Sobrevivência e crescimento de mudas de regeneração natural de Astronium gracile Engl. em clareiras causadas por exploração florestal na Amazônia brasileira

Larissa Corrêa Lopes Quadros, João Olegário Pereira de Carvalho, Jaqueline Macêdo Gomes, Marisol Taffarel, Joice Carolina Fernandes Silva

Resumo


 

http://dx.doi.org/10.5902/1980509810552

Avaliou-se a sobrevivência e o crescimento em altura de indivíduos da regeneração natural de Astronium gracile Engl., em diferentes tamanhos de clareiras ocasionadas pela exploração florestal no município de Paragominas, Pará. As mudas de Astronium gracile foram selecionadas aleatoriamente nas clareiras. As medições foram feitas nos anos de 2005, 2006, 2008 e 2010. As clareiras foram classificadas em pequenas (200 - 400 m²), médias (401 - 600 m²) e grandes (> 600 m²). As mudas de regeneração natural de Astronium gracile, espécie considerada tolerante à sombra, se beneficiaram da abertura de clareiras, principalmente das maiores, para crescer em altura e para sobreviver, demonstrando potencial para uso em sistemas silviculturais, visando aumentar o valor comercial da floresta para futuras colheitas de madeira.


Palavras-chave


floresta de terra firme; tratamento silvicultural; manejo florestal

Texto completo:

PDF

Referências


BAZZAZ, F. A.; PICKETT, S. T.A. Physiological ecology of tropical succession: a comparative rewiew. Annual Review of Ecology and Systematics, New York, v. 11, p. 287-310, Nov. 1980.

BARTON, A. M. Neotropical pioneer and shade-tolerant tree species: do the partition trefall gaps. Tropical Ecology, New York, v. 25, p. 196-202, 1984.

BROKAW, N. V. L. Gap-phase regeneration in a tropical forest. Ecology, Durham, v. 66, n. 3, p. 682-687, 1985.

CARON, B. O. et al. Crescimento em viveiro de mudas de Schizolobium parahyba (Vell.) S. F. Blake. Submetidas a níveis de sombreamento. Ciência florestal, Santa Maria, v. 20, n. 4, p. 683-689, out./dez. 2010.

CARVALHO, J. O. P. Classificação em grupos ecológicos das espécies mais importantes em uma área de floresta Nacional do Tapajós. Belterra, PA. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 2000. 4 p. (Embrapa Amazônia Oriental. Comunicado Técnico, 41).

COSTA, D. H. M.; SILVA, J. N. M.; CARVALHO, J. O. P. de. Crescimento de árvores em uma área de terra firme na floresta nacional do tapajós após a colheita de madeira. Revista de Ciências Agrárias, Belém, n. 50, p. 63-76, jul./dez. 2008.

DENSLOW, J. S. Gap partitioning among tropical rain forest trees. Biotropica, Austrália, v. 12, p. 47-55, 1980.

GOMES, J. M. et al. Sobrevivência de espécies arbóreas plantadas em clareiras causadas pela colheita de madeira em uma floresta de terra firme no município de Paragominas na Amazônia brasileira. Acta Amazonica, Manaus, v. 40, n. 1, p. 171-178, 2010.

GUIMARÃES, R. de P. M. Avaliação da regeneração natural de Tetragastris altissima (Aubl.) Swart em clareiras abertas em florestas exploradas seletivamente. 2008. 100 f. Dissertação (Mestrado em Botânica Tropical) – Universidade Federal Rural da Amazônia/ Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, 2008.

JARDIM, F. C. da S. et al. Dinâmica da vegetação arbórea com DAP menor que 5,0 cm na Estação Experimental de Silvicultura Tropical do INPA, Manaus - AM. Boletim da FCAP, Belém, v. 23, p. 7-32, 1995.

JARDIM, F. C. da S.; SERRÃO, D. R.; NEMER, T. C. Efeito de diferentes tamanhos de clareiras, sobre o crescimento e a mortalidade de espécies arbóreas, em Moju-PA. Acta Amazonica, Manaus, v. 37, n.1, p. 37-48, 2007.

JARDIM, F. C. da S.; SOARES, M. da S. Comportamento de Sterculia pruriens (Aubl.) Schum. em floresta tropical manejada em Moju-PA. Acta Amazonica, Manaus, v. 40, n. 3, p. 535-542, 2010.

HARTSHORN, G. S. Neotropical forest dynamics. Biotropica, Austrália, v. 12, p. 23-30, 1980.

MARTINS, S. V. et al. Caracterização do dossel e do estrato de regeneração natural no sub-bosque e em clareiras de uma floresta estacional semidecidual no município de Viçosa-Mg. Revista Árvore, v. 32, n. 4, p. 759-767, 2008.

OLIVEIRA, L. C. de. et al. Exploração florestal e eficiência dos tratamentos silviculturais realizados em uma área de 136 ha na Floresta Nacional do Tapajós, Belterra-Pará. Revista de Ciências Agrárias, Belém, n. 46, p. 195-213, 2006.

ORIANS, G. H. The influence of tree-falls in tropical forests in tree species richness. Tropical Ecology, New York, v. 23, n. 2, p. 255-279, 1982.

PINTO, A. M.; VARELA, V. P.; BATALHA, L. F. P. Influência do sombreamento no desenvolvimento de mudas de Louro pirarucu (Licaria canella (Meissn.) Kosterm). Acta Amazonica, Manaus, v. 23, n. 4, p. 397-402 1993.

POGGIANI, F.; BRUNI, S.; BARBOSA, E. S. Q. Efeito do sombreamento sobre o crescimento das mudas de três espécies florestais. Revista do Instituto Florestal de São Paulo, v. 4, n. 2, p. 564-569, 1992.

RODRIGUES, T. E. et al. Caracterização e classificação dos solos do município de Paragominas, Estado do Pará. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 2003. 51 p. (Documentos 162).

RONDON NETO, R. M. et al. Estrutura e composição florística da comunidade arbustivo-arbórea de uma clareira de origem antrópica, em uma floresta estacional semidecídua montana, Lavras-MG, Brasil. Cerne, Lavras, v. 6, n. 2, p. 079-094, 2000.

SANSEVERO, J. B. B.; PIRES, J. P. de A.; PEZZOPANE, J. E. M. Caracterização ambiental e enriquecimento da vegetação de áreas em diferentes estágios sucessionais (pasto, borda, clareira e floresta). Revista Científica Eletrônica de Engenharia Florestal, Garça, v.6, n. 7, fev. 2006.

SCALON, S. P. Q.; ALVARENGA, A. A. Efeito do sombreamento sobre a formação de mudas de Pau-pereira (Platycyamus regnelli Benth). Revista Árvore, v. 17, n. 3, p. 265-270, 1993.

SERRÃO, D. R.; JARDIM, F. C. da S.; NEMER, T. C. Sobrevivência de seis espécies florestais em uma área explorada seletivamente no município de Moju, Pará. Cerne, Lavras, v. 9, n. 2, p. 153-163, jul./dez. 2003.

SWAINE, D.; WHITMORE, T. C. On the definition of ecological species groups in tropical rain forests. Vegetatio, v. 75, p. 81-86, 1988.

TANAKA, A.; VIEIRA, G. Autoecologia das espécies florestais em regime de plantio de enriquecimento em linha na floresta primária da Amazônia Central. Acta Amazonica, Manaus, v. 36, n. 2, p. 193–204, 2006.

VELOSO, H. P.; RANGEL FILHO, A. L. R.; LIMA, J. C. A. Classificação da vegetação brasileira adaptada a um sistema universal. IBGE, Departamento de Recursos Naturais e Estudos Ambientais, Rio de Janeiro, 1991, 124 p.

WATRIN, O. S.; ROCHA, A. M. A. Levantamento de vegetação natural e uso da terra no Município de Paragominas (PA) utilizando imagens TM/Landsat. Belém: EMBRAPA-CPATU, 1992, 40 p. (Boletim de Pesquisa, 124).




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509810552

Licença Creative Commons