Produção do Pinus taeda L. em povoamento desbastado na região dos Campos de Cima da Serra, Rio Grande do Sul

Luiz Ernesto Grillo Elesbão, Paulo Renato Schneider

Resumo


Este trabalho foi realizado com o objetivo de estudar a produção do Pinus taeda L., implantado num espaçamento inicial de 3 x 2 m, localizado em Canela, estado do Rio Grande do Sul. A população amostral foi submetida a um e dois desbastes seletivos, além da manutenção de uma testemunha, sem desbaste. Os desbastes foram realizados por baixo com redução da área basal para níveis de 28 m2ha-1. Aos 17 anos, a produção total das parcelas testemunhas, sem desbaste, foi de 886,3 m3ha-1; com a realização de um desbaste aos 11 anos, de 756,6 m3ha-1, tendo resultado perdas de produção em relação a testemunha de 14,6 %; com dois desbastes aos 11 e 15 anos, a produção foi de 732,9 m3ha-1, tendo provocado perdas de produção em relação à testemunha, sem desbaste, de 17,3 %. Os desbastes executados permitiram um ganho significativo em diâmetro, até os 17 anos de idade, com a execução de um desbaste aos 11 anos obteve-se um diâmetro médio de 33,4 cm; com dois desbastes aos 11 e 15 anos, um diâmetro médio de 33,5 cm; e, um diâmetro médio de 24,3 cm na testemunha, sem desbaste.

Palavras-chave


produção; desbaste seletivo; área basal

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, M. A. A. Técnica de produção florestal: fundamentos, tipificação e métodos. Lisboa: Instituto Nacional de Investigação Científica, 1982. 331 p.

ASSMANN, E. The principle of forest yield study. Oxford: Pergamon press, 1970. 506 p.

ASSMANN, E. Zur Theorie der Grundflächenhaltung, Fw. Gbl. v. 78. p. 321-330. 1968.

CRECHI, E. H. et al. Efectos de la Intensidad y Oportunidad de Raleo en Pinus taeda L. sobre el crecimiento y la producción en el noroeste de Misiones, Argentina. In: SIMPÓSIO LATINO-AMERICANO SOBRE MANEJO FLORESTAL, 2., 2002, Santa Maria. Anais… Santa Maria, 2002. p. 189-210.

GLUFKE, C. Crescimento de Pinus elliottii Engelm em povoamento desbastado. 1996. 73 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal)-Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 1996.

IPAGRO. Instituto de Pesquisas Agronômicas. Seção de Ecologia Agrícola. Atlas-agroclimático do Estado do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: IPAGRO, 1989. 3 v.

LEMOS, R. C. et al. Levantamento de reconhecimento dos solos do Estado do Rio Grande do Sul. Recife: Ministério da Agricultura, Departamento de Pesquisas Agropecuárias, Divisão de Pesquisas Pedológicas, 1973. 431 p. (Boletim Técnico, 30).

MORENO, J. A. Clima do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Oficinas Gráficas da Secretaria da Agricultura, 1961. 41 p.

REINSTORF, L. O. The influence of stand density on growth of Pinus elliottii. Stellenbosch: Forestry University of Stellenbosch, 1970. 62 f. Dissertação (Mestrado) - University of Stellenbosch, 1970.

SAS. A simple regression model with correction of heteroscedasticity. Cary: SAS Institute, 2004.

SCHNEIDER, P. R. et al. Efeito da intensidade de desbaste sobre o crescimento e produção de povoamentos de Pinus elliottii E. In: SIMPÓSIO DE MANEJO DE FLORESTAS PLANTADAS, 1991, Santa Maria. Anais... Esteio: UFSM, 1991. p.150-167.

SCHNEIDER, P. R.; SCHNEIDER, P. S. P. Introdução ao Manejo florestal. Santa Maria: Ed. FACOS, 2008. 566 p.

SCHNEIDER. P. R.; FINGER, C. A. G. Influência da intensidade do desbaste sobre o crescimento em altura de Pinus elliottii E. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 3, n. 1, p. 95-103. 1993b.

SCHWEINBRUGER, F. H. Tree rings and environment dendroecology. Viena: Haupt. 1996. 609 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050982754