A atuação do professor de educação física como gestor escolar

Augusto Pedretti, Luana Fraga da Silva Leite, Júlio Mello, Rafaela Pinheiro Lacerda, Selva Maria Guimarães Barreto

Resumo


O objetivo deste estudo foi descrever a importância da gestão escolar para o professor de Educação Física e o comportamento deste como gestor. Foram entrevistados 16 professores de Educação Física de ambos os sexos da cidade de Juiz de Fora. Trata-se de um estudo com método descritivo, abordagem qualitativa e técnica narrativa. As respostas foram descritas de maneira a preservar a identidade dos entrevistados, seguindo a ordem das perguntas feitas em cada bloco. Através disso pôde concluir-se que os professores entrevistados, apesar de se considerarem gestores, por muitas vezes não se sentem capazes de ser um gestor escolar.

 


Palavras-chave


Educação Escolar; Educação Física; Gestão Escolar

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, F. W. P. A importância da gestão esportiva para a vida do professor de educação física. Porto Alegre, 2013.

ANVESSA, A. L. B.; OLIVEIRA, A. A. B. Competências profissionais demandadas pelo mercado de trabalho. Revista Pensar a Prática, Goiânia, 14 (3), 2011.

AZEVEDO, P.H.; BARROS, J. F. A necessidade de administração profissional do esporte brasileiro e o perfil do gestor público, em nível federal, que atuou de 1995 a 2002. Revista Digital, Buenos Aires, 10 (74), 2004.

BASTOS, F. C. Perfil de gestores de redes de academias de Fitness. Revista Mineira de Educação Física, Viçosa, 19 (1), 64-74, 2011.

BASTOS, F. C.; MAZZEI, L. C. Gestão do esporte no Brasil desafios e perspectivas. São Paulo: Ícone. 2012.

BASTOS, F.C. Sport manager’s fields of practice: propose of a model for Brazil. The FIEP Bulletin, Foz do Iguaçu, v.74, p.429-31, 2004.

BRASIL, Ministério de Educação e do Desporto. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos: Educação Física / Secretaria de Ensino Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998a.

BRASIL. Conselho Federal de Educação. Resolução n. 03, de 16 de junho de 1987. Fixa os mínimos de conteúdo e duração a serem observados nos cursos de graduação em Educação Física (Bacharelado e/ ou Licenciatura Plena). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 set. 1987.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CP 1, de 18 de fevereiro de 2002 e Resolução CNE/CP 2, de 19 de fevereiro de 2002. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília: MEC, 2002.

CONFEF. Conselho Federal de Educação Física – Resolução 156/2008. Disponível em: acesso em:16/10/2014.

FERRÃO, M. E. et al. O Saeb – Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica: objetivos, características e contribuições na investigação da escola eficaz. Revista Brasileira de Estudos de População. V.18, n.1/2, jan./dez, 2001.

FLEURY, M. T. A gestão de competência e estratégia organizacional. As pessoas na organização. São Paulo: Gente, 2002.

GAYA, A. Projetos de pesquisas científicas e pedagógicas. O desafio da iniciação científica. Belo Horizonte: Casa da Educação Física, 2016.

GAYA, Adroaldo. Ciências do movimento humano: introdução à metodologia da pesquisa. Artmed, 2008.

GONÇALVES, J. S. L. As empresas são grandes coleções de processos. RAE - Revista de Administração de Empresas, São Paulo, 40 (1), 2000.

ILHA, F. R. S.; KRUG, H. N. O professor de Educação física e sua participação na gestão escolar: contribuição para a formação profissional. Revista e-Curriculum, PUCSP – SP, Volume 4, numero 1, dez. 2008.

KRAWCZYK, Nora. A gestão escolar: um campo minado... Análise das propostas de 11 municípios brasileiros. Educação & Sociedade, 1999.

LIBÂNEO, J. C. et al. Educação Escolar: políticas, estrutura e organização. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

LIMA, L. C. Construindo modelos de gestão escolar. Instituto de Inovação Educacional, 1996.

LÜCK, H. Dimensões da Gestão Escolar e suas Competências. Positivo. Curitiba, 2009.

LÜCK, H. Gestão educacional: uma questão paradigmática. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

LÜCK, H. Liderança em gestão escolar. Petrópolis: Vozes, 2008.

LÜCK, H. Perspectivas da Gestão Escolar e implicações quanto à formação de seus gestores. Em aberto, Brasília, v.17, n.72, 11-33, fev. / jun.2000.

LUCK, H.; FREITAS, K. S.; GIRLING, R.; KEITH, S. A escola participativa: o trabalho do gestor escolar, 4ª edição, Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

MENEZES, E. T.; SANTOS, T. H.”Gestão escolar” (verbete). Dicionário Interativo da Educação Brasileira - EducaBrasil. São Paulo: Midiamix Editora, 2002.

NASCIMENTO, P. R. B; ALMEIDA, L. A tematização das lutas na Educação Física Escolar: restrições e possibilidades. Revista Movimento, v. 1, n. 3. p. 91-110, set./dez. 2007.

PARKHOUSE, Bonnie L. The Manangement of Sports: Its Foundation and Application. St. Louis: Mosby Year Book, 1996.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e docência: diferentes concepções. Poíesis Pedagógica, v. 3, n. 3 e 4, p. 5-24, 2006.

REZENDE, J. R. Organização e administração do esporte. Rio de Janeiro, Sprint, 2000.

RIBEIRO, S. R. Perspectivas de atuação do profissional de Educação física: perfil de habilidades no atual contexto de mercado e formação inicial. XII Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e VIII Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba, 2008.

SARMENTO, J. P.; PIRES, G. M. Conceito de Gestão do Desporto. Novos desafios, diferentes soluções. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, 1 (1), 88–103, 2001.

SOARES, C. L. Educação Física Escolar: Conhecimento e Especificidade. Revista Paulista de Educação Física. São Paulo, supl. 2, p. 6-12, 1998.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em Educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VERLI, M. S.; BRAUNER, V. L. P. Os conteúdos da educação física na escola: da seleção à aplicação. Revista da Graduação / Rio Grande do Sul - PUCRS, v. 4, n.1, 2011.

VIEIRA, S. L. ALBUQUERQUE, M. G. M. Política e planejamento educacional. 3.ed. revista e modificada.

Fortaleza: Edições Demócrito Rocha, 2002.

WARDE, M. Jorge. “Considerações sobre a autonomia da escola”. Revista Idéias: O diretor-articulador do projeto de escola. São Paulo: FDE, 1992.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2316546427553



Avaliação Qualis Capes (2014):

B4- Educação Física / B3- Interdisciplinar e Psicologia / B5- Educação 

Periodicidade: contínua

ISSN: 2316-5464 online

DOI: 10.5902/23165464

email: kinesisrevista@ufsm.br

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.