Teorias de currículo da Educação Física: o que dizem acadêmicos sobre as suas implicações na formação inicial docente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/2316546448587

Palavras-chave:

Currículo, Educação Física, Formação profissional

Resumo

As teorias curriculares da Educação Física, dentro das discussões acadêmicas, são um campo de complexidade que atinge o universo profissional dos diferentes professores da área. Acreditamos que essa diversidade de teorias provoca implicações na formação profissional em Educação Física, configurando-se questão de debate, conflitos e dilemas entre os estudantes e professores. Com isso, buscamos analisar a compreensão dos acadêmicos, de um curso de Licenciatura em Educação Física, sobre as implicações das abordagens pedagógicas da área, para a sua formação profissional. A pesquisa caracteriza-se como do tipo qualitativa, com aspectos descritivos. O público-alvo foram acadêmicos de um curso de Licenciatura em Educação Física. Com eles, realizamos a entrevista semiestruturada. Os acadêmicos reconhecem que as abordagens desempenham a função de nortear a prática docente nos aspectos identitários e didático-metodológicos, mas sentem dificuldades em atrelar a sua prática pedagógica às abordagens, gerando mal-entendidos e situações conflitantes. 

 

Biografia do Autor

Amanda Raquel Rodrigues Pessoa, IFCE UECE

Doutaranda em Educação pela Universidade Estadual do Ceará (UECE); Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Ceará -UFC, Especialização em Educação Física Escolar pelas Faculdades Integradas de Patos - PB, Licenciatura em Educação Física pela Universidade Regional do Cariri - URCA . Professora permanente do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologias do Ceará. Líder do Grupo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Educação, Corporeidade e Sociedade (GEPEECOS). Tem experiência na área de Educação e Educação Física Escolar atuando principalmente nos seguintes temas: Formação de Professores, Educação Física Escolar, Ludicidade, Esporte e Lazer. 

Marla Maria Moraes Moura, IFCE

Licenciada em Educação Física pela Universidade Regional do Cariri - URCA (2007). Especialista em Educação Física Escolar pelas Faculdades Integradas de Patos - PB (2008) e em Docência no Ensino Superior pela Faculdade Leão Sampaio - FLS (2010). Mestre em Educação pela Universidade Federal do Pernambuco - UFPE (2015). Membro do Grupo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Educação, Corporeidade e Sociedade - GEEPECOS (IFCE). Professora do curso de Licenciatura em Educação Física do IFCE - Campus Juazeiro do Norte (2014). Áreas de interesse: formação de professores, práticas pedagógicas, identidade profissional docente, jogos e brincadeiras populares, lazer, ludicidade, educação física escolar.

José Danilo Feitosa Ferreira, IFCE

PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA, GRADUADO PELO INTITUTO FEDERAL DE CIENCIA E TECNOLOGIA DO CEARÁ. Membro do Grupo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Educação, Corporeidade e Sociedade - GEEPECOS (IFCE).

Referências

AZEVEDO, A. C. B. História da Educação Física no Brasil: currículo e formação superior. Campo Grande, MS: editora UFMS, 2013, 147p.

BARDIN, L. Análise do conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.

BETTI, M. Educação Física como prática científica e prática pedagógica: reflexões à luz da filosofia da ciência. In: Revista Brasileira De Educação Física E Esporte. 19(3), 183-197, 2005. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rbefe/article/view/16594, acesso em 30/07/2020.

CASTELLANI FILHO, L. As concepções de educação física no Brasil. In: Horizontes – Revista de Educação. Dourados, MS, n.2, v1, julho a dezembro de 2013. Disponível em: http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/horizontes/article/view/3162 acesso em: 31/07/2020.

CORREIA, W. R. Educação Física Escolar: entre inquietudes e impertinências. In: Revista. Brasileira de Educação Física e Esporte. São Paulo, v.26, n.1, p.171-78, jan./mar. 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbefe/v26n1/a16v26n1.pdf, acesso em: 30/07/2020.

CUNHA, M. I. Aprendizagens significativas na formação inicial de professores: um estudo no espaço dos Cursos de Licenciatura. In: Revista Interface Comunicação, Saúde, Educação. v.5, n.9, p.103-16, 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/icse/v5n9/07, acesso em: 29/07/2020.

DAOLIO, J. Jogos esportivos coletivos: dos princípios operacionais aos gestos técnicos – modelo pendular a partir das idéias de Claude Bayer. Revista Brasileira de Ciência e Movimento. Brasília, v. 10, n. 4, p. 99-103, 2002. Disponível em: https://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/478/503 acesso em: 31/07/2020.

DARIDO, S. C. Educação física na escola: questões e reflexões. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.

DUARTE, R. Entrevistas em pesquisas qualitativas. In: Revista Educar. Curitiba, n. 24, p. 213-225, 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/er/n24/n24a11.pdf, acesso em: 30/07/2020.

ENGUITA, M. F. O magistério em uma sociedade em mudança. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastros (Org.). Caminhos da profissionalização do magistério. Campinas- SP: Papirus, 2001.

GARIGLIO, J. A. O papel da formação inicial no processo de constituição de identidade profissional de professores de Educação Física. In: Revista Brasileira de Ciências do Esporte. 32(2-4), 11-28, 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbce/v32n2-4/02.pdf, acesso em: 30/07/2020.

GATTI, B.; ANDRÉ, M. A relevância dos métodos de pesquisa qualitativa em educação no Brasil. In: WELLER, Wivian; PFAFF, Nicolle (Org.) Metodologia da Pesquisa Qualitativa em Educação: teoria e prática. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2010.

KUNZ, E. (Org.). Didática da Educação Física. 1 Edição. Ijuí: Unijuí, 2003.

MATOS, T. S.; NISTA-PICCOLO, V. L.; BORGES; M. C. Formação de professores de Educação Física: identidade profissional docente. In: Revista Conhecimento e Diversidade. Niterói, v. 8, n. 15, p. 47–59 jan./jun. 2016. Disponível em: https://revistas.unilasalle.edu.br/index.php/conhecimento_diversidade/article/view/2237-8049-2016.5, acesso em: 30/07/2020.

MINAYO, M. C. S. Técnicas de Análise do Material Qualitativo. In: ______. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 9. ed. revista e aprimorada. São Paulo: Hucitec, 2006.

NEIRA, M. G.; NUNES, M. L. F. Pedagogia da cultura corporal: crítica e alternativas. São Paulo, Phorte editora, 2008.

NÓVOA, A. Os professores e as histórias da sua vida. In: NÓVOA, Antônio. (Org.). Vidas de Professores. 2ª Ed. Porto: Porto Editora, 2007.

NUNES, M. L. F.; RUBIO, K. O(s) currículo(s) da Educação Física e a constituição da identidade de seus sujeitos. In: Currículo sem Fronteiras. v. 8, n. 2, p. 55-77, jul.-dez. 2008. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol8iss2articles/nunes-rubio.htm, acesso em: 30/07/2020.

SILVA, T. T. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

Downloads

Publicado

09/28/2021

Como Citar

Pessoa, A. R. R., Moura, M. M. M., & Ferreira, J. D. F. (2021). Teorias de currículo da Educação Física: o que dizem acadêmicos sobre as suas implicações na formação inicial docente. Kinesis, 39(1). https://doi.org/10.5902/2316546448587

Edição

Seção

Artigos originais