O surdo e a aprendizagem mediada por recursos tecnológicos: uma realidade no Ensino Superior

Autores

  • Sátila Souza Ribeiro Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) http://orcid.org/0000-0002-4695-4841
  • Theresinha Guimarães Miranda Universidade Federal da Bahia (UFBA)
  • Teófilo Alves Galvão Filho Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

DOI:

https://doi.org/10.5902/1984686X33679

Palavras-chave:

Surdo, Recursos tecnológicos, Educação Superior.

Resumo

Resumo- Esta pesquisa traz como objeto de investigação as percepções de estudantes surdos (usuários da Língua Brasileira de Sinais e/ou da Língua Portuguesa Oral) acerca da aprendizagem mediada por recursos tecnológicos na Educação Superior. Esse estudo foi desenvolvido junto a três estudantes surdos do Curso Letras-Libras-Língua Estrangeira ofertado pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), no Centro de Formação de Professores, localizado na cidade de Amargosa-Ba, e teve como objetivo analisar a percepção de estudantes surdos da UFRB acerca da aprendizagem mediada por recursos tecnológicos utilizados no seu processo de graduação desta Instituição Federal de Ensino. A escolha metodológica, de natureza qualitativa, define o caminho do estudo de caso com uso da entrevista semiestruturada como instrumento de investigação. Dentre os autores que subsidiaram essa discussão, destacam-se: Vygotsky (1991, 2010); Nóbrega (2016); Corradi (2007, 2011); Galvão Filho (2014); Stumpf (2010); dentre outros autores que abordam acerca da relevância dos recursos tecnológicos e da mediação pedagógica para estudantes surdos. Os resultados dessa pesquisa demonstraram que, segundo as percepções dos estudantes surdos, alguns docentes utilizam recursos tecnológicos como potencializadores no processo de aprendizagem desses acadêmicos surdos, favorecendo o envolvimento e participação deles na Educação Superior. Tais recursos foram reconhecidos pelos surdos participantes da pesquisa como favorecedores do processo de aprendizagem, embora essa seja uma prática adotada por parte dos docentes.

Biografia do Autor

Sátila Souza Ribeiro, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Mestre em Educação 9UFBA). Especialista em Educação Inclusiva pela Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) e em Libras pela Universidade Leonardo da Vinci (UNIASSELVI). Formada em Letras/Libras pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Polo: (UFBA). É certificada pelo Prolibras em proficiência no Uso e Ensino da Libras e em Tradução/Interpretação da Libras-Português e Português-Libras (UFSC/MEC/INEP). Professora de Língua Brasileira de Sinais (Libras) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), em regime de Dedicação Exclusiva (DE). Atua no Centro de Ciência e Tecnologia em Energia e Sustentabilidade (CETENS), nos Cursos do Bacharelado em Energia e Sustentabilidade (BES) e na Licenciatura em Educação do Campo (LEDOC). Participa do Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Tecnologia Assistiva e Acessibilidade (NETAA-CNPq). É Membro e desenvolve pesquisas no Grupo de Estudo em Educação Inclusiva (GEINE)-UFBA, CNPq.

Theresinha Guimarães Miranda, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Pós-doutorado em Umeå University, na Suécia em 2013. Doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (1999) e Mestrado em Educação Especial (Educação do Indivíduo Especial) pela Universidade Federal de São Carlos (1993). Graduação em Pedagogia pela Universidade Católica do Salvador. Atua no curso de pós-graduação em educação e líder do grupo de pesquisa Educação Inclusiva e Necessidades Educacionais Especiais (CNPq).

Teófilo Alves Galvão Filho, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

Pós-Doutorado na Universidade Federal da Bahia com o apoio da CAPES/MEC. Doutor em Educação pela Universidade Federal da Bahia - UFBA. Mestre em Educação – UFBA. Especialista em Informática na Educação pela Universidade Federal de Alagoas – UFAL. Graduado em Engenharia Civil pela Universidade Católica de Pelotas - UCPel (1980). Atua no Centro de Ciência e Tecnologia em Energia e Sustentabilidade (CETENS), no Cursos do Bacharelado em Energia e Sustentabilidade (BES). É coordenador do Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Tecnologia Assistiva e Acessibilidade (NETAA-CNPq).  teofilo@galvaofilho.net Lattes: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4773284T3

 

Referências

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2014.

BEHARES, L. E. Nuevas corrientes en la educación del sordo: de los enfoques clínicos a los culturales. Santa Maria, SC: Universidade Federal de Santa Maria, 1993.

BRASIL. Declaração Mundial Sobre Educação Para Todos: Satisfação das Necessidades Básicas de Aprendizagem. Conferência de Jomtien, 1990. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0008/000862/086291por.pdf>. Acesso em: 03 de outubro de 2017.

BRASIL. Decreto nº 5.626. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial da União, Brasília, 22 de dezembro de 2005.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP. Sinopses Estatísticas da Educação Superior – Graduação - 2014. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/superior-censosuperior-sinopse. Acesso em 12 de agosto de 2016.

BRUNO, M. M. G. Políticas afirmativas para a inclusão do surdo no ensino superior: algumas reflexões sobre o acesso, a permanência e a cultura universitária. Estudos RBEP. Brasília, 2011.

CERQUEIRA, J. B; FERREIRA, E. de M. B. Recursos didáticos na educação especial. Benjamin Constant. Rio de Janeiro, ano 2, n. 5, dez. 1996.

CORRADI, J. A. M. Acessibilidade em ambientes informacionais digitais: uma questão de diferença. São Paulo: Unesp, 2011.

DAROQUE, S. Alunos surdos no ensino superior: uma discussão necessária.

Piracicaba, 2011. 92 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Metodista

de Piraciba. Disponível em: < https://www.unimep.br/phpg/bibdig/pdfs/docs/03062013_143934_samantha.pdf>. Acesso em: 10 de maio de 2018.

GALVÃO FILHO, T. A. Tecnologia Assistiva para uma escola inclusiva: apropriação, demanda e perspectivas. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009. Disponível em: <https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/10563/1/Tese%20Teofilo%20Galvao.pdf>. Acesso em: 2 de dezembro 2017.

PIMENTEL, S. C. (Con)viver (com) a Síndrome de Down em escola inclusiva: mediação pedagógica e formação de conceitos. 2007. 212 f. il. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador.

QUADROS, R. M. de; KARNOPP, L. B. Língua Brasileira de Sinais: estudos linguísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

RAMOS, E. S. O Atendimento Educacional Especializado e a Tecnologia Assistiva: novas perspectivas para o ensino inclusivo. In: Gestão & Conexões. Management and Connexons Journal, Vitória, ES, 3 (1), pp. 122-141, 2014. Disponível em <http://www.periodicos.ufes.br/ppgadm/article/view/5053/5618>. Acesso em: 30 de maio de 2018.

SIAGH, R. F. S; TANAMATI, L. F; FERRARI, D. V. Sistema FM: Conceitos introdutórios. Produção Tecnologia Educacional-USP. Bauru, 2015. Disponível em: < http://portalsistemafm.fob.usp.br/wp-content/uploads/sistema-fm.pdf>. Acesso em: 20 de outubro de 2017.

SIMÃO, S. Avatar 3d traduz textos em tempo real para a língua de sinais. Digitais. PUC, Campinas, 2015. Disponível em: < https://digitaispuccampinas.wordpress.com/2015/10/09/avatar-3d-traduz-textos-em-tempo-real-para-a-lingua-de-sinais/>. Acesso em: 25 de fevereiro de 2018.

SKLIAR, C. A Surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Editora Mediação, 2013.

STUMPF, R. M. Educação de Surdos e Novas Tecnologias. Universidade Federal de Santa Catarina Licenciatura e Bacharelado em Letras-Libras na Modalidade a Distância. Florianópolis, 2010. Disponível em: <http://www.libras.ufsc.br/colecaoLetrasLibras/eixoFormacaoPedagogico/educacaoDeSurdosENovasTecnologias/assets/719/TextoEduTecnologia1_Texto_base_Atualizado_1_.pdf>. Acesso em: 12 de fevereiro de 2018.

UFRB. Resolução CONAC nº 17/2014. Dispõe sobre a reserva de vagas no Curso de Licenciatura Letras/Libras/Língua Estrangeira para estudantes surdos na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Disponível em: < http://www.ufrb.edu.br/conac/resolucoes-conac/category/9-resolucoes-2014>. Acesso em: 23 de março de 2018.

VYGOTSKY, L. S. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. In: Psicologia e pedagogia: bases psicológicas da aprendizagem e do desenvolvimento. São Paulo, Moraes, 1991.

Vygotsky. L. S. Obras escogidas V. Madrid: Centro de Publicaciones Del MEC y Visor Distribuciones, 1997.

VYGOTSKY, L. S. Psicologia pedagógica. Tradução de Paulo Bezerra. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

Downloads

Publicado

2019-11-12

Como Citar

Ribeiro, S. S., Miranda, T. G., & Galvão Filho, T. A. (2019). O surdo e a aprendizagem mediada por recursos tecnológicos: uma realidade no Ensino Superior. Revista Educação Especial, 32, e107/ 1–19. https://doi.org/10.5902/1984686X33679

Edição

Seção

Artigos – Demanda contínua