Ressonâncias de um caderno docente em tempos pandêmicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/1983734870535

Palavras-chave:

Afeto, Invenção, Pandemia de Covid-19, Docência, Plano de composição

Resumo

O texto deriva da pesquisa de mestrado intituladaInvenções em um caderno docente: movimentos afetivos de pesquisa e docência’, na qual se propôs a composição com traços dos conceitos de afeto (DELEUZE; 2002; 2019) e invenção (KASTRUP, 1999; 2001; 2016), em arranjo com a operação com recortes de cenas inscritas em um caderno docente, vivenciadas em torno da docência em arte, explorando, em aliança com elas, movimentações de escrita e produção de imagens a partir do ponto de vista de uma professora de arte/dança atuando em confinamento em sua casa, por consequência das medidas de isolamento social vivenciadas em função da pandemia de Covid-19. Do ponto de vista operativo-metodológico, o trabalho se deu a partir da manipulação das matérias (conceitos, cenas, produções artísticas, leituras no âmbito do grupo de pesquisa, entre outras) que colocam em movimento os escritos, apostando na instauração de um plano de composição (DELEUZE e GUATTARI, 1997) o qual ocupou-se mais em formular questões, que oferecer respostas. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Xavier Varella, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS

Possui graduação em Dança pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2014). Pós-graduada em Motricidade Infantil pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2017). Atualmente está cursando o Mestrado em Educação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Ministra o componente curricular Arte na rede estadual do estado do Rio Grande do Sul e na rede municipal de Porto Alegre, professora de dança da Escola de Educação Infantil Cisne Branco e professora de dança da Escola de Educação Infantil Pimpão. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Dança, atuando principalmente nos seguintes temas: dança, arte, ensino, dança na escola e afetividade.

Cristian Poletti Mossi, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS

Professor Adjunto da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) junto ao Departamento de Ensino e Currículo. Possui Doutorado em Educação (2014) pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE, Conceito Capes 5), na linha de pesquisa Educação e Artes e Mestrado em Artes Visuais (2010) pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais (PPGART), na linha de pesquisa Arte e Cultura, ambos pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM/RS) e com financiamento integral da CAPES. Graduação em Desenho e Plástica - Bacharelado e Licenciatura Plena (2004/2007), Pós-graduação - Especialização em Design para Estamparia (2008) na mesma instituição. Desde 2001 vem desenvolvendo estudos nas áreas de Artes Visuais, Educação e Cultura e atualmente foca suas pesquisas na interface desses campos com as Filosofias da Diferença, tendo interesse especial pelas inter-relações entre criação e docência. É membro pesquisador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Arte, Educação e Cultura (GEPAEC) e do Grupo de Estudo e Pesquisa em Arte e Docência - ARTEVERSA, ambos vinculados ao CNPq.

Referências

AZEVEDO, Adriana Barin de. A arte dos afetos em Deleuze e Espinosa. Alegrar (Campinas), v. 7, p. 1-11, 2011.

CORAZZA, Sandra Maria. Pesquisa-ensino: o "hífen" da ligação necessária na formação docente. Araucárias - Revista do Mestrado em Educação. FACIPAL. Palmas, v. 1, n. 1, 2002.

DALMASO, Alice Copetti. A perspectiva da invenção numa pesquisa em educação: processos e aprendizagens de um pesquisar-inventivo. Revista Digital do LAV, v. 7, p. 5-29, 2014.

DELEUZE, Gilles. Curso sobre Spinoza – Gilles Deleuze (Vincennes, 1978-1981). Tradução: Emanuel Angelo da Rocha Fragoso, Francisca Evilene Barbosa De Castro, Hélio Rebello Cardoso Júnior e Jefferson Alves de Aquino. Editora Universidade Estadual do Ceará, 3a Edição, 2019. Disponível em: http://clinicand.com/cursos-sobre-spinoza-gilles-deleuze-vincennes-1978-1981-pdf-em-portuguesonline/. Acesso em: 02 março. 2021.

DELEUZE, Gilles. Espinosa – Filosofia prática. Tradução: Daniel Lins e Fabien Pascal Lins. São Paulo: Escuta, 2002.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs - Capitalismo e Esquizofrenia. São Paulo: Editora 34, 2000.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é filosofia. São Paulo: Editora 34, 1997.

GALLO, Silvio. Em torno de uma Educação Menor. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 27 n. 2, p. 169-178, jul./dez. 2002.

GALLO, Silvio. Live online: Educar em tempos de pandemia. Projeto Agenciamentos Contemporâneos dentro do Laboratório de Filosofia, Ciências Humanas e Outros Sistemas de Pensamento, 2020. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=n6-nGmpfn2U&t=1s. Acesso em 3 de maio de 2020.

GARLET, Francieli Regina. et al. Revista da FUNDARTE. Montenegro, p.01-19, ano 21, nº 44, janeiro/março de 2021. Disponível em: http://.seer.fundarte.rs.gov.br/index.php/revistadafundarte/index>. Acesso em: 23/08/2021.

KASTRUP, Virgínia. A invenção de si e do mundo. Campinas: Papirus, 1999.

KASTRUP, Virgínia. Aprendizagem, arte e invenção. In: LINS, D. (Org.). Nietzsche e Deleuze: pensamento nômade. Rio de Janeiro: Relume Dumará; Fortaleza: Secretaria de Cultura e Desporto do Estado, 2001.

KASTRUP, Virgínia. Educação e invenção em tempos de incerteza. In: VOLZ, Jochen; PRATES, Valquíria (orgs.). Incerteza viva: processos artísticos e pedagógicos – 32a Bienal de São Paulo. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 2016, p. 1-5.

KASTRUP, Virgínia. Flutuações da atenção no processo de criação. In: LECERF, Eric; BORBA, Siomara e KOHAN, Walter (Org.). Imagens da imanência – escritos em memória de H. Bergson. Belo Horizonte: Autêntica, 2007, p. 59-71

KNEIPP, Carolina Goulart; MOSSI, Cristian Poletti. Entre o estranhamento e à espreita: um inventário de ideias para ensaiar criação em educação. Revista Digital do LAV, Santa Maria: UFSM, v. 12, n. 1, p. 4-17, jan./abr. 2019.

LAPOUJADE, David. As existências mínimas. São Paulo: n-1 edições, 2017.

LATOUR, Bruno. Capítulo 1 Como falar do corpo? A dimensão normativa dos estudos sobre a ciência. IN: Objectos Impuros: Experiências em Estudos sobre a Ciência. Porto: Afrontamento, 2008.

LEPECKI. André. Planos de Composição. In: Cartografia Rumos Itaú Cultural Dança 2009-2010 (orgs.) Christine Greiner, Cristina Espírito Santo e Sonia Sobral. São Paulo: Itaú Cultural, 2010. p.13-20.

MOSSI, Cristian Poletti. Material didático sobre Espinosa. Porto Alegre: Programa de Pós-graduação em Educação, Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2019. p. 1-22.

MOSSI, Cristian Poletti. Povoamentos e resistências entre docência e criação no ensino das artes. Belo Horizonte: Educação em revista, v.36, e219274, Ago/2020. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-

&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 12 de setembro de 2020.

OBREGON, Javier Sáenz. La escuela como dispositivo estético. In: FRIGERIO, G. y DIKER, G. (comp.). Educar: (sobre)impresiones estéticas. Buenos Aires: Del Estante, 2007, p. 73-86.

PELBART, Peter Pál. Poderíamos partir de Espinosa... Afuera. Estudios de crítica cultural. Año II, nº3, noviembre de 2007. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1Jk8Y9SLodIDhK4BZPTVjkeTBlMpEGaj/view?usp=sh aring. Acesso: 09/04/2021.

VARELLA, Fernanda Xavier. Invenções em um caderno docente: Movimentos afetivos de pesquisa e docência. 2021, 113 f. Dissertação (Mestrado em Educação) Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2021.

Downloads

Publicado

2022-11-18

Como Citar

Varella, F. X., & Mossi, C. P. (2022). Ressonâncias de um caderno docente em tempos pandêmicos . Revista Digital Do LAV, 15, e16/1–16. https://doi.org/10.5902/1983734870535