“E AGORA... A LAGARTA QUEIMOU!” O TEATRO DE FANTOCHES COMO INSTRUMENTO DE SENSIBILIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Cláudia Regina Bosa, Marilyn Verônica de Farias

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/2236130814311

Os envenenamentos ocasionados pelo contato com lagartas da espécie Lonomia obliqua, predominam na região sul do Brasil. Dentre os casos registrados de acidentes com esta lagarta no Paraná, 20% são com crianças na faixa etária entre 10 a 19 anos. O objetivo deste estudo foi sensibilizar, por meio de teatro de fantoches, alunos que participaram do Acantonamento Ecológico de Curitiba, sobre a importância de conhecer esta lagarta. O trabalho teve a participação de 102 alunos de 5º ano do Ensino Fundamental de três escolas de Curitiba. Nas escolas de origem foi aplicado um questionário pré-teste. Os alunos, ao participarem do Acantonamento, assistiram ao teatro de fantoches e, em seguida responderam ao mesmo questionário, denominado pós-teste. Os resultados dos questionários pré e pós-teste foram tabulados e analisados por meio do teste de qui-quadrado. Após a análise verificou-se a eficácia do teatro de fantoches no processo de sensibilização, reconhecimento e medidas de prevenção com relação à lagarta em questão.


Palavras-chave


Lonomia obliqua, interdisciplinaridade, acidente toxicológico.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130814311

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.