Educação Especial Inclusiva: uso de Recursos Educacionais Digitais nas Salas Multifuncionais

Arlete Vilela de Faria, Estela Aparecida Oliveira Vieira, Ronei Ximenes Martins

Resumo


Este relato apresenta pesquisa que teve como objetivo investigar a aplicação de Recursos Educacionais Digitais por professores durante o atendimento educacional especializado realizado em Salas de Recursos Multifuncionais de escolas públicas do sul de Minas Gerais que contam com este recurso. A abordagem adotada foi quanti-qualitativa com coleta de dados por meio de questionário e entrevistas semiestruturadas com os professores participantes. Foram convidados 70 docentes das escolas estaduais de 29 cidades e 40 concordaram em participar. A partir da triangulação e análise dos dados, elementos essenciais que compõem a prática in loco da educação especial, foram identificados, dentre eles, a falta de diagnóstico de deficiência dos estudantes atendidos nas Salas de Recursos Multifuncionais. Outro ponto relevante identificado foi o déficit na formação inicial do profissional, que não aborda a temática em profundidade. Em consequência, a formação continuada se torna necessidade premente para a edificação do conhecimento tanto no campo da educação especial e inclusiva quanto das Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação. Em relação à mediação e ao uso das tecnologias digitais, foram encontradas dissonâncias, pois, na maioria dos casos analisados, os recursos educacionais digitais não trouxeram alterações significativas na articulação entre ensino e conteúdo. Os resultados levaram à inferência de que existe necessidade de se estabelecer maior relação entre o currículo, os recursos tecnológicos disponíveis nas Salas de Recursos Multifuncionais, as demandas e peculiaridades dos estudantes e a mediação pedagógica do professor.


Palavras-chave


Mediação Pedagógica; Educação Especial; Tecnologia Educacional; Tecnologia da Informação.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


Boston Consulting Group (BCG); Instituto Ayrton Senna (IAS). Formação continuada de professores no Brasil: Acelerando o desenvolvimento dos nossos educadores. São Paulo, 2014.

BRASIL. LDB - Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. 14. ed. Brasília: Câmara dos Deputados, 2017a. 26 p. (Série Legislação, nº 263).

BRASIL. BNCC. Base Nacional Comum Curricular – Ensino Fundamental. Ministério da Educação / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEB, 2017.

BRASIL. Decreto Nº 10.502, de 30 de Setembro d 2020, que Institui a Política Nacional de Educação Especial: Equitativa, Inclusiva e com Aprendizado ao Longo da Vida. Brasília: 2020.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2014. 15 p.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília: Ministério da Educação, 2008. 19 p. (Documento elaborado pelo Grupo de Trabalho nomeado pela Portaria nº 555/2007, prorrogada pela Portaria nº 948/2007, entregue ao Ministro da Educação em 07 de janeiro de 2008).

BRASIL. LBI. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei brasileira de inclusão da pessoa com deficiência (Estatuto da pessoa com deficiência). Diário Oficial d União, Brasília, DF, 7 jul. 2015.

CANDAU, V. M. F. Ser professor/a hoje: novos confrontos entre saberes, culturas e práticas. Educação, Porto Alegre, v. 37, n. 1, p. 33-41, jan./abr. 2014.

COSCARELLI, C. V. Tecnologias para aprender. São Paulo: Parábola Editorial, 2016. 192 p.

DENZIN, N.K.; LINCOLN, Y.S. 2006. O planejamento da pesquisa qualitativa. Porto Alegre, Penso, 432 p.

FERNANDES, C. M. B.; CUNHA, M. I. Formação de professores: tensão entre discursos, políticas, teorias e práticas. Inter-Ação, Goiânia, v. 38, n. 1, p. 51-65, jan./abr. 2013.

FRANCO, C. C. C. A utilização de recursos educativos digitais na sala de aula: um componente fundamental no ensino? 2013. 92 p. Dissertação (Mestrado em Ensino da História e da Geografia) - Universidade Nova de Lisboa, Portugal, 2013.

FRIEDRICH, J. Lev Vigotski: mediação, aprendizagem e desenvolvimento: uma leitura filosófica e epistemológica. Campinas: Mercado de Letras, 2012. 128 p.

GIROTO, C. R.; POKER, R. B.; OMOTE, S. (Org.). As tecnologias nas práticas pedagógicas inclusivas. Marília: Oficina Universitária, 2012. 238 p.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003. 363 p.

MALHEIRO, C. A. L.; MENDES, E. G. Sala de recursos multifuncionais: formação, organização e avaliação. Jundiaí: Paco, 2017. 244 p.

MANTOAN, M. T. E.; PRIETO, R. G.; ARANTES, V. A. Inclusão escolar: contos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2006. 103 p.

MARTINS, R.X.; FLORES, V. F. Era uma vez o Proinfo... diferenças entre metas e resultados em escolas públicas municipais. Horizontes, v. 35, n. 2, p. 17-26, 2017. Disponível em: https://revistahorizontes.usf.edu.br/horizontes/article/view/319 (Acesso em 25 de fevereiro de 2020).

MASETTO, M. T. Mediação pedagógica e tecnologias de informação e comunicação. In: MORAN, J. M.; MASETTO, M. T.; BEHRENS, M. A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. Campinas: Papirus, 2013. p. 133-173. (Coleção Papirus Educação).

MILANEZ, S. G. C.; OLIVEIRA, A. A. S.; MISQUIATTI, A. R. N. Atendimento educacional especializado para alunos com deficiência intelectual e transtornos globais do desenvolvimento. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2013. 144 p.

MINAS GERAIS. Secretaria de Estado de Educação. Guia de orientação da Educação Especial na rede estadual de ensino de Minas Gerais. Belo Horizonte: SEE, 2014. 25 p.

MORAN, M. O uso das novas tecnologias da informação e da comunicação na EAD: uma leitura crítica dos meios. São Paulo: USP, 1999. 8 p. (Palestra realizada pela COPEAD/SEED/MEC)

MUNHOZ, D. J. et al. A oferta do atendimento educacional especializado e serviços de apoio na abrangência do núcleo regional de educação de Londrina-PR. In: SEDU - SEMANA DA EDUCAÇÃO, 17., 2017, Londrina. Anais... Londrina: Universidade Estadual de Londrina, 2017.

ROCHA, L. M.; FERNANDES, S. A oferta do atendimento educacional especializado nos municípios da área metropolitana norte de Curitiba, no contexto da política nacional de educação especial, na perspectiva da educação inclusiva. InterMeio, Campo Grande, v. 23, n. 45, p. 229-253, jan./jun. 2017.

SANTOS, J. O. L. et al. Atendimento educacional especializado: reflexões sobre a demanda de alunos matriculados e a oferta de salas de recursos multifuncionais na rede municipal de Manaus-AM. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 23, n. 3, p. 409-422, jul./set. 2017.

SAVIANI, D. Escola e democracia. 24. ed. São Paulo: Cortez, 1991.

SILVA, L. M. Educação inclusiva e formação de professores. Cuiabá: Instituto Federal de Educação, 2009. 90 p

SILVA, G. G. R. Diagnóstico da inserção de tecnologias educacionais em escolas de ensino fundamental do interior de Minas Gerais. 2019. 149 p. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação) – Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2019.

SILVA, S. C. G. C.; VELANGA, C. T. Formação inicial e continuada dos professores da sala de recurso multifuncional: o desafio da inclusão. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÂO, 12., 2015, Curitiba. Anais... Curitiba: Secretaria da Educação, 2015. p. 25216-25332.

SILVA, B.; LIMA, J. C. Utilização de recursos digitais nas aulas de apoio educativo – introduzindo processos metacognitivos e de auto-regulação das aprendizagens. In: COLÓQUIO SOBRE QUESTÕES CURRICULARES, 11; COLÓQUIO LUSO BRASILEIRO: DEBATER O CURRÍCULO E SEUS CAMPOS: POLÍTICAS, FUNDAMENTOS E PRÁTICAS, 5., 201, Porto. Anais... Porto: Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação, 2010. p. 4374-4387.

TARDIF, M.; RAYMOND, D. Saberes, tempo e aprendizagem do trabalho no magistério. Educação & Sociedade, Campinas, v. 21, n. 73, p. 209-244, dez. 2000

VALLE, J. W.; CONNOR, D. J. Ressignificando a deficiência: da abordagem social às práticas inclusivas na escola. Porto Alegre: AMGH, 2014. 240 p.

VASCONCELLOS-GUEDES, LILIANA; GUEDES, LUIS FERNANDO ASCENÇÃO. surveys: Vantagens e limitações dos questionários eletrônicos via internet no contexto da pesquisa científica1. X SemeAd-Seminário em Administração FEA/USP (São Paulo, Brasil), p. 84, 2007.

VIGOTSKI, L. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes. 2007. 184 p.

NETO, Alaim Souza; BIEGING, Patricia; BUSARELLO, Raul Inácio. O que é ser professor? São Paulo: Pimenta Cultural, 2020. 266p..

PIMENTA, Jussara Santos. Docência, Formação e Práticas Pedagógicas: Experiências e Pesquisas. Paco e Littera, 2019. 232 p..

PINTOCO, Vanessa Moreira. Visão do professor sobre o número de alunos por turma: uma contribuição para a melhoria da qualidade da educação. 2017. Dissertação (Mestrado em Estudos Profissionais Especializados em Educação) - Politécnico de Porto. Porto, 2017.

BELLO, Isabel Merelo. Formacao de Professores Profissionalidade E Pratica Docente. São Paulo: Arte & Ciência, 2002. 212 p..

GERSDORFF, Ralph von. Educação brasileira: problemas e soluções possíveis. São Paulo: Agir Editora, 1981. 171 p.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984686X61433

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOIhttp://dx.doi.org/10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação Especial agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

__________________________________________________