Metodologias ativas nas aulas de Geografia no Ensino Médio como estímulo ao protagonismo juvenil

Ana Maria de Oliveira Pereira, Acacia Zeneida Kuenzer, Adriano Canabarro Teixeira

Resumo


O artigo é parte das construções teóricas e intervenções práticas realizadas em pesquisa qualitativa, que teve como propósito compreender como o uso das tecnologias digitais pode contribuir na construção do conhecimento geográfico dos estudantes do Ensino Médio, de modo a estimulá-los ao protagonismo juvenil.  Os trabalhos foram orientados com base na seguinte problemática: Qual é o potencial existente no uso das tecnologias digitais da informação e comunicação para a construção do conhecimento geográfico no Ensino Médio com vistas ao estímulo do protagonismo social do jovem? Essa problemática foi delineada a partir da visão de que muitas vezes as disciplinas escolares parecem estar desconectadas do cotidiano dos estudantes.  A pesquisa de caráter exploratório teve como procedimento o estudo de casos múltiplos, onde trabalhou-se com três professores de Geografia e suas respectivas turmas, totalizando sessenta estudantes. As atividades práticas da pesquisa foram conduzidas sob o método sala de aula invertida, com uso intensivo das tecnologias digitais. Com a realização da atividade constata-se que o uso das tecnologias digitais nas aulas proporciona maior envolvimento do estudante com o conteúdo e também estimula o protagonismo juvenil. Por outro lado, evidencia a necessidade da utilização de metodologias específicas para estas aulas, pois do contrário é grande a possibilidade de compreensão das tecnologias digitais apenas como mudança de suporte para desenvolvimento das atividades de aula.

 


Palavras-chave


Protagonismo Juvenil; Ensino de Geografia;Tecnologias Digitais

Texto completo:

PDF HTML

Referências


BASTOS, Celso da Cunha. Educação e Medicina. Blog, 2006. Disponível em: http://educacaoemedicina.blogspot.com.br/2006/02/metodologias-ativas.html

BERGMANN, Jonathan; SAMS, Aaron. Sala de aula invertida: uma metodologia ativa de aprendizagem. Rio de Janeiro: LTC, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Ciências humanas e suas tecnologias. Secretaria de Educação Básica. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006. 133 p. (Orientações curriculares para o ensino médio; volume 3) Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_volume_03_internet.

pdf. Acesso em: jan. 2016.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso em: ago. 2016

BRASIL. Lei 9.394/1996. Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm. Acesso em: set. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes curriculares gerais da educação básica. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15547-diretrizes-curiculares-nacionais-2013-pdf-1&Itemid=30192. Acesso em maio.2017.

CASTELLS, Manuel. A galáxia da internet: reflexões sobe a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Zahar Editor, 2003.

CAVALCANTI, Lana de Souza. A geografia escolar e a cidade: ensaios sobre o ensino de geografia para a vida urbana cotidiana. Campinas: Papirus, 2008.

COSTA, Antonio Carlos Gomes da. Protagonismo juvenil: o que é e como praticá-lo. 2000. Disponível em: http://www.institutoalianca.org.br/Protagonismo_Juvenil.pdf. Acesso em: 15 out. 2016.

COSTA, Antonio Carlos Gomes da; VIEIRA, Maria Adenil. Protagonismo juvenil: adolescência, educação e participação democrática. São Paulo: FTD; Salvador, BA: Fundação Odebrecht, 2006.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários a prática educativa. São Paulo, SP. Paz e Terra, 2011

KUENZER, Acacia Zeneida. Dilemas para a formação e professores para o ensino médio no século XXI. In: AZEVEDO, J. C. de; REIS, J. T. (org.). Reestruturação do ensino médio. São Paulo: Fundação Santillana, 2013. Disponível em: http://www.senac.br/conhecimento/boletim-tecnico-do-senac.aspx. Acesso em: fev. 2017.

LACOSTE, Yves. A Geografia – Isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra. Tradução Maria Cecilia França – 19ª ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

MORAES, Jerusa Vilhena de. O papel das metodologias ativas no processo de alfabetização científica em Geografia. In ASCENÇÃO, Valéria de O. R.[et al] (org.) Conhecimentos de Geografia: Percursos de formação docente e práticas na Educação Básica. Belo Horizonte, MG: IGC, 2017

MORAN, José. Mudando a Educação com metodologias ativas. In SOUZA, Carlos A. de, MORALES, Ofélia E. T. (Org.) Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens. Vol. II. Ponta Grossa:

UEPG- PROEX, 2015. Disponível em: http://www.youblisher.com/p/1121724-Colecao-Midias-Contemporaneas-Convergencias-Midiaticas-Educacao-e-Cidadania-aproximacoes-jovens-Volume-II/. Acesso em Maio 2017.

PEREIRA, Ana Maria de Oliveira. O potencial das tecnologias de rede na construção do conhecimento geográfico. 123p. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2010. Disponível em: https://secure.upf.br/tede/tde_busca/index.php. Acesso em Jun. 2017.

RIO GRANDE DO SUL. Referencial curricular ciências humanas e suas tecnologias. V5. Disponível em: http://www.educacao.rs.gov.br/pse/html/refer_curric.

jsp?ACAO=acao1. Acesso em: abril. 2017.

SIBILIA, P. Redes ou paredes: a escola em tempos de dispersão. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984644429807

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc - Prédio 16
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao


ISSN Eletrônico: 1984-6444

DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19846444

Qualis/Capes: Educação A1

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação (UFSM) agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY 4.0).

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________

    

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar