A escuta visual: a Educação de Surdos e a utilização de recurso visual imagético na prática pedagógica

Patrícia da Hora Correia, Bárbara Coelho Neves

Resumo


O estudo que se apresenta neste artigo buscou responder a seguinte questão: Como o recurso pedagógico visual imagético influencia a práxis pedagógica dos professores, com enfoque na educação bilíngue, de educandos surdos do ensino Fundamental I de uma escola em Salvador-Bahia. A discussão se baseou nos aportes teóricos da Educação Bilíngue e Pedagogia Surda, abordando os seguintes autores: Lopes (2007), Oliveira (2009) Quadros, (2006), Reily (2003), Sánchez (1991, 2002), Skliar (1998), Strobel (2009) entre outros. A investigação foi de cunho qualitativo com base na Pesquisa-Ação e objetivou analisar o lugar que o recurso pedagógico visual imagético ocupa na práxis pedagógica dos professores, com enfoque na educação bilíngue de educandos Surdos do Ensino Fundamental I. O processo investigativo envolveu a reflexão individual, coletiva da prática pedagógica de três educadoras que atuam no Ensino Fundamental I, numa instituição voltada para a Educação de Surdos. Foram utilizados os seguintes recursos na coleta de dados: 1. Ficha (formulário de observação), 2- Utilização de filmagens (análise de vídeos)  3 – Entrevista semi-estruturada (elaborada pela pesquisadora). Os resultados evidenciaram, entre outros pontos a experiência essencialmente visual da pessoa Surda requer uma reflexão sobre o efeito facilitador do material didático-pedagógico visual imagético utilizado, sua possível adequação e o uso de mídias como ferramenta didática, a fim de garantir-lhes as condições linguísticas para a construção de sua subjetividade, desenvolvimento e inserção social.


Palavras-chave


Recurso Pedagógico Visual Imagético. Educação Bilíngue. Surdez

Texto completo:

PDF

Referências


BUZAR, E. A. S. A Singularidade visuo-espacial do sujeito surdo: implicações educacionais. Dissertação de mestrado. Brasília: Faculdade de Educação da UnB, 2009.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei de Diretrizes e Bases a Educação Nacional nº 9.9394, 20 de dezembro de 1996. Disponível em: http://www.ufcg.edu.br/prt_ufcg/ce2016/Lei%209394.pdf. Acesso em: 20 de janeiro de 2016

BRASIL. Decreto nº 5.626 de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras e o artigo 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Brasília, 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm. Acesso em: 10 de janeiro de 2016.

BRASIL. Declaração de Salamanca e linhas de ação sobre necessidades educativas especiais. Brasília: CORDE, 1994

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil : texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, com as alterações adotadas pelas Emendas Constitucionais nos 1/1992 a 68/2011, pelo Decreto Legislativo nº 186/2008 e pelas Emendas Constitucionais de Revisão nos 1 a 6/1994. – 35. ed. – Brasília : Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2016.

CAMPELLO, A. R. S. Pedagogia visual: sinal na educação dos surdos. In: QUADROS, R. M. de.; PELIN, G. (orgs). Estudos Surdos II. Petrópolis: Arara Azul. p. 100-131, 2007.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à pratica educativa.24a Ed. São Paulo: Paz e Terra,1996.

GOLDFELD, Márcia. A criança surda: linguagem e cognição numa perspectiva sócio-interacionista. São Paulo: Plexus, 2002. 173 p

HOUAISS, Minidicionário da língua portuguesa. 2ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2004.

KELMAN, C. A. Significação e aprendizagem do aluno surdo. In MARTÍNEZ, A. M.; TACCA, M. C. V. R. (Orgs.) Possibilidades de aprendizagem: ações pedagógicas para alunos com dificuldade e deficiência. Campinas: Unix, 2011

LACERDA, C. B. F. de.; SANTOS, L. F.; CAETANO, J. F. Estratégias metodológicas para o ensino de alunos surdos. In: Língua brasileira de sinais: libras uma introdução. São Paulo: UAB-UFSCar, p. 103-118, 2011.

LARROSA, J. Pedagogia profana: danças, piruetas e mascaradas. Trad. Alfredo Veiga-Neto. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

NEVES, B.C. Tecnologia e mediação. Curitiba: CRV, 2017.

OLIVEIRA, P. A. de. Eros e Thanatos: um estudo em representações sociais da formação do professor sobre sua práxis com surdos. Salvador: Edufba, 2009.

REILY, L. H. As imagens: o lúdico e o absurdo no ensino de arte para pré-escolares surdos. In.: SILVA, I. R.; KAUCHAKJE, S.; GESUELI, Z. (Orgs.). Cidadania, surdez e linguagem: desafios e realidades. Cap. IX (pp.161-192). São Paulo: Plexus, 2003.

SÁ, N. L. Educação de surdos; a caminho do bilinguismo. Rio de Janeiro, Editora da Universidade Federal Fuminense, 1999.

SILVA, M. da P. M. A construção de sentido na escrita do aluno surdo. São Paulo: Plexus; 2001.

SIMÕES, E. da S. Menos do mesmo: a pedagogia visual na construção da L2. Anais..., VII Encontro da Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial. Londrina, 2011. p. 3608-3616.

SACKS, O. W. Vendo vozes: uma viagem ao mundo dos surdos. Oliver Sacks; tradução Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

SÁNCHEZ, C. La Educación de los sordos em un modelo bilíngue. Mérida: Iakonia, 1991.

SKLIAR, C. (Org). Educação e Exclusão: abordagem sócio-antropológica em Educação Especial. Porto Alegre: Mediação, 1997.

SKLIAR, C. A surdez: um olhar sobre as diferenças. 6. ed. Porto Alegre: Mediação, 2013.

SKLIAR, C. B. Um olhar sobre nosso olhar acerca da surdez e as deferências. In: SKLIAR. Carlos. B. (Org). A Surdez: um olhar sobre as diferenças. Porto Alegre: Mediação, 1998.

SOUZA, R. M. de. Que palavra que te falta? O que o surdo e a sua língua(gem) de sinais têm a dizer à lingüística e à Educação. 1996. Tese (Doutorado em Lingüística) – Instituto de Lingüística de Estudos da Linguagem – IEL, Universidade Estadual de Campinas –UNICAMP, Campinas, SP.

STROBEL, K. As imagens do outro sobre a cultura surda. 2 ed. Florianópolis: Ed. UFSC, 2009.

STROBEL, K. Surdos: vestígios culturais não registrados na história. 2006. (Dissertação Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

STROBEL, K. As imagens do outro sobre a cultura surda. Florianópolis: Ed da UFSC, 2008. 118 p.

THOMAS, A. da S. Comunidades, cultura, identidades e movimento surdo. Apostila do Curso de LIBRAS I, 2009 VYGOTSKY, L.S. Concrete human psychology. Soviet Psychology, v. 27, n. 2, p. 53-77, 1989

VYGOTSKY, Lev S. Obras escogidas. Madrid: Visor, 1997.

VYGOTSKY, Lev S. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1984686X27435

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOIhttp://dx.doi.org/10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

 

 

Periodicidade – Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição 31 março.

Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição 30 junho.

Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição 30 setembro.

Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________