Produção de madeira e casca verde por índice de sítio e espaçamento inicial de acácia-negra, Acacia mearnsii De Wild.

Paulo Renato Schneider, Frederico Dimas Fleig, César Augusto Guimarães Finger, Peter Spathelf

Resumo


No presente trabalho, foram elaboradas tabelas de produção de madeira e casca verde para Acacia mearnsii. Com dados originados de parcelas temporárias e permanentes instaladas em diferentes espaçamentos, distribuídas sobre toda a área de plantio desta espécie, foram ajustadas equações de regressão que apresentaram um coeficiente de determinação ajustado superior a 0,98 e um baixo erro padrão da estimativa em percentagem. Do estudo, resultaram cinco tabelas de produção por índice de sítio, estratificadas por espaçamento inicial que contêm o crescimento de altura dominante, diâmetro médio, altura média, área basal, volume com e sem-casca por hectare, peso de casca verde por hectare e incremento médio anual em volume com casca.


Palavras-chave


produção; madeira; casca; sítio; <i>Acacia mearnsii.</i>

Texto completo:

PDF

Referências


ASSMANN, E. Waldertragskunde. Muenchen: BLV Verlagsgessellschaft, 1961. 435p.

FUNDAÇÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Divisão do Brasil em microrregiões homogêneas. Rio de Janeiro, 1986.

MORENO, J. A. Clima do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Oficinas Gráficas da Secretaria da Agricultura – RS, 1961. 34p.

OLIVEIRA, H.A. Acácia-negra e tanino no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Tipografia Mercantil, 1960. v.1.

OLIVEIRA, H.A. Acácia-negra e tanino no Rio Grande do Sul. Canosa: La Salle, 1968. v.2.

POSENATO, R.E. Ensaio de espaçamento em acácia-negra. Roessleria, Porto Alegre, v.1, n.1, p.125-130, 1977.

SCHNEIDER, P.R. Modelos de equações e tabelas para avaliar o peso de casca de acácia-negra, Acacia mearnsii De Wild. 1978, 149p. Dissertação(Mestrado em Ciências Florestais) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

SCHNEIDER, P.R.; FLEIG, F.D.; FINGER, C.A.G. et al. Crescimento da acácia-negra, Acacia mearnsii De Wild., em diferentes espaçamentos. Ciência Florestal, Santa Maria, v.10. 2000. (Prelo)

SCHNEIDER, P.R.; HOSOKAWA, R.T. Estudo de equações volumétricas para tabelas de volumes com e sem casca para acácia-negra (Acacia mearnsii De Wild). Silvicultura, v. 14, p.90-95, 1978.

SCHNEIDER, P.R.; SILVA, J.A. Índice de sítio para acácia-negra, Acacia mearnsii De Wild. Brasil Florestal, Brasília, n. 36, p. 58-82, 1980.

SCHOENAU, A.P.G. A site evaluation study in Black Wattle (Acacia mearnsii de Wild.). Ann. Univ. von Stellenbosch, Stellenbosch, v. 44, n. 2A, p. 1-214, 1969.

SCHOENAU, A.P.G. Height growth and site index curves for Acacia mearnsii on the Uasingishu Plateau of Kenya. Commonwealth Forestry Review. v.52, n.153, p. 245-253, 1973.

SHERRY, S.P. The Black Wattle (Acacia mearnsii). Pietermorizburg: University of Natal Press, 1971. 402p.

SILVA, E.M.R., DOBEREINER, J. O papel das leguminosas no reflorestamento. In: SEMINÁRIO SOBRE ATUALIDADES E PERSPECTIVAS FLORESTAIS, 7., 1982, Curitiba. Anais... Curitiba: Associação biológicas entre espécies florestais e microorganismos para o aumento da produtividade econômica dos reflorestamentos, 1982. p.33-52.

STATISTICAL ANALYSIS SYSTEM (SAS). North Carolina: Institute Inc., 1996. (versão 6.0).




DOI: https://doi.org/10.5902/19805098502

Licença Creative Commons