A educação ambiental através da reutilização do óleo de cozinha na educação infantil

Djiane Francine Krügel, Ana Caroline Paim Benedetti, Clayton Hillig, Luiz Ernani Bonesso de Araújo, Paulo Romeu Moreira Machado

Resumo


O trabalho apresenta uma iniciativa de Educação Ambiental realizada durante o segundo semestre de 2018, em uma Escola de Educação de Educação Infantil de Crissiumal-RS, envolvendo as turmas do Maternal I e Maternal II, professores e pais dos educandos na construção de conhecimentos ambientais relacionados ao óleo residual de cozinha e a sua utilização para a produção de sabão. O trabalho se insere na modalidade de pesquisa-ação, realiza sondagem dos conhecimentos dos sujeitos envolvidos e intervêm para uma mudança de atitude para promover o descarte correto do óleo residual de cozinha. Dentre as atividades realizadas estão a produção de um panfleto informativo, questionamento e atividade lúdica que realizam uma sondagem quanto ao descarte do óleo residual de cozinha, uma palestra e a produção do sabão como forma alternativa e sustentável de descarte. Os resultados mostraram os avanços nas concepções quanto ao descarte do óleo residual de cozinha e uma reformulação de ações voltadas a preservação do meio ambiente. A palestra e a produção de sabão mostraram-se essenciais para essa mudança de percepção e potencializaram a disseminação do conhecimento ambiental, que foi levado ao ambiente escolar e familiar, promovendo uma nova postura quanto ao descarte do óleo residual de cozinha.


Palavras-chave


Meio Ambiente; Produção de Sabão; Ensino Formal

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ABIOVE – Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais. Ecoinforme 17/09/2012, Óleo de cozinha ganha campanha para destinação correta. Disponível em: http://www.abiove.org.br/. Acessado em 17 de fev. 2019.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Senado Federal. Brasília, 5 de outubro de 1988.

BRASIL. LDB – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Nº 9.394/1996. Edição atualizada em março de 2017. Disponível em: http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/529732/lei_de_diretrizes_e_bases_1ed.pdf. Acessado em: 07 de set. 2018.

BRASIL. LEI Nº 9.795/99. POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Presidência da República. Brasília, 27 de abril de 1999.

BRASIL. [Lei n. 12.305, de 2 de agosto de 2010]. Política Nacional de Resíduos Sólidos [recurso eletrônico]. – 2. ed. – Brasília : Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2012. 73 p. – (Série legislação ; n. 81) Atualizada em 18/5/2012 Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998 e dá outras providências. ISBN 978-85-736-5972-6

BRASIL. Ministério da Educação e Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: CNE/CEB, 2010.

CARVALHO, Isabel C.M. Educação Ambiental. A formação do sujeito ecológico. São Paulo: Vozes, 2008.

COSTA, Daniela Alves da; LOPES, Gilmeire Rulim; LOPES, José Roberto. Reutilização do óleo de fritura como uma alternativa de amenizar a poluição do solo. Revista Monografias Ambientais - REMOA Revista do Centro do Ciências Naturais e Exatas - UFSM, Santa Maria ED. ESPECIAL IFMT - Licenciatura em Ciências da Natureza - v.14, 2015, p.243-253 e-ISSN 2236 1308 - DOI:10.5902/2236130820461.

DIAS, G. F. Educação Ambiental: princípios e práticas. 8 ed. São Paulo: Gaia, 2003.

DIAS, Leonice Seolin; MARQUES, Mauricio Dias; DIAS, Lucas Seolin. Educação Ambiental: conceitos metodologias e práticas. Cap. 1 EDUCAÇÃO, EDUCAÇÃO AMBIENTAL, PERCEPÇÃO AMBIENTAL E EDUCOMUNICAÇÃO. Ed: 1ª. Tupã, São Paulo, 2016. Disponível em: file:///C:/Users/Cliente/Downloads/EducaoAmbiental-ConceitosMetodologiaePrticas-2016%20(2).pdf. Acessado em 13 de setembro de 2018.

DOLLABONA; Sandra Regina; MENDES, Sueli Maria Schmitt. O lúdico na educação infantil: jogar, brincar, uma forma de educar. Instituto Catarinense de Pós-Graduação. ICPG. 2004. Disponível em: https://s3.amazonaws.com/academia.edu.documents/38603683/ o_ludico_e_a_educacao.pdf?AWSAccessKeyId=AKIAIWOWYYGZ2Y53UL3A&Expires=1538850983&Signature=RZaXarK8x38inRo1EOS9QbPRNh0%3D&responsecontentdisposition=inline%3B%20filename %3DO_LUDICO_NA_EDUCACAO_INFANTIL_Jogar_brin.pdf. Acessado em 5 de outubro de 2018.

FLECHA, R., & GARCIA, C. (2007). Prevención de conflictos en las comunidades de aprendizaje. Idea La Mancha: Revista de Educación de Castilla-La Mancha, 4, 72-76.

FREIRE, M. T.; CARVALHO, D. W. Educomunicação: construção social e desenvolvimento humano – um relato de pesquisa. In: IX Seminário de Pesquisa em Educação da Região Sul, 9, 2012, Caxias do Sul. Anais... IX Seminário ANPED SUL, Universidade da Caxias do Sul, 2012.

FREITAS, M. R.; MACEDO, R. L. G.; FERREIRA, E. B.; FREITAS, M. P. Em busca da conservação ambiental: a contribuição da percepção ambiental para a formação e atuação dos profissionais da química. Revista Química Nova, v. 33, n. 4, 2010

GEORGIN, Jordana; OLIVEIRA, Gyslaine Alves. Práticas de conscientização ambiental em escolas públicas de Ronda Alta/RS Practices of environmental awareness in the public schools of Round High / RS. Revista Monografias Ambientais - REMOA v.14, n.3, mai-ago. 2014, p.3378-3382 Revista do Centro do Ciências Naturais e Exatas - UFSM, Santa Maria e-ISSN 2236 1308 - DOI:10.5902/2236130813370 Recebido em: 2014-03-02 Aceito em: 2014-06-03. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/remoa/article/viewFile/13447/pdf. Acessado em: 29 de setembro de 2018.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. Ed. 4ª. Editora: Atlas, 2002.

KUNZLER, Andréia Alaíde; SCHIRMANN, Angélica. PROPOSTA DE RECICLAGEM PARA ÓLEOS RESIDUAIS DE COZINHA A PARTIR DA FABRICAÇÃO DE SABÃO. Universidade Tecnológica Federal do Paraná Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental. MEDIANEIRA, 2011. Disponível em: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/524/1/MD_COGEA_2011_2_11.pdf. Acessado em 10 de setembro de 2018.

LIMA et al. PRODUÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE SABÃO ECOLÓGICO - UMA ALTERNATIVA PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SEMIÁRIDO PARAIBANO. REVISTA SAÚDE E CIÊNCIA On line, 2014; 3(3):26-36, set-dez, 2014. Disponível em: http://www.ufcg.edu.br/revistasaudeeciencia/index.php/RSC-UFCG/article/viewFile/171/108. Acessado em: 15 de setembro de 2018.

MARTINS, Nathalia. A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL. São Carlos Abril 2009. Disponível em: http://www.pedagogia.ufscar.br/documentos/arquivos/trabalhos-de-conclusao-de-curso/tcc-2004/a-educacao-ambiental-na-educacao-infantil. Acessado em: 5 de setembro de 2018.

OLIVEIRA, José Antônio Bezerra de; AQUINO, Kátia Aparecida da Silva. Óleo residual de frituras: impactos ambientais, educação e sustentabilidade no biodiesel e sabão. 2012. Disponível em: https://ldoih.files.wordpress.com/2012/08/artigo-c3b3leo-residual-de-frituras.pdf. Acessado em: 3 de setembro de 2018.

PIEA- UNESCO. Programa Internacional de Educação Ambiental. Conferência sub-regional de Educação Ambiental para a Educação Secundária: Chosica/ Peru, 1976.

RUSCHEINSKY, Aloísio. AS RIMAS DA ECOPEDAGOGIA: UMA PERSPECTIVA AMBIENTALISTA. 2011. Disponível em: http://arquivos.ambiente.sp.gov.br/cea/2011/12/Aloisio2.pdf. Acessado em: 13 de agosto de 2018.

SILVA, Carmen Lúcia Wegner da; Óleo de cozinha usado como ferramenta de educação ambiental para alunos do ensino médio. Monografia de Especialização em Educação Ambiental. Santa Maria, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/718/Silva_Carmen_Lucia_Wegner_da.pdf?sequence=1 HYPERLINK . Acessado em: 30 ago. de 2018.

SILVA, Edna Mariana Machado. Influência da família na vida escolar dos alunos. Ensino em revista, 6(1):39-45, jul. 1997- jun. 1998. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/emrevista/article/viewFile/7835/4942>. Acessado em: 5 out. de 2018.

SMOLKA, A. L. B. Conhecimento e produção de sentidos na escola: a linguagem em foco. Cadernos do CEDES – Implicações pedagógicas do modelo Históricocultural. CAMPINAS, v. 35, n. 35, 1995. pp. 50-61.

THIOLLENT, Michel. Metodologia de pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 1985.

TORQUATO, G. Cultura, poder, comunicação e imagem: fundamentos da nova empresa. São Paulo: Pioneira, 1996.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130837341

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.