A corporeidade criança vai à escola?

José Carlos dos Santos, Wagner Wey Moreira

Resumo


Este artigo versa resultados e discussões oriundos de recortes de uma pesquisa de mestrado que teve como objetivo investigar se a criança que vai à escola vivencia a corporeidade. O escrito pautou-se na abordagem qualitativa, com enfoque fenomenológico e objetivo descrito e, foi realizado em três escolas públicas de Uberaba-MG, tendo como sujeitos 65 crianças matriculadas no primeiro ano do Ensino Fundamental. Foi usada a observação não participante e, para as anotações seis diários de campo. Os achados permitiram refletir sobre três pontos centrais: 1. A corporeidade criança em evidência na sala de aula - destacando as ações e atitudes dentro da sala de aula; 2. Ser criança de corpo inteiro - apontando as relações, experiências nas aulas de educação física escolar; 3. Crianças inspiradoras – tecendo reflexões sobre a existência da corporeidade criança no ambiente escolar. O estudo nos permitiu refletir que a criança vivencia sua liberdade, criação, criatividade e intersubjetividade em quase todos os momentos, tanto na sala de aula quanto nas aulas de educação física escolar. Mas, há manifestações que sinalizam tentativas de silenciar sua corporeidade.


Palavras-chave


Corpo; Educação; Educação Física; Ensino Fundamental

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ÁLVAREZ-URÍA, Fernando. Microfísica da escola. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 21, n. 2, p. 31-42,1996.

BEZERRA, Fabrício Leomar Lima.; MOREIRA, Wagner Wey. Corpo e educação: o estado da arte sobre o corpo no processo de ensino aprendizagem. Revista Encontro de Pesquisa em Educação Uberaba, Uberaba v. 1, n.1, p. 61-75, out. 2013.

BASTOS, Carmem Célia Barradas Correira. Pesquisa qualitativa de base fenomenológica e a análise da estrutura do fenômeno situado: algumas contribuições. Revista Pesquisa Qualitativa, v.5, n.9, p. 442-451, dez. 2017.

COSTA, Luciane Cristina Arantes da. Influência de um programa de ensino de esportes coletivos de invasão na motivação e desempenho motor de escolares no ensino fundamental. 2015. 196 f. Tese (Doutorado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física UEM-UEL, Maringá, 2015.

COSTA Luciane Cristina Arantes da. et al. Educação Física e esportes: motivando para a prática cotidiana escolar. Movimento, Porto Alegre, v. 23, n. 3, p. 935-948, jul/set. 2017.

FREIRE, João Batista. Educação de corpo inteiro. São Paulo: Editora Scipione, 1997.

FREIRA, Ivanilda Maria.; DANTAS, Maraya Helena de Alves. Educação e corporeidade: um novo olhar sobre o corpo. Holos, v.4, n; 28, 2012.

FREIRE, João Batista. Educação Física e esporte: novas perspectivas para o século XXI? O dia que o macaco falou. In:

MOREIRA, Wagner Wey.; NISTA-PICCOLO, Vilma Lení. Educação Física e esporte no século XXI, Campinas, SP: Papirus, 2016. p. 321-338.

GIORGI, Amedeo. A psicologia como ciência humana: uma abordagem de base fenomenológica. Belo Horizonte: Interlivros, 1978.

GILBERT, Anne Green. Creative dance for all ages. Reston, VA: American Alliance for Health, Physical Education, Recreation, and Dance, 1992.

GONÇALVES, Maria Augusta Salim. Sentir, pensar, agir: corporeidade e educação. 5. ed. Campinas: Papirus, 2001.

GONÇALVES-SILVA, Luiza Lana. et al. Reflexões sobre corporeidade no contexto da educação integral. Educação em Revista, Belo Horizonte, v.32, n.01, p. 185-209, jan/mar. 2016.

LIMA, Luiz Augusto Normanha. O método da estrutura do fenômeno situado: uma contribuição para a pesquisa em motricidade humana. In: Colóquio de pesquisa qualitativa em motricidade humana: Etnomotricidades do Sul / Colloquium of qualitative research in human motricity: Etnomotricity of South / Coloquio de investigación cualitativa en motricidad humana: Etnomotricidad del Sur, 6., 2015, Valdivia, Chile. Anais... São Carlos: SPQMH, 2015. p. 241-251.

LOWEN, Alexander. Bioenergética. São Paulo: Summus, 1982. 304 p.

KUHN, Roselaine.; CUNHA, Antônio Camilo. A criança e o brincar: entre o mundo pensado e o mundo vivido. Revista Vozes dos Vales, n° 6, ano III, p. 1-24, 2014.

MACHADO, Sheila da Silva.; FREITAS, Tayanne da Costa.;

WIGGERS, Ingrid Dittrich Wiggers. Educação Física nas séries iniciais: Uma visão das práticas corporais infantis. In: IV Congresso Centro-Oeste de Ciências do Esporte/ I Congresso Distrital de Ciências do Esporte, 2010, Brasília- DF. Anais... Sistema Online de Apoio a Congressos do CBCE, 2010. p. 330-343.

MACHADO, Sheila da Silva. “Vivo ou morto?” o corpo na escola sob olhares de crianças. 2013, 207f. Dissertação (mestrado em Educação Física), Universidade de Brasília, Distrito Federal, 2013.

MAGALHÃES, Rita de Cássia Barbosa Paiva.; RUIZ, Erasmo Miessa. Estigma e currículo oculto. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, n. 17, p.125-142, ago. 2011.

MARCONI, Marina de Andrade.; LAKATOS, Eva Maria. Técnica de pesquisa. 7.ed. São Paulo: Atlas, 2008.

MARTINS, Ernesto Candeia. A corporeidade na aprendizagem escolar (Entrelaços fenomenológicos do pensar e agir). Educar em Revista, n. 56, p. 163-180, abr-jun. 2015.

MARTINS, Joel.; BICUDO, Maria Aparecida Viggiane. A pesquisa qualitativa em psicologia: fundamentos e recursos básicos. São Paulo: Centauro, 2005.

MASINI, Elcie Salzano. Enfoque fenomenológico de pesquisa em educação. In: FAZENDA, Ivani. (org.). Metodologia da pesquisa educacional, São Paulo: Cortez, 2010, 65-74 p.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da Percepção. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 23. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

MOREIRA, Wagner Wey. A ação do professor de Educação Física na escola: uma abordagem fenomenológica. 173f. 1990. Tese (Doutorado). Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, São Paulo, 1990.

MOREIRA, Wagner Wey. Croniquetas: um retrato 3x4. Piracicaba: Gráfica UNIMEP, 2003. 161 p.

MOREIRA, Wagner Wey. Contribuições do jogo e do esporte para a cor¬poreidade de crianças e adolescentes. Revista @mbienteeducação, São Paulo, v. 12, n. 1, p. 192-202, jan/abr. 2019.

MOREIRA, Wagner Wey.; SIMÕES, Regina.; PORTO, Eline. Análise de conteúdo: técnica de elaboração e análise de unidades de significado. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Distrito Federal, v. 13, n. 4, p. 107-114, 2005.

MOREIRA, Wagner Wey.; NÓBREGA, Teresinha Petrúcia. Fenomenologia, educação física, desporto e motricidade: convergências necessárias. Cronos, Natal, v. 9, n. 2, p. 349-360, jul/dez. 2008.

MOREIRA, Wagner Wey. et al. Corporeidade aprendente: a complexidade do aprender viver. In: MOREIRE, Wagner Wey. (Org.). Século XXI: a era do corpo ativo. Campinas, SP: Papirus, 2006. p. 137-154.

MOREIRA, Wagner Wey; CHAVES, Aline Dessupoio.; SIMÕES, Regina Maria Rovigati. Corporeidade: uma base epistemológica para a ação da Educação Física. Motrivivência, Florianópolis, v. 29, n. 50, p. 202-212, mai. 2017.

OLIVEIRA, Maria Lucia de. (Im)pertinências da educação: o trabalho educativo em pesquisa. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009. 193 p.

OLIVEIRA NETTO, Alvim Antonio de. Metodologia da Pesquisa Científica: guia prático para apresentação de trabalhos acadêmicos. 3. ed. Florianópolis: Visual Books, 2008. 192 p.

OLIVEIRA, Rita de Cássia Magalhães de. (Entre) Linhas de uma pesquisa: o Diário de Campo como dispositivo de (in)formação na/da abordagem (auto)biográfica. Revista Brasileira de Educação de Jovens e Adultos, Salvador, v. 2, n. 4, p. 69-87, 2014.

PAPALIA, Diane; OLDS, Sally Wendkos.; FELDMAN, Ruth Duskin. Desenvolvimento Humano. Porto Alegre: Artmed, 2008.

PALMA, Míriam Stolk.; AZEVEDO, Kelly Andara de. Representações infantis sobre brincar e aprender nas aulas de educação física escolar. Revista Kinesis, Santa Maria, v.35 n.1, p. 28- 40, jan/abr. 2017.

PEREIRA, Lucia Helena Pena. Bioexpressão. Corpo, movimento e ludicidade. Unindo fios, tecendo relações e propondo possibilidades. Curitiba: Editora CRV, 2011.

PEREIRA, Lucia Helena Pena. Corporeidade e ludicidade nas séries iniciais do ensino fundamental: crenças, dúvidas e possibilidades. Revista Educação, Santa Maria, v. 40, n. 3, p. 697-710, set/dez. 2015.

PEREIRA, Lucia Helena Pena.; BONFIM, Patrícia Vieira. A corporeidade e o sensível na formação e atuação docente do pedagogo. Contexto & Educação, v. 21, n. 75, p. 45-68, jan/jun. 2006.

PULINO, Lúcia Helena Cavasin Zabotto. Filosofia, pedagogia e psicologia: a formação de professores e a ética do cuidado de si. In: WALTER, Kohan (Org.) Devir-criança na filosofia: infância na educação, Belo Horizonte: Autêntica, 2010, 153-164 p.

PROBST, Melissa. Dos usos do corpo nas práticas pedagógicas. Dialogia, São Paulo, n. 14, p. 89-100, 2011.

RICHTER, Ana Cristina.; VAZ, Alexandre Fernandes. Corpos, saberes e infância: um inventário para estudos sobre a educação do corpo em ambientes educacionais de 0 a 6 anos. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 26, n. 3, p. 79-93, mai.2005.

SANTOS, José Carlos dos. Educação Física escolar: temos o que ensinar? In: LIMA, F. R. (Org.). Os professores e suas experiências de formação, pesquisa e ensino. São Carlos: Pedro & João Editores, 2019. 351-365 p.

SURDI, Aguinaldo César.; MELO, José Pereira de.; KUNZ, Elenor. O brincar e o se-movimentar nas aulas de educação física infantil: realidades e possibilidades. Movimento, v. 22, n. 2, p. 459-470, abr./jun. 2016.

TANAKA, Didma Daniel.; COFFANI, Márcia Cristina Rodrigues da Silva Coffani.; GOMES, Cleomar Gomes. Tempo/espaço do brincar: rotinas pedagógicas das aulas de educação física no ensino fundamental I. Revista Kinesis, Santa Maria, v.36, n.2, p. 92-101, mai/ago. 2018.

TELLES, Thabata Castelo Branco. A infância na fenomenologia de Merleau-Ponty: contribuições para a psicologia e para a educação. Revista do NUFEN, Belém, v. 6, n. 2, p. 4-14, out. 2014.

TORRES, S. P. A corporeidade no ensino fundamental: na busca de uma educação emancipatória. 93f. 2015. Dissertação (Mestrado), Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de Lavras, MG, 2015.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984644442535

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc - Prédio 16
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao


ISSN Eletrônico: 1984-6444

DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19846444

Qualis/Capes: Educação A1

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação (UFSM) agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY 4.0).

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________

    

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar