Reflexões sobre a implementação do PNAIC na Educação Infantil: tensões e riscos à docência e à infância

Fernanda Theodoro Roveri, Caroline Duarte

Resumo


Os atuais programas de alfabetização de crianças no Brasil emergiram em um contexto de tensões e de controle dos índices de analfabetismo no país, fazendo com que tanto o Ensino Fundamental quanto a Educação Infantil assumissem a tarefa de alfabetizar as crianças. Nesse sentido, torna-se urgente a reflexão acerca das concepções de ensino, de avaliação, de infância e de formação docente disseminadas nesses programas. O objetivo desse artigo é discutir a implementação do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC) na Educação Infantil (Portaria nº 826, de 7 de julho de 2017), tendo como objetos de análise os materiais de formação, os discursos dirigidos aos professores e os dilemas que envolveram sua execução. Busca-se, deste modo, contribuir com as discussões acerca das especificidades da Educação Infantil e da docência nesta primeira etapa da Educação Básica, propondo, assim, que a diversidade de práticas cotidianas com as crianças pequenas e seus protagonismos sejam valorizados.


Palavras-chave


Alfabetização; Educação Infantil; formação de professores

Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, Miguel Gonzáles. Ofício de mestre: imagens e auto-imagens. 15. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

BAPTISTA, Mônica Correia et al. Carta às professoras de educação infantil. Belo Horizonte, 6 fev. 2018. Disponível em: . Acesso em 18 abr. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2009.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Pacto nacional pela alfabetização na idade certa: formação do professor alfabetizador. Brasília, DF: 2012.

BRASIL. Lei n.13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 jun. 2014. Disponível em: Acesso em 18 abr. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. Caderno de apresentação. Brasília, DF: 2016a. Disponível em: Acesso em 18 abr. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. Currículo e linguagem na educação infantil. Brasília, DF: 2016b. Disponível em: Acesso em 18 abr. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. Crianças como leitoras e autoras. Brasília, DF: 2016c. Disponível em: Acesso em 18 abr. 2018.

BRASIL. Portaria n. 826, de 7 de julho de 2017. Dispõe sobre o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa PNAIC, suas ações, diretrizes gerais e a ação de formação no âmbito do Programa Novo Mais Educação PNME. Acesso em: 13 abr. 2018.

CERISARA, Ana Beatriz. A produção acadêmica na área da Educação Infantil a partir da análise de pareceres sobre o Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil: Primeiras aproximações. In: FARIA, A. L. G. e PALHARES, M. S. Educação Infantil Pós-LDB: Rumos e desafios. Campinas: Autores associados,1999. p. 19-50.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 1, Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

DICKEL, Adriana. A Avaliação Nacional da Alfabetização no contexto do sistema de avaliação da educação básica e do Pacto Nacional Pela Alfabetização na Idade Certa: Responsabilização e Controle. Cad. CEDES, Campinas, v. 36, n. 99, p. 193-206, ago. 2016. Disponível em . Acesso em 13 abr. 2018.

EMILIÃO, Soymara Vieira. (DES) Formação continuada de professores no/do PNAIC: A potência do encontro subvertendo a lógica de homogeneização. Revista Communitas, Acre, v.1, n.2, p.398-415. jul-dez. 2017. Disponível em: Acesso em 13 abr. 2018.

FERNANDES, Mônica Pinheiro. Algumas indagações acerca do PNAIC: a formação continuada em perspectiva. In: SALES, José Albio Moreira de Sales... [et al.] Didática e a prática de ensino na relação com a sociedade. Fortaleza: CE: EdUECE, 2015. p. 906-916. Disponível em: acesso em 15 abr. 2018.

FREITAS, Luiz Carlos de. Os reformadores empresariais da educação: da desmoralização do magistério à destruição do sistema público de educação. Educ. Soc., Campinas, v. 33, n.119, p.379-404, jun. 2012. Disponível em: . Acesso em 13 abr. 2018.

KUHLMAN JR., Moysés. A proteção a Infância e a “assistência científica”. In: Kuhlmann Jr, M. Infância e Educação Infantil: uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediação, 1998.

KUHLMAN JR, Moysés. Educação Infantil e Currículo. In: In: FARIA, A. L. G. e PALHARES, M. S. Educação Infantil Pós-LDB: Rumos e desafios. Campinas: Autores Associados, 1999. p.51-66.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: Uma perspectiva pós-estruturalista. São Paulo: Vozes, 1997.

LUNA, Tatiana. Autoria docente em sala de aula: uma análise de situações de trabalho a partir de relatos de prática. Atos de Pesquisa em Educação, Blumenau, v. 11, n.1, p.201-224, jan./abr. 2016. Disponível em: <: http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354.2016v11n1p201-224>. Acesso em 13 abr. 2018.

REIS, Maria Candida Delgado. Guardiãs do futuro: imagens do magistério de 1895 a 1920 em São Paulo. In: BRUSHINI, Cristina e SORJ, Bila (orgs). Novos olhares: mulheres e relações de gênero no Brasil. São Paulo: Fundação Carlos Chagas; Marco Zero, 1994. p.111-132.

SOUSA, Sandra Záquia. Avaliação da educação infantil: propostas em debate no Brasil. Interacções, Lisboa, v. 10, n. 32, p.68-88, 2014. Disponível em: . Acesso em: 13 abr. 2018.

STIEG, Vanildo; ARAÚJO, Vania Carvalho de. As políticas de alfabetização para a infância no Brasil: Algumas inquietações. Revista Brasileira de Alfabetização – ABAlf. Vitória, ES, v. 1 n. 5 p. 69-86 jan./jun. 2017. Disponível em: Acesso em 13 abr. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1984644432438

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc - Prédio 16
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao


ISSN Eletrônico: 1984-6444

DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19846444

Qualis/Capes: Educação A1

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação (UFSM) agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY 4.0).

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________

    

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar