Comparação de equações volumétricas ajustadas com dados de cubagem e análise de tronco.

Cláudio Thomas, César Martins Andrade, Paulo Renato Schneider, César Augusto Guimarães Finger

Resumo


Este trabalho teve como objetivo comparar estimativas de volume com casca, obtidas com equações originadas partindo de dados da cubagem com casca e análise de tronco sem casca respectivamente. A base de informações para o desenvolvimento deste estudo foi obtida em povoamentos de Pinus taeda L. no município de Ponte Alta do Norte, Santa Catarina, sendo composta de duzentos e quarenta árvores cubadas com casca em diferentes idades, as quais foram selecionadas aleatoriamente e distribuídas por classe de diâmetro. Outra fonte de dados foi obtida com a análise de tronco sem casca de trinta árvores-amostra, distribuídas entre médias e dominantes. Foram testados modelos matemáticos para cada fonte de dados, afim de selecionar o de melhor ajuste e precisão, com base no critério de seleção do Valor Ponderado dos Escores dos Parâmetros Estatísticos (VP). O resultado do VP revelou a equação de Schumacher-Hall como mais adequada na estimativa do volume para as respectivas fontes de dados. A comparação entre as estimativas de volume dos modelos ajustados, partindo de dados da cubagem com casca e da análise de tronco sem casca, foi realizada com o teste Qui-quadrado, que demonstrou não haver diferença significativa entre elas, permitindo afirmar que é possível obter o volume com casca com base em uma equação gerada com dados de volume sem casca, obtidos pela análise de tronco.


Palavras-chave


volume individual; modelagem; regressão

Texto completo:

PDF

Referências


FINGER, C. A. G. Fundamentos de biometria florestal. Santa Maria: UFSM, 1992. 269p.

LOETSCH, F.; ZÖHRER, F.; HALLER, K. E. Forest inventory. Reinbek: Federal Research Organization for Forestry and Forest Products, Forest Inventory Section, 1973. 469p. v. 2.

MACHADO, S. A.; CONCEIÇÃO, M. B.; FIGUEIREDO, D. J. Modelagem do volume individual para diferentes idades e regimes de desbaste em plantações de Pinus oocarpa. Ciências Exatas e Naturais, Curitiba, v. 4, n. 2, p. 185-196, 2002.

MEYER, H. A. A correction for a systematic errors occurring in the application of the logarithmic volume equation. Pensylvania: Forestry School Research, 1941. 15p. (Forestry School Research Paper; 7)

PRODAN, M. Forest biometrics. New York: Pergamon Press, 1968. 447p.

SANTA CATARINA. Gabinete de Planejamento e Coordenação Geral. Sub-chefia de Estatística, Geografia e Informática. Atlas de Santa Catarina. Rio de Janeiro: Aerofoto Cruzeiro, 1986. 176p.

SANTANA, O. A.; ENCINAS, J. I. Equações volumétricas para uma plantação de Eucalyptus urophylla destinada a produção de lenha. In: SIMPÓSIO LATINO-AMERICANO SOBRE MANEJO FLORESTAL, 3. Anais… Santa Maria: UFSM/PPGEF, 2004. p. 107-111.

SILVA, J. A. A.; PAULA NETO, F.; BRANDI, R. M. Análise de modelos volumétricos para a construção de tabelas de volume comercial para Eucalyptus spp, segundo a espécie, região e métodos de regeneração. Revista Árvore, Viçosa, v. 2, n. 1, p. 86-89,1978.

THIERSCH, A. A eficiência das distribuições diamétricas para prognose da produção de Eucalyptus camaldulensis. Lavras, 1997. 155f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/198050981911

Licença Creative Commons