Análise das transformações ambientais no entorno do Parque Estadual do Lajeado, Palmas – Tocantins.

Simonní Elias Furtado, Sandro Sidnei Vargas de Cristo

Resumo


A pesquisa consiste na análise das transformações do uso do solo ocorridas entre os anos de 2000 a 2015 no entorno do Parque Estadual do Lajeado, localizado no município de Palmas, capital do estado do Tocantins, tomando-se como referência a observação da interferência das diferentes formas de ocupação ali instaladas. Para atingir o objetivo proposto utilizou-se técnicas de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto com a organização de um banco de dados via software Spring, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e a interpretação de imagens dos satélites Landsat 5 e Landsat 8, apoiadas por diversos trabalhos de campo. Os resultados mostram que a expansão urbana e agricultura em larga escala são os principais responsáveis pela significativa transformação dos aspectos naturais da área.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei nº 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Lex: Coleção de Leis do Brasil, Brasília, v. 7, p. 4917,2000.

BRASIL. Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis nºs 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis nºs 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, e a Medida Provisória nº 2.166- 67, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF. Seção 1 - 28 mai. 2012, p. 1.

BRASIL. Resolução CONAMA nº 428 de 17 de dez. 2010. Dispõe, no âmbito do licenciamento ambiental sobre a autorização do órgão responsável pela administração da Unidade de Conservação (UC), de que trata o § 3º do artigo 36 da Lei nº 9.985 de 18 de julho de 2000, bem como sobre a ciência do órgão responsável pela administração da UC no caso de licenciamento ambiental de empreendimentos não sujeitos a EIA-RIMA e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF,. Seção 1 - 20 dez. 2010, p. 805.

CUNHA, Cristina Ferreira da. Conflitos fundiários no Parque Estadual do Rio Negro Setor Sul.2012.Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Gestão de Áreas Protegidas Na Amazônia, MPGAP/INPA, Manaus –AM.

DSG, Diretoria de Serviço Geográfico do Exército (Brasília, DF): Carta Topográfica. Vila Canela,1979. 1 Carta topográfica. Escala 1:100.000. Folha SC-22-Z-B III, MI 1544.

MANTOVANI, L. E. Avaliação do meio físico da Reserva Ecológica da Serra do Lajeado, região de Palmas, Tocantins. In: MIRANDA, J.R., MANTOVANI, E., SANTOS R. Z., COUTINHO, A. C., MANGABEIRA, J. A. C. (Eds.).

Mapeamento ecológico da Reserva do Lajeado (TO). Campinas: EMBRAPA; NMA, 1992. p.6

TEIXEIRA, L.F.C. A formação de Palmas. Revista UFG, Goiânia, n. 6, jun, 2009. p. 91-99.

TOCANTINS (Estado). Instituto Natureza do Tocantins - NATURATINS. Plano de Manejo da APA Serra do Lajeado. 2003, p. 25.

TOCANTINS (Estado). Secretaria de Planejamento - SEPLAN/ DBO ENGENHARIA. Plano de Manejo Parque Estadual do Lajeado, Goiânia, 2005, p. 32.

TOCANTINS. Decreto nº 213 de 14 de fev. 1989. Dispõe sobre os limites geográficos da Área de Representação Ecológica Serra do Lajeado (ARESL); e dá outras providências. Diário Oficial do Estado do Tocantins, Poder Executivo, Palmas, TO. Seção 1 – 16 de fev. 1989, p. 33.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236499429699

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexações e Bases Bibliográficas