Geografia Ensino & Pesquisa https://periodicos.ufsm.br/geografia <p style="text-align: justify;">A revista <strong>Geografia Ensino &amp; Pesquisa, </strong>é um periódico mantido pelo Departamento de Geociências e pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia e Geociências - PPGGEO da Universidade Federal de Santa Maria, com objetivo de publicar Artigos originais na área de Geografia, visando abrir espaço para a divulgação científica e o debate qualificado dentro da ciência Geográfica. Para tanto, a revista aceita contribuições originais dentro de quatro grandes linhas temáticas: <em>Geoinformação e Sensoriamento Remoto; Meio Ambiente, Paisagem e Qualidade Ambiental; Produção do espaço e Dinâmica Regional; Geografia e Educação.</em></p> <p style="text-align: justify;"><strong>eISSN 2236-4994 | Qualis/CAPES (2017-2020) = A2</strong></p> Universidade Federal de Santa Maria pt-BR Geografia Ensino & Pesquisa 0103-1538 <p style="text-align: justify;">A revista <strong>Geografia Ensino &amp; Pesquisa</strong> deterá os direitos autorais dos trabalhos publicados. Os direitos referem-se a publicação do trabalho em qualquer parte do mundo, incluindo os direitos às renovações, expansões e disseminações da contribuição, bem como outros direitos subsidiá¡rios. Os autores comprometen-se com a originalidade do trabalho, e no caso de desistência da submissão, os autores assumem a responsabilidade de comunicar à revista.</p><p style="text-align: justify;">Após publicado os(as) autores(as) têm permissão para a publicação da contribuição em outro meio, impresso ou digital, em português ou em tradução, desde que os devidos créditos sejam dados à Revista Geografia – Ensino &amp; Pesquisa.</p><p style="text-align: justify;"> </p><p style="text-align: justify;"><span>A revista Geografia Ensino &amp; Pesquisa utiliza em suas publicações uma </span><a href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/" rel="license">Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License</a><span>.</span></p><p style="text-align: justify;"> <a href="https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0/" rel="license"><img src="https://i.creativecommons.org/l/by-nc-sa/4.0/88x31.png" alt="Creative Commons License" /></a><br /><br /></p> Crescimento urbano e parcelamento do solo de uma pequena cidade da Amazônia: o caso de Afuá, PA https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/84215 <p>A dificuldade de acesso à terra nas cidades se reflete na sua situação fundiária. Nas pequenas cidades da Amazônia a situação fundiária se reflete no parcelamento da terra. Assim, o objetivo deste artigo é apresentar um estudo do processo de parcelamento da terra urbana do município de Afuá, PA. Seu desenvolvimento pautou-se na compreensão histórica do processo de formação da cidade, por meio de levantamento dos registros de imóveis, disponíveis no cartório local e o número total de imóveis existentes no cadastro da Prefeitura Municipal de Afuá. O processo de parcelamento da terra, em Afuá, iniciou após a sua elevação à condição de cidade. O registro do imóvel por processo de compra e venda representou 62% das matrículas analisadas, não tendo sido verificado transferência por aforamento. Foi constatado que há informações diferentes sobre qual seria a dimensão da cidade legal.</p> Nilton Carlos Rosa Sandra Maria Fonseca da Costa Gustavo Rodrigo Milaré Montoia Copyright (c) 2024 Geografia Ensino & Pesquisa https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2024-04-26 2024-04-26 28 e84215 e84215 10.5902/2236499484215 Trajetórias de Luta: histórico, burocracia e conquista da terra em assentamentos rurais de Campo Maior, Piauí, Brasil https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/84725 <p>O Brasil é um país com enorme concentração fundiária, apesar do modelo de reforma agrária adotado pelo governo nas últimas décadas, baseado na criação de assentamentos rurais. Muitos desses assentamentos são oriundos das lutas de posseiros, amparados na função social da propriedade rural pós Constituição Federal de 1988. Nesse contexto, objetivou-se analisar as trajetórias de lutas na criação dos assentamentos rurais Fazenda Boa Vista e Brejinho, localizados em Campo Maior, Piauí, Brasil, relatando e discutindo os conflitos com os latifundiários, questões burocráticas, conquista da terra e regionalização do espaço ocupado. Utilizou-se uma abordagem interpretativa, através da análise documental, história oral, entrevistas temáticas e aplicação de formulários semiestruturados em assentados remanescentes dessas lutas. As duas desapropriações ocorreram devido à resistência e persistência coletiva dos posseiros, com significativas dissensões com os latifundiários e imensa burocracia estatal. Na área adquirida houve uma nova regionalização, emergindo uma simbologia de dimensão identitária e de novas dinâmicas de produção pela agricultura familiar. Constatou-se também um sentimento grupal de realização e orgulho dos assentados no espaço democraticamente ocupado.</p> Diogo Augusto Frota de Carvalho Jaíra Maria Alcobaça Gomes Copyright (c) 2024 Geografia Ensino & Pesquisa https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2024-04-26 2024-04-26 28 e84725 e84725 10.5902/2236499484725 Desenvolvimento humano municipal em projeto de assentamento dirigido no sul da Amazônia brasileira https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/74062 <p>O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) é uma forma normalizada de aferir o desenvolvimento humano de um município. Este estudo teve por objetivo avaliar o estágio de desenvolvimento dos municípios que surgiram na área do Projeto de Assentamento Dirigido (PAD) Marechal Dutra. Os procedimentos metodológicos foram organizados em etapas: 1) criação de base de dados geográficos; 2) análise estatística e; 3) elaboração de mapas temáticos. Os resultados demonstraram que o município de Ariquemes (RO) apresentou estágio de desenvolvimento moderado (IDH-M = 0,753). Os municípios de Alto Paraíso (RO), Cacaulândia (RO), Monte Negro (RO) e Rio Crespo (RO) encontram-se em estágio regular de desenvolvimento com IDH-M entre 0,519 e 0,575. A disparidade de desenvolvimento humano nos municípios que surgiram na área de consolidação do PAD Marechal Dutra, segue a tendência da desigualdade socioeconômica da macrorregião do Brasil.</p> Joiada Moreira da Silva Linhares Josélia Fontenele Batista Pablo Marques da Silva Davilla Vieira Odizio da Silva Graziela Tosini Tejas Copyright (c) 2024 Geografia Ensino & Pesquisa https://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/4.0 2024-04-26 2024-04-26 28 e74062 e74062 10.5902/2236499474062