo médico-psicológico. Revista Brasileira de Educação Especial, São Paulo, n. 2, vol. 11, mai/ ago. 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbee/i/2005.v11n2/. Acesso em: 15 fev. 2014.

MRECH, Leny Magalhães. Os desafios da educação especial: o plano Nacional de educação e a universidade brasileira. Revista Brasileira de Educação Especial, São Paulo, vol. 5, 1999. disponível em: https://www.abpee.net/pdf/artigos/art-5-10.pdf. Acesso em: 13 mar. 2014.

OMOTE, Sadao. Deficiência e não-deficiência: recortes do mesmo tecido. Revista Brasileira de Educação Especial, São Paulo, vol. 2, 1994. Disponível em: https://www.abpee.net/pdf/artigos/art-2-6.pdf. Acesso em: 13 mar. 2014.

OMOTE, Sadao. Perspectivas para conceituação de deficiências. Revista Brasileira de Educação Especial, São Paulo, vol. 4, 1996. Disponível em: https://www.abpee.net/pdf/artigos/art-4-11.pdf. Acesso em: 13 mar. 2014.

OMS. Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. Tradução e Revisão de Amélia Leitão. Lisboa: Direção Geral da Saúde, 2004.

RAMOS, Alice de Souza; ALVES, Luciana Mendonça. A fonoaudiologia na relação entre escolas regulares de ensino fundamental e escolas de educação especial no processo de inclusão. Revista Brasileira de Educação Especial, São Paulo, n. 2, vol. 14, mai/ ago. 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbee/i/2008.v14n2/. Acesso em: 22 fev. 2014.

RECHINELI, Andréa, et al. Corpos deficientes, eficientes e diferentes: uma visão a partir da educação física. Revista Brasileira de Educação Especial, São Paulo, n. 2, vol. 14, mai/ ago. 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbee/i/2008.v14n2/. Acesso em: 22 fev. 2014.

SILVA, Mariana Cesar Verçosa; MELETTI, Silvia Márcia Ferreira. Estudantes com necessidades educacionais especiais nas avaliações em larga escala: prova Brasil e ENEM. Revista Brasileira de Educação Especial, São Paulo, n. 1, vol. 20, jan./mar. 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbee/i/2014.v20n1/. Acesso em: 22 abr. 2014.

WILLIAMS, Lucia Cavalcanti de Albuquerque. Sobre deficiência e violência: reflexões para uma análise de revisão de área. Revista Brasileira de Educação Especial, São Paulo, n. 2, vol. 9, jul./ dez. 2003. Disponível em: https://www.abpee.net/pdf/artigos/art-9-2-2.pdf. Acesso em: 13 mar. 2014.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo y literatura. 1 ed. Buenos Aires: Las Cuarenta, 2009.

Downloads

Publicado

2021-11-18

Como Citar

Souza, S. B. de. (2021). A deficiência e as concepções que conformam o campo da educação especial: permanências e rupturas em sua identidade. Revista Educação Especial, 34, e57/1–22. https://doi.org/10.5902/1984686X66151

Edição

Seção

Artigos – Demanda contínua