ANÁLISE DO USO E OCUPAÇÃO DA TERRA COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO DA ESTAÇÃO ECOLÓGICA SERRA GERAL DO TOCANTINS, ESTADOS DO TOCANTINS E BAHIA.

Sandro Sidnei Vargas de Cristo, Romário Trentin, Luis Eduardo de Souza Robaina

Resumo


A pesquisa consiste na análise do uso e ocupação da terra da Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins e entorno, localizada entre os estados do Tocantins e da Bahia, região do Jalapão. Para atingir o objetivo proposto adotou-se como procedimento metodológico o uso do geoprocessamento com a organização de um banco de dados via SIG utilizando o software SPRING e imagens de satélites (Cbers e Landsat), além de cartas topográficas, mapas e arquivos digitais. O trabalho apresenta a organização do mapa temático de uso e ocupação, além de uma ampla discussão dos fatores de pressão sobre a Estação Ecológica, como agropecuária, urbanização, entre outros. Os resultados demonstram que à análise do uso e ocupação é de suma importância para o melhor entendimento do valor ecológico-ambiental e devem ser considerados na gestão e conservação.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Decreto Lei s/n°. Brasília: 27 de set. de 2001. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/DNN/2001/Dnn9340.htm. Acesso em: 24 fev. 2011.

BRASIL. Lei no 9.985. Brasília: 18 de julho de 2000. Disponível em: . Acesso em: 24 fev. 2011

CÂMARA, G., DAVIS, C. MONTEIRO, M. Introdução à Ciência da Geoinformação. INPE, 2008. Disponível em: http://www.dpi.inpe.br/gilberto/livro/introd/. Acesso em: 20/03/2009.

CARVALHO JUNIOR, O. A. de. et al,. Compartimentação Geomorfológica do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros baseada em técnicas de Geoprocessamento. Planaltina – DF: EMBRAPA Cerrado, 2001. 18p

KLINC, C. A & MACHADO, R. B. Conservation of the do Brazilian Cerrado. Malden: Conservation Biology, v.19, 2005.

LIMA, M. J. et al. Unidades de Conservação da Natureza – identificação e mensuração das características geoambientais em Maceió e área de influência. In I Simpósio Regional de Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto, Anais. Aracaju – SE, 2002.

MAZZA, C. A. da S. et al. SIG aplicado à caracterização ambiental de uma unidade de conservação Floresta Nacional de Irati, Paraná. Goiania-GO. In: XII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto. Anais. São Paulo: INPE, 2005, p. 2251-2258.

MYERS, N. R. A. et al. Biodiversity hotspots for conservation priorities. Nature, 403, 2000.

PONTALTI, E. S. Subsídios para a implementação de Plano de Manejo em Parque Municipal por meio de Sistema de Informação Geográfica. Maringá–PR: Universidade Estadual de Maringá, Dissertação (Mestrado em Agronomia), 2009. 53p

RIBEIRO, J. F. & WALTER, B. M. T. Fitofisionomias do bioma Cerrado. In: SANO, S. M. & ALMEIDA, S. P. de. (Ed.). Cerrado: ambiente e flora. Planaltina-DF: Embrapa-CPAC, 1998. p. 87-166

ROSS, J. L. S. O. Registro Cartográfico dos Fatos Geomórficos e a Questão da Taxonomia do Relevo. In: Revista da Pós-Graduação de USP. São Paulo-SP: n.6, 1992.

SEPLAN. Atlas do Tocantins: Subsídios ao Planejamento da Gestão Territorial. Palmas – TO: SEPLAN, DZE, 6 ed. 2012. 80 pag.

VELOSO, A. & NERY, C. V. M. Geoprocessamento aplicado à caracterização do Parque da Lapa Grande em Montes Claros/MG. Curitiba – PR: In: XV SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO - SBSR, INPE, 2011. Anais. p.3711 – 3718.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2236499422311

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Indexações e Bases Bibliográficas