O acesso do estudante surdo em Instituições Federais de Ensino Superior no município de Salvador: o caso da Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Elizabeth Reis Teixeira, Nanci Araújo Bento

Resumo


Com base nos pressupostos da pedagogia bilíngue (LODI e LACERDA, 2010; LODI, 2013) e com base no estudos sobre políticas linguísticas (MÜLLER, 2016; BALDAUF JÚNIOR. 2014; BONACINA-PUGH, 2012), através de análise documental, pretende-se traçar um retrato das condições de acesso do estudante surdo às instituições públicas de ensino superior no município de Salvador, em especial na Universidade Federal da Bahia, a partir de suas experiências no ensino secundário, que repercutem o sucesso/insucesso das políticas educacionais/linguísticas para esta população, examinando a principal fonte de procedência do alunado surdo na UFBA - a AESOS. Os resultados apontam que o ingresso do estudante surdo, nos cursos de graduação da UFBA, tem-se dado através do sistema programado de reserva de vagas em projetos específicos voltados exclusivamente à promoção de sua formação superior: o Curso de Licenciatura em Letras Libras EAD, e o Curso de Pedagogia Bilíngue na modalidade online. No que diz respeito à Pós-Graduação, houve apenas três estudantes surdos antes da implantação, em 2017, do sistema de cotas para a Pós-graduação stricto sensu. Espera-se que nossos achados sobre a real situação de acesso da população surda ao nível superior nas instituições públicas locais, onde o ingresso através do processo classificatório ainda é dificultoso, excludente e replicador de desigualdades sociais e educacionais, venham a contribuir para o avanço das políticas públicas de acesso e permanência, da produção de conhecimento na área da pedagogia bilíngue, e na formação de recursos humanos que influenciem as práticas educacionais das escolas para a população surda.

Palavras-chave


Educação de surdos; Perspectiva bilíngue; Políticas linguísticas; Ensino superior.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


AESOS. Projeto Político Pedagógico da Associação Educacional Sons no Silêncio (AESOS) e do Centro Educacional Sons no Silêncio (CESS). Salvador, 2019.

BALDAUF JÚNIOR. Robert. B. Language Planning and Policy: Recent Trends, Future Directions. American Association of Applied Linguistics, Portland, Oregon, v.1-8, p. 1-4 Mai, 2004.

BONACINA-PUGH, Frederick Researching ‘praticed language policies’: insights from conversation analysis. Language Policy. p. 213-234, 2012.

BRASIL. Lei nº. 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 25 abr. 2002. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/L10436.htm. Acesso em 28 de abril de 2016.

BRASIL. Decreto nº 5626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial da União Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm, Acesso em 28 de abril de 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília: MEC; SEE, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 10 maio. 2019.

BRASIL. Decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo. Diário Oficial da União, Brasília, 25 de agosto de 2009. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d6949.htm. Acesso em 17 de maio de 2019.

BRASIL. Decreto 7.612, de 17 de novembro de 2011. Institui o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência- Plano Viver Sem limite. Diário Oficial da União. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7612.htm. Acesso em 17 de maio de 2019.

BRASIL. Lei 12.711, de 29 de agosto de 2012 (a Lei de Cotas). Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm. Acesso em 10 de maio de 2019.

BRASIL. Lei 13.146, de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em 10 de maio de 2019.

BRASIL. Lei 13.409, de 28 de dezembro de 2016. Dispõe sobre a reserva de vagas para pessoas com deficiência nos cursos técnico de nível médio e superior das instituições federais de ensino. Disponível em https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/2016/lei-13409-28-dezembro-2016-784149-publicacaooriginal-151756-pl.html. Acesso em 10 de maio de 2019.

CERETTA, Laura Moreira; FERNANDES, Sueli. Acesso e permanência de estudantes surdos no Ensino Superior. Palestra apresentada na Mesa 02: “Ingresso e Permanência dos Estudantes Surdos nas IES”, em I SIES: Trajetória do Estudante Surdo, 26 e 27 de maio de 2008 / Londrina – PR.

ESDRAS, Dirceu; GALASSO, Bruno. Panorama da educação de surdos no Brasil: ensino superior. Instituto Nacional de Educação de Surdos(Org.). Rio de Janeiro: INES, 2017.

FERREIRA, Maria Cecília Carareto; ZAMPIERI, Marinês Amalia. Atuação do professor ouvinte na relação com o aluno surdo: relato de experiência nas séries iniciais do ensino fundamental. In: LODI, A. C. B.; LACERDA, C. B. F, de. Uma escola, duas línguas. Porto Alegre: Mediação, 2010.

HERMANS, Daan; KNOORS, Harry; ORMEL, Ellen & VERHOEVEN, Ludo. The Relationship between the Reading and Signing Skills of Deaf Children in Bilingual Education Programs. The Journal of Deaf Studies and Deaf Education, Volume 13, Issue 4, Fall 2008, 518–530. https://academic.oup.com/jdsde/article/13/4/518/497665.

INES. Projeto Institucional de Educação a Distância. Rio de Janeiro, 2015. http://neo.ines.gov.br/neo/images/pdf/projeto-institucional-ead-ines.pdf.

LODI, Ana Claudia Balieiro. Educação bilíngue para surdos e inclusão segundo a Política Nacional de Educação Especial e o Decreto n0 5.626/05. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 39, n. 1, p. 49-63, jan./mar. 2013. http://www.scielo.br/pdf/ep/v39n1/v39n1a04.pdf.

LODI, Ana Claudia Baileiro; LACERDA, Cristina Broglia Feitosa de de. (Orgs.) Uma escola, duas línguas: Letramento em língua portuguesa e língua de sinais nas etapas iniciais de escolarização. Porto Alegre: Mediação, 2010.

MARTINS, Diléia Aparecida e LACERDA, Cristina Broglia Feitosa. Exame Nacional do Ensino Médio e acesso de estudantes surdos ao Ensino Superior Brasileiro. Pro-Posições, v. 26, n. 3 (78), p. 83-101, set./dez. 2015.

MARTINS, Diléia Aparecida; LEITE, Lúcia Pereira e LACERDA, Cristina Broglia Feitosa. Políticas públicas para acesso de pessoas com deficiência ao ensino superior brasileiro: uma análise de indicadores educacionais. Ensaio: aval.pol.públ.Educ., Dez 2015, vol.23, no.89, p.984-1014.

MEC/SECADI - Relatório do Grupo de Trabalho, designado pelas Portarias nº1.060/2013 e nº91/2013, contendo subsídios para a Política Linguística de Educação Bilíngue – Língua Brasileira de Sinais e Língua Portuguesa Brasília, DF, 2014.

MAYER, Connie & AKAMATSU, Tane. Bilingual-Bicultural Models of Literacy Education for Deaf Students: Considering the Claims. Journal of Deaf Studies.

NAPE/PROAE/UFBA. Relatório Interno do Núcleo de Apoio à Pessoa com Necessidades Especiais. Universidade Federal da Bahia. Salvador. 2018.

NAPE/PROAE/UFBA. Relatório Interno do Núcleo de Apoio à Pessoa com Necessidades Especiais. Universidade Federal da Bahia. Salvador. 2019/1.

OLIVEIRA, Gilvan Müller de. Políticas Linguísticas: uma entrevista com Gilvan Müller de Oliveira. ReVEL, v. 14, n. 26, 2016. [www.revel.inf.br].

POLO UFBA - Curso Letras Libras. Relatório –– Turma 2006-2010. Salvador, Universidade Federal da Bahia, 2010.

POLO UFBA – Curso Letras Libras. Relatório –– Turma 2008-2012. Salvador, Universidade Federal da Bahia, 2012.

POLO UFBA – Curso Pedagogia Bilíngue Relatório –– Turmas 2018 e 2019. Salvador, Universidade Federal da Bahia, 2019.

QUADROS, Ronice Muller. O “BI” em bilinguismo na educação de surdos. In: LODI, A. C. B.; A B.; MÉLO, A. D.B. e FERNANDES, E. (Orgs). Letramento, bilinguismo e educação de surdos. Porto Alegre: Editora Mediação. 2012. p. 187 a 200. 2013.

QUADROS, Ronice Muller (Org.) Letras LIBRAS: ontem, hoje e amanhã - Florianópolis: Ed. da UFSC, 2014.

REBOUÇAS, Larissa. S. A Prioridade dos Docentes Surdos para Ensinar a Disciplina Língua Brasileira de Sinais (Libras) nas Instituições de Ensino Superior após o Decreto 5.626/2005. Dissertação de Mestrado em Educação. Salvador: Universidade Federal da Bahia, 2009. Disponível em: http://editora-arara-azul.com.br/cadernoacademico/Dissertacao_de_Mestrado_de_LARISSA_REBOUCAS.pdf.

ROSA, Emiliana. F. Olhares sobre si: a busca pelo fortalecimento das identidades surdas. Dissertação de Mestrado em Educação. Salvador: Universidade Federal da Bahia, 2009. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/PesquisaObraForm.do?select_action=&co_autor=82777.

TEIXEIRA, Elizabeth; MARINHO, Erivaldo. O letramento de surdos em escolas especiais em Salvador. In Theresinha Guimarães MIRANDA e Teófilo Alves GALVÃO (Orgs.) O professor e a educação inclusiva: formação, práticas e lugares. Salvador: EDUFBA, 2012. 445-454.

VIEIRA. Roberto Carlos. Organizações da Sociedade Civil: conformação e resistência ao ideário neoliberal. Tese de Doutorado. Universidade Católica do Salvador, 2019.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA. Relatório Ilustrado: 2014–2017, 2018a.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA. Retrospectiva Especial: 70 Anos, 2016.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA. UFBA em números: Ano base 2017, 2018b.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984686X38499

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOIhttp://dx.doi.org/10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação Especial agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

__________________________________________________