Neurodiversidade no meio acadêmico: reflexos das falhas educacionais em uma instituição de ensino superior no interior do Paraná

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/1984686X55425

Palavras-chave:

Aprendizagem, Ensino Superior, Representação Social.

Resumo

A Neurodiversidade é um conceito recente que caracteriza uma classe de indivíduos com divergências neurais, desse modo, este estudo teve como objetivo compreender as representações sociais de docentes do ensino superior sobre pessoas neurodiversas. Os dados foram coletados por meio da disponibilização online de questionário semiestruturado por meio da plataforma Google Forms. O questionário contou com perguntas discursivas acerca do perfil docente e da percepção deste sobre a temática da Neurodiversidade, tendo como base a Técnica de Associação Livre de Palavras. A amostra foi composta por 25 professores acadêmicos de uma instituição de ensino superior na cidade de Maringá - Paraná. A análise dos dados foi realizada com base na Análise de Conteúdo de Bardin. Destacam-se nos resultados que os docentes, em sua maioria, desconhecem cientificamente o conceito da Neurodiversidade, como também apresentam percepções discriminatórias sobre a realidade complexa do estudante neuroatípico no ambiente universitário, o que pode gerar intervenções negativas que promovem a exclusão dos mesmos no processo educacional. Portanto, a ausência de conhecimento sobre o tema bem como o preconceito em relação aos neurodiversos foi evidenciada, assim como a necessidade da realização de mais pesquisas científicas sobre o assunto. Faz-se urgente o acréscimo de subsídios informacionais para se difundir o conhecimento sobre neurodiversidade no processo acadêmico do Ensino Superior.

Biografia do Autor

Caroline Lopes Bolsoni, Centro Universitário de Maringá, Maringá, PR

Graduanda no Centro Universitário de Maringá, Maringá, PR, Brasil.

Regiane da Silva Macuch, Centro Universitário de Maringá, Maringá, PR

Professora doutora do Centro Universitário de Maringá, Maringá, PR, Brasil.

Ludmila Lopes Maciel Bolsoni, Centro Universitário de Maringá, Maringá, PR

Professora doutoranda do Centro Universitário de Maringá, Maringá, PR, Brasil.

Referências

AMARAL, Lígia Assumpção. Sobre Crocodilos e Avestruzes: Falando de Diferenças Físicas, Preconceitos e Sua Superação. In: AQUINO, Julio Groppa. (Org.). Diferenças e preconceito na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1998, p. 11-30.

ARMSTRONG, Thomas. Inteligências múltiplas na sala de aula. 2. ed. Porto Alegre: ARTMED Editora, 2001.

BAPTISTA, Maria Manuel. Estereotipia e representação social: uma abordagem psico-sociológica. In: BARKER, Anthony David. O Poder e a Persistência do Estereótipo. Aveiro: Universidade de Aveiro, 2004. p.103-116.

BAPTISTA, Tadeu João Ribeiro; MESQUITA Bárbara Andressa Mendonça de Rocha. A concepção de docentes do curso de licenciatura em educação física: sobre o acesso e permanência da pessoa com deficiência no ensino superior. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 32, e84 p. 1-23, set. 2019. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/35737/html . Acesso em: 08 set. 2020.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Edições 70 ed. Lisboa, Portugal, 2009.

BRITO, Raissa Carneiro et al. PROTOCOLO VERBAL E TESTE DE ASSOCIAÇÃO LIVRE DE PALAVRAS: perspectivas de instrumentos de pesquisa introspectiva e projetiva na ciência da informação. Ponto de Acesso, Salvador, v.8, n.3, p. 64-79, dez. 2014. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/12917 . Acesso em: 02 jun. 2020.

BÚ, Emerson; COUTINHO, Maria da Penha de Lima. A Técnica De Associação Livre De Palavras Sobre o Prisma Do Software Tri-Deux-Mots (Version 5.2). In: Revista Campo do Saber. IESP: Instituto de Educação Superior da Paraíba, 2017. p.219-243, jan/jun. 2017. Disponível em: http://periodicos.iesp.edu.br/index.php/campodosaber/article/view/72 Acesso em: 12 maio 2019.

CÔRREA, Pedro Henrique. O autismo visto como complexa e heterogênea condição. Physis, Rio de Janeiro, v. 27, n. 2, p. 375-380, jun. 2017. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312017000200375&lng=en&nrm=iso . Acesso em: 17 ago. 2020.

FALCION, José Raimundo. et al. Inclusão escolar e suas implicações. 20 ed. Curitiba: Editora IBPEX, 2005.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 43. ed. São Paulo: Paz & Terra, 2019.

FREITAS, Ana Beatriz Machado. DA CONCEPÇÃO DA DEFICIÊNCIA AO ENFOQUE DA NEURODIVERSIDADE. Revista Científica de Educação, Inhumas, v. 01, n. 1, p. 86-97, dez. 2016. Disponível em http://seer.facmais.edu.br/rc/index.php/RCE/article/view/10 Acesso em: 31 maio 2020.

LIMA, Aline et al. Inclusão no ensino superior: uma proposta de ação em Psicologia Escolar. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 20, n. 1, p. 175-177, abr. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141385572016000100175&lng=en&nrm=iso . Acesso em: 03 set. 2019.

ORTEGA, Francisco. O sujeito cerebral e o movimento da neurodiversidade. Mana, Rio de Janeiro v. 14, n. 2, p.477-509, out. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010493132008000200008&lng=en&nrm=iso Acesso em: 11 maio 2019.

ORTEGA, Francisco. Deficiência, autismo e neurodiversidade. Ciênc. saúde coletiva [Internet]. p.67-77, fev. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232009000100012&lng=en Acesso em: 11 maio 2019.

PEREIRA, Ray. Diversidade funcional: a diferença e o histórico modelo de homem-padrão. Hist. cienc. saúde-Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 16, n. 3, p. 715-728, Set. 2009 . Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010459702009000300009&lng=en&nrm=iso . Acesso em: 17 ago. 2020.

RIBEIRO, Luiz Paulo; ANTUNES-ROCHA, Maria Isabel. História, abordagens, métodos e perspectivas da teoria das representações sociais. Psicol. Soc., Belo Horizonte, v. 28, n. 2, p. 407-409, ago. 2016. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-71822016000200407&lng=en&nrm=iso . Acesso em: 27 maio 2020.

SILVA, Ana Beatriz B. Mentes inquietas: entendendo melhor o mundo das pessoas distraídas, impulsivas e hiperativas. 1 ed. São Paulo: Editora Gente, 2003.

SILVA, Rafael Celestino da; FERREIRA, Márcia de Assunção. Construindo o roteiro de entrevista na pesquisa em representações sociais: como, por que, para que. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 16, n. 3, p. 607-612, Set. 2012 . Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452012000300026&lng=en&nrm=iso . Acesso em: 07 out. 2019.

SINGER, Judy. Neurodiversity: the birth of an idea. EBook Kindle, 2017.

SOUZA, Franciele Machado de; SANFELICE, Gustavo Roese; ZUCCHETTI, Dinora Tereza. O processo de inclusão de alunos com deficiência. Revista Internacional de Educação Superior, v. 7, p. 1 -22, jun. 2020. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8657649 Acesso em: 30 jun. 2020.

TIMM, Edgar Zanini; MOSQUERA, Juan José Mouriño; STOBAUS, Claus Dieter. O mal-estar na docência em tempos líquidos de modernidade. Rev. Mal-Estar Subj., Fortaleza, v. 10, n. 3, p. 865-885, set. 2010. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-61482010000300008&lng=pt&nrm=iso . Acesso em: 20 fev. 2021.

WAYSZCEYCK, Sheila; WUO, Andrea Soares; YAEDU, Fabiana Batista. Déficit ou diferença? Um estudo sobre o autismo em pesquisas educacionais. Revista Educação Especial, v. 32, e102, p. 1-21, set.2019. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/38975/html . Acesso em: 08 set. 2020.

Downloads

Publicado

2021-03-23

Como Citar

Bolsoni, C. L., Macuch, R. da S., & Bolsoni, L. L. M. (2021). Neurodiversidade no meio acadêmico: reflexos das falhas educacionais em uma instituição de ensino superior no interior do Paraná. Revista Educação Especial, 34, e11/1–19. https://doi.org/10.5902/1984686X55425