PERCEPÇÕES DA RELAÇÃO PROFESSOR/LIVRO DIDÁTICO E AS FORMAS DE UTILIZAÇÃO DE SEUS RECURSOS NA ESCOLA ESTADUAL SÃO LOURENÇO, DOM AQUINO-MT

Carla Kênia Gomes Coelho, Deyliane Cristina dos Santos Coimbra, Claudia Lucia Landgraf-Valerio, Marcos Vinícius Ferreira Vilela

Resumo


O presente trabalho analisou a forma de utilização do livro didático e dos recursos disponibilizados por ele, pelos professores de Ciências da Escola Estadual São Lourenço, Dom Aquino-MT. Para a realização dessa pesquisa investigamos qual o papel atribuído ao livro didático no planejamento e execução das aulas pelos professores, e qual a importância e contribuição do mesmo no processo de Ensino de Ciências para os alunos. O trabalho se desenvolveu no método de uma pesquisa qualitativa, onde as observações em sala de aula, relatos de conversas e os questionários aplicados foram os objetos de estudo e reflexão, para obtenção dos resultados da pesquisa. Após a coleta de dados foram realizadas as intervenções. Foram duas aulas, uma no 9º Ano, que abordava o tema: Corpos iguais, tempo de queda diferente; e a outra no 7º ano com o tema: Aves e a poluição. As atividades propostas na intervenção foram retiradas dos recursos disponíveis no livro didático. Os alunos foram questionados oralmente antes e depois da intervenção, para que pudéssemos analisar se haveria uma aprendizagem significativa por parte dos mesmos.

Palavras-chave


Livro didático. Professores. Ensino de Ciências

Texto completo:

PDF

Referências


AUSUBEL, D. P. A aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Moraes, 1982, p.38.

BIZZO, N. Perspectivas para a atuação do Professor - Ciências: fácil ou difícil?2. ed. São Paulo: Ed. Ática, 2002, p.14.

BRASIL. Ministério da Educação – MEC. Projeto Político Pedagógico – PPP. Escola Estadual São Lourenço, Dom Aquino-MT, 2014, p.12.

BRASIL. Ministério da Educação – MEC. Plano Nacional do Livro Didático. Guia de livros didáticos. Brasília, 2010b, p.32.

BRASIL. Ministério da Educação – MEC. Programa Nacional do Livro Didático PNLD. Histórico. Disponível em: . Acesso em: 27 set. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação – MEC.. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Brasília, 2010c, p.31.

BRASIL. Ministério da Educação – MEC. Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN’s. Ciências Naturais. Brasília; 1998, p.26.

CAMPOS, C. J. G. Metodologia Qualitativa e Método Clínico-Qualitativo: Um Panorama Geral de seus Conceitos e Fundamentos. 2011. Disponível em: www.sepq.og.br Acesso em 27 set. 2014.

FREITAS, I.C. Critérios de escolha do livro didático de matemática: a experiência de escolas municipais de Nova Iguaçu. 2010. 143f. Dissertação (Mestrado, Educação e Humanidades) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade da Baixa Fluminense, Educação, Rio de Janeiro, 2010.

FREITAS, N. K; RODRIGUES, M. H. O livro didático ao longo do tempo: a forma do conteúdo. (Mestrado, Projeto de pesquisa). Santa Catarina, 2008.

FRISON, M.D; VIANNA, J; CHAVES, J.M; BERNARDI, F.N. Livro Didático como Instrumento de Apoio para a Construção de Propostas de Ensino de Ciências Naturais. Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Florianópolis, 2009, p.4-5.

HÖFLING, E.M. Notas para discussão quanto à implementação de programas de governo: em foco o Programa Nacional do Livro Didático. Educação & Sociedade[online], v.21, n.70, 2000, p.159.

KENCHTEL, C. M; BRANCALHÃO, R. M. C. Estratégias lúdicas no ensino de ciências. Paraná, 2008, p.3.

LAJOLO, M. Livro didático: um (quase) manual de usuário. Em Aberto, Brasília, n. 69, v. 16, jan./mar. 1996.

LOPES, A.C. Currículo e Epistemologia. Ijuí: Editora: Unijuí, 2007, p.205.

MANTOVANI, K.P. O Programa Nacional do Livro Didático – PNLD, impactos na qualidade do ensino público. 120f. Dissertação (Mestrado em Geografia Humana) - Universidade de São Paulo – Geografia, São Paulo, 2009, p.25.

NÓVOA, A. Professores: Imagens do Futuro Presente. Instituto de Educação Universidade de Lisboa. Alameda da Universidade. Lisboa; 2009, p.27-30.

NÚÑEZ, I.B; RAMALHO, B.L; SILVA, I.K.P.; CAMPOS, A.P.N. A Seleção dos Livros Didáticos: um saber necessário ao professor. O caso do ensino de ciências. Disponível em: http://www.rieoei.org/deloslectores/427Beltran.pdf. Acesso em: 27 set. 2014.

OLIVEIRA, D.L. Ciências nas salas de aula. Porto Alegre: Ed. Mediação, 1999, p.3.

PELIZZARI, A; KRIEGL, M.L; BARON, M.P; FINCK,N.T.L; DOROCINSKI, S.I. Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. Rev. PEC. V.2. nº 1. Curitiba: julho 2001-julho 2002.

PEREIRA, M. G. Pelas ondas do saber: Conhecer, agir e transformar o ambiente. Ciências: ensino fundamental, Antônio Carlos Pavão. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. v.18, 2010.

PERUZZI, H. U. et.al. Livros Didáticos, Analogias e Mapas Conceituais no Ensino de Célula. In: ARAGÃO, R. M. R. de; SCHNETZLER, R. P.; CERRI, Y. L. N. S. (Org.). Modelo de Ensino: Corpo Humano, Célula, Reações de Combustão. Piracicaba, São Paulo: UNIMEP/CAPES/PROIN, 2000.

REIS, P. Controvérsias sócio-científicas: discutir ou não discutir? Percursos de aprendizagem na disciplina ciências da terra e da vida. 457 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de Lisboa, Lisboa, 2004, p.147.

SGNAULIN, I.M. Seleção e Uso do Livro didático de Ciências por Professores Iniciantes e Experientes, da rede Municipal de Ensino de Campo Grande, Mato Grosso do sul. Universidade Católica Dom Bosco: Campo Grande, 2012.

SILVA, M. N. O; O Ensino de Ciências Naturais e a Prática Docente. (Pesquisa de campo). Piauí, 2008.

VASCONCELOS, S. D; SOUTO, E. O Livro Didático de Ciências no Ensino Fundamental – proposta de critérios para análise do conteúdo zoológico. Ciência & Educação, Bauru, v. 9, n. 1, 2003, p.93.

WUO, W. O ensino de física: saber científico, livros e prática docente. In: BUENO, J.G.S. (org). Escolarização, práticas didáticas, controle e organização do ensino. 1ª ed., Araraquara: J.M. Editores, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236130820436

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.