A educação e o processo de reestruturação produtiva: a incapacidade civilizatória sob a égide do Capital

Marco Antonio de Oliveira Gomes, Marilsa Miranda de Souza, Ana Paula Aires Rodrigues

Resumo


O presente artigo tem como objetivos investigar os limites da promessa de inserção dos trabalhadores em um mercado cada vez mais competitivo e discutir as possíveis implicações dessa inserção para a classe trabalhadora no contexto atual. Trata-se de um estudo bibliográfico-documental, no qual como questão metodológica, torna-se imperativo analisar as mudanças advindas no interior da produção e suas conexões com a educação escolar. Os documentos analisados foram obtidos por meio das seguintes instituições oficiais: a Agência de notícias do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE e do Censo de Ensino Superior de 2014. Além disso, são apresentados dados existentes no relatório Tendências Globais de Emprego para a Juventude 2017, da Organização Internacional do Trabalho-OIT, entre outros considerados pertinentes. A análise aqui apresentada está subsidiada na epistemologia marxiana, já que essa nos possibilita a compreensão do princípio da totalidade, o que implica pensar as múltiplas relações existentes neste contexto e as vinculações objetivas dessas com o objeto da análise. Entendemos que os acontecimentos históricos em questão são expressão dos desafios enfrentados pelos trabalhadores diante das contradições nas relações de trabalho engendradas no modo de produção capitalista. Ressalta-se com base nos dados levantados, que o ideário da educação escolar como panaceia para a resolução da desigualdade social, trata-se em última instância, de uma falácia teórica produzida no bojo do próprio sistema.


Palavras-chave


Trabalho; Educação; Reestruturação produtiva do capital.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA-IBGE. Desemprego volta a crescer com 13,1 milhões de pessoas em busca de ocupação. Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/20674-desemprego-volta-a-crescer-com-13-1-milhoes-de-pessoas-em-busca-de-ocupacao. Acesso em: 14 de outubro de 2018.

ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

ARAÚJO, Ronaldo Marcos de Lima. As novas “qualidades pessoais” requeridas pelo capital. Trabalho & Educação. Núcleo de Estudos sobre Trabalho e Educação/UFMG, Belo Horizonte, nº 5, p. 18-33, 1999. Disponível em: https://seer.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/7535. Acesso

em: 01 de dezembro de 2018.

CARDOSO, Fernando Henrique. Apresentação. In: BRASIL. Ministério da Administração Federal e Reforma do Estado – MARE. Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. Brasília, DF: novembro de 1995.

CHAVES, Eduardo Oscar Epprecht e Machado de Campos. O liberalismo na política, economia e sociedade e suas implicações para a educação: uma defesa. In: LOMBARDI, José Claudinei;

SANFELICE (orgs.) Liberalismo e educação em debate. Campinas: Autores Associados, 2007.

COLARES, Anselmo Alencar; GOMES, Marco Antonio de Oliveira. A. O.; COLARES, Maria Lília Imbiriba Sousa. Educação Escolar e Trabalho: desmitificando sua propalada integração. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. 57, p. 165-179, jun. 2014. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640410. Acesso em: 28 de novembro de 2018

FRIEDMAN, Milton. Capitalismo e Liberdade. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação e a crise do capitalismo real. São Paulo: Cortez, 2000.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Delírios da razão: crise do capital e metamorfose conceitual no campo educacional. In: GENTILI, Pablo. (Org.). Pedagogia da exclusão: crítica ao neoliberalismo em educação. 12. ed. Petrópolis: Vozes, 2005, p. 77 – p. 108.

FRIGOTTO, Gaudêncio. A produtividade da escola improdutiva: um (re)exame das relações entre educação e estrutura econômico-social e capitalista. São Paulo: Cortez, 1984.

GENTILI, Pablo. Três teses sobre a relação trabalho e educação em tempos neoliberais. In: LOMBARDI, J.C.; SAVIANI, D.; SANFELICE, J.L. (orgs.) Capitalismo, trabalho e educação. Campinas: Autores Associados, 2004, p. 43 – p. 59.

HAYEK. Friedrich August von. O caminho da servidão. São Paulo: Instituto Ludwig von Mises Brasil, 2010.

HOBSBAWM, Eric. Era dos Extremos: o breve século XX (1914/1991). São Paulo: Companhia das Letras. 1995.

LIPOVETSKY, Gilles. A sociedade da decepção. Barueri: Manole, 2007.

LOMBARDI, José Claudinei. Crise Capitalista e Educação Brasileira. In: LOMBARDI, José Claudinei. Crise capitalista e educação brasileira. Uberlândia, MG: Navegando Publicações, 2016.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A Ideologia Alemã. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE RONDÔNIA. A Educação X Problemas Sociais. In: GATTO, Liccia. A Educação X Problemas Sociais. Coluna opinião. Gazeta de Alagoas. Maceió, 19 de dezembro de 2013. Disponível em: https://www.mpro.mp.br/noticia/-/ver-noticia/10861#.XAhi62hKjIU. Acesso em: 03 de dezembro de 2018.

NETTO, José Paulo; BRAZ, Marcelo. Economia Política: uma introdução crítica. (Biblioteca básica de serviço social; v.1) São Paulo: Cortez, 2012.

PIKETTY, Thomas. O capital no século XXI. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2014.

POCHMANN, Marcio. A metrópole do trabalho. São Paulo: Brasiliense, 2001.

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO. Tendências Globais de Emprego para juventude 2017: caminhos para um futuro melhor de trabalho. Genebra, 2017. Relatório. Disponível em: https://www.ilo.org/global/publications/books/global-employment-trends/WCMS_598669/lang--pt/index.htm. Acesso em: 01 de dezembro de 2018.

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO. Estimativas Globais da Escravidão Moderna: Trabalho Forçado e Casamento Forçado. In: Tendências Globais de Emprego para juventude 2017: caminhos para um futuro melhor de trabalho. Genebra, 2017. Genebra, 2017. Relatório. Disponível em: https://www.ilo.org/global/publications/books/global-employment-trends/WCMS_598669/lang--pt/index.htm Acesso em: 03 de dezembro de 2018.

SCHULTZ, Theodore William. O capital humano: investimentos em educação e pesquisa. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1973.

TEIXEIRA, Ana. Trabalho, tecnologia e educação: algumas considerações. Trabalho e Educação. Belo Horizonte, NETE/UFMG, nº 4, p. 161-184, 1998. Disponível em: https://seer.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/7494/5802. Acesso em: 01 de dezembro de 2018.

ZARIFIAN, Philippe. Uma crise inédita do capitalismo, tanto em suas características quanto em sua gravidade: análise e perspectivas. Estudos avançados, vol.23 no 65. São Paulo, 2009.

ZIEGLER, Jean. Genocídio silencioso: um sexto da humanidade não tem o que comer. Diário Liberdade. Jornal Trabalhadores Sem Terra. Página Global, 2011. Entrevista. Disponível em: https://www.diarioliberdade.org/mundo/laboral-economia/19878-genocidio-silencioso-um-sexto-da-humanidade-nao-tem-o-que-comer.html. Acesso em: 28 de fevereiro de 2018.

ZYLBERSTAJN, Hélio. Palestra Intitulada: “O Mercado de Trabalho e a sua Carreira”, proferida no dia 25 de maio de 2016, no anfiteatro Altino Antunes da Universidade de São Paulo-USP. São Paulo, 2016. (Informação verbal)




DOI: https://doi.org/10.5902/1984644435982

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc - Prédio 16
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao


ISSN Eletrônico: 1984-6444

DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19846444

Qualis/Capes: Educação A1

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação (UFSM) agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY 4.0).

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________

    

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar