CRESCIMENTO DE ESPÉCIES ARBÓREAS EM UMA FLORESTA NATURAL DE TERRA FIRME APÓS A COLHEITA DE MADEIRA E TRATAMENTOS SILVICULTURAIS, NO MUNICÍPIO DE PARAGOMINAS, PARÁ, BRASIL

Deivison Venicio Souza, João Olegário Pereira de Carvalho, Fernanda da Silva Mendes, Lia de Oliveira Melo, José Natalino Macedo Silva, Fernando Cristóvam da Silva Jardim

Resumo



http://dx.doi.org/10.5902/1980509820585

Este trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos de tratamentos silviculturais sobre o crescimento de uma floresta natural de terra firme explorada usando técnicas de impacto reduzido. A pesquisa foi conduzida na Área de Manejo Florestal (AMF) da Fazenda Rio Capim, pertencente à empresa Cikel Brasil Verde Madeiras Ltda., localizada no município de Paragominas, Estado do Pará. A área experimental correspondeu a 500 ha, nos quais foram estabelecidos cinco tratamentos (100 ha cada) com quatro repetições (25 ha cada) seguindo um delineamento completamente ao acaso. As repetições foram distribuídas aleatoriamente na amostra de 500 ha na AMF. Foram avaliados os seguintes tratamentos: T1 – exploração de impacto reduzido (EIR) + desbaste de liberação clássico e corte de cipós; T2 – EIR + desbaste de liberação modificado e corte de cipós; T3 – EIR + corte de cipós; T6 – apenas EIR; T7 - floresta não explorada (testemunha). Nos quatro anos de monitoramento da floresta, após a colheita de madeira e aplicação dos tratamentos silviculturais, T2 e T3 tiveram as maiores taxas de crescimento em diâmetro. Contudo, o período de quatro anos não é suficiente para indicar o tratamento “mais adequado”, com base no crescimento em diâmetro, em resposta à anelagem de árvores e corte de cipós. Em nível de espécie, o crescimento variou entre e dentro dos tratamentos experimentais. Em geral, as menores taxas de crescimento em diâmetro ocorreram na floresta não explorada (T7).


Palavras-chave


incremento diamétrico; silvicultura pós-colheita; anelagem de árvores; corte de cipós.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVINO, F. de O.; RAYOL, B. P.; SILVA, M. F. F. da. Avaliação de tratamentos silviculturais aplicados a espécies competidoras de Platonia insignis Mart. (Clusiaceae), em florestas secundárias na zona bragantina, Pará, Brasil. Revista de Ciências Agrárias, Belém, n. 45, p. 45-57, jan./jun. 2006.

AMARAL, P. et al. Floresta para sempre: um manual para a produção de madeira na Amazônia. Belém: Imazon, 1998. 130 p.

AZEVEDO. C. P. de. et al. Efeito de diferentes níveis de exploração e de tratamentos silviculturais sobre a dinâmica da floresta remanescente. Floresta, Curitiba, v. 38, n. 2, p. 277-293, abr./jun. 2008.

CARVALHO, J. O. P. de. Dinâmica de florestas naturais e sua implicação para o manejo florestal. In: Tópicos em manejo florestal sustentável. Colombo, PR: Embrapa – CNPF. p. 43-55, 1997.

CARVALHO, J. O. P. de. Classificação em grupos ecológicos das espécies mais importantes em uma área de Floresta Nacional do Tapajós, Belterra, PA. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, (Embrapa Amazônia Oriental. Comunicado Técnico, 41). 4 p. 2000.

CARVALHO, J. O. P. de; SILVA, J. N. M.; LOPES, J. do C. A. Growth rate of a terra firme rain forest in brazilian amazonia over an eight-year period in response to logging. Acta Amazônica, Manaus, v. 34, n. 2, p. 209-217. 2004.

COSTA, D. H. M.; SILVA, S. M. A. da; SILVA, J. N. M. Efetividade e custos do desbaste com aplicação de arboricida em floresta natural na região do Tapajós, Pará e Jari, Amapá. In: Silva, J. N. M.; Carvalho, J. O. P. de; Yared, J. A. C. (Ed.). A silvicultura na Amazônia Oriental: contribuições do projeto Embrapa-DFID. Belém: Embrapa Amazônia Oriental: DFID. 2001. p. 339-352.

DE GRAAF, N. R. de. A silvicultural system for natural regeneration of tropical rain forest in Suriname. Wageningen: Agricultural University. 1986. 250 p.

DE GRAAF, N. R.; POELS, R. L. H.; VAN ROMPAEY, R. S. A. R. Effect of silvicultural treatment on growth and mortality of rainforest in Surinam over long periods. Forest Ecology and Management. v. 124, p. 123-135. 1999.

HUTCHINSON, I. D.; WADSWORTH, F. H. Efectos de la liberación en un bosque secundario de Costa Rica. Recursos Naturales y Ambiente. n. 46-47, p. 152-157. 2006.

JARDIM, F. C. da S. et al. Dinâmica da vegetação arbórea com DAP maior ou igual a 5,0 cm: comparação entre grupos funcionais e ecofisiológicos na estação experimental de silvicultura tropical do INPA, Manaus-AM. Revista Árvore, Viçosa, v. 20, n. 3, p. 267-278. 1996.

JARDIM, F. C. da S.; SOARES, M. da S. Comportamento de Sterculia pruriens (Aubl.) Schum. em floresta tropical manejada em Moju-PA. Acta Amazônica, Manaus, v. 40, n. 3, p. 535-542. 2010.

MACIEL, M. de N. et al. Uso de imagens orbitais na estimativa de parâmetros estruturais de uma floresta primária no município de Paragominas, Estado do Pará. Revista de Ciências Agrárias, Belém, n. 52, p. 159-178, jul./dez. 2009.

OLIVEIRA, L. C. de et al. Efeito da exploração de madeira e tratamentos silviculturais na composição florística e diversidade de espécies em uma área de 136 ha na Floresta Nacional do Tapajós, Belterra, Pará. Scientia Forestalis. n. 69, p. 62-76, dez. 2005.

OLIVEIRA, L. C. de et al. Eficiência de anelamento aplicado como tratamento silvicultural em florestas manejadas na Amazônia ocidental. Rio Branco. Comunicado Técnico nº 172. 2009. 9 p.

PEÑA-CLAROS, M. et al. Regeneration of commercial tree species following silvicultural treatments in a moist tropical forest. Forest Ecology and Management. v. 255, p. 1283-1293. 2008.

PÉREZ-SALICRUP, D. R. et al. Cost and efficiency of cutting lianas in a lowland liana forest of Bolivia. Biotropica. v. 33, n. 2, p. 324-329. 2001.

RODRIGUES, T. E. et al. Caracterização e classificação dos solos do município de Paragominas, Estado do Pará. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, (Embrapa Amazônia Oriental. Documentos, 162). 2003. 51 p.

SABOGAL, C. et al. Silvicultura na Amazônia brasileira: avaliação de experiências e recomendações para implementação e melhoria dos sistemas. 1. ed. Belém: Embrapa - CIFOR, 2006. 190 p.

SANDEL, M. P.; CARVALHO, J. O. P. de. Anelagem de árvores como tratamento silvicultural em florestas naturais da Amazônia brasileira. Revista de Ciências Agrárias, Belém, n. 33, p. 9-32. 2000.

SCHULZE, M.; GROGAN, J.; VIDAL, E. O manejo florestal como estratégia de conservação e desenvolvimento socioeconômico na Amazônia: quanto separa os sistemas de exploração madeireira atuais do conceito de manejo florestal sustentável? In: Nurit Bensusan, N.; Armstrong, G (eds.). O manejo da paisagem e a paisagem do manejo. Brasília: Instituto Internacional de Educação do Brasil, 2008. 161-213 p.

SILVA, J. N. M. et al. Growth and yield of a tropical rain forest in the Brazilian Amazon 13 years after logging. Forest Ecology and Management. v. 71, p. 267-274. 1995.

SILVA, J. N. M. et al. Growth and yield studies in the Tapajós region, Central Brazilian Amazon. Commonwealth Forestry Review. v. 75, n. 4, p. 325-329. 1996.

SILVA, J. N. M.; CARVALHO, J. O. P. de; LOPES, J. do C. A. Um sistema silvicultural policíclico para produção sustentada de madeira na Amazônia brasileira. In: Simpósio Silvicultura na Amazônia Oriental: Contribuições do Projeto Embrapa/DFID. Documentos, 123. Belém: Embrapa-CPATU. 1999. p. 180-185.

SILVA, J. N. M. et al. Crescimento, mortalidade e recrutamento em florestas de terra firme da Amazônia Oriental: observações nas regiões do Tapajós e Jarí. In: Silva, J. N. M.; Carvalho, J. O. P. de; Yared, J. A. G. (Ed.) A silvicultura na Amazônia Oriental: contribuições do projeto Embrapa/DFID. Belém: Embrapa Amazônia Oriental/DFID. 2001. p. 291-308.

SILVA, J. N. M. Manejo Florestal. 3. ed. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, v.1. 2001. 49 p.

SILVA, R. P. da et al. Uso de banda dendrométrica na definição de padrões de crescimento individual em diâmetro de árvores da bacia do rio cuieiras. Acta Amazônica, Manaus, v. 33, n. 1, p. 67-84. 2003.

SILVA, J. N. M. et al. Diretrizes para instalação e medição de parcelas permanentes em florestas naturais da Amazônia brasileira. 1. ed. Belém: Embrapa, 2005. 68 p.

VELOSO, H. P.; RANGEL FILHO, A. L. R.; LIMA, J. C. A. 1991. Classificação da vegetação brasileira adaptada a um sistema universal. IBGE, Departamento de recursos naturais e estudos ambientais, Rio de Janeiro. 124 p.

VILLEGAS, Z. et al. Silvicultural treatments enhance growth rates of future crop trees in a tropical dry forest. Forest Ecology and Management. v. 258, p. 971-977. 2009.

WADSWORTH, F. H. Producción forestal para América Tropical. Washington: USDA, 2000. 602 p.

WADSWORTH, F. H.; ZWEEDE, J. C. Liberation: acceptable production of tropical forest timber. Forest Ecology and Management. v. 233, n. 1, p. 45-51. 2006.

WATRIN, O. dos S.; ROCHA, A. M. A. Levantamento da vegetação natural e do uso da terra no município de Paragominas (PA) utilizando imagens TM/LANDSAT. Belém: Embrapa-CPATU. (Embrapa - CPATU. Boletim de Pesquisa, 124). 1992. 40 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1980509820585

Licença Creative Commons