https://periodicos.ufsm.br/geografia/issue/feed Geografia Ensino & Pesquisa 2022-05-15T15:13:16-03:00 Carina Petsch geografiaensinoepesquisa@ufsm.br Open Journal Systems <p style="text-align: justify;">A revista <strong>Geografia Ensino &amp; Pesquisa, </strong>ISSN 2236-4994<strong>,</strong> é um periódico mantido pelo Departamento de Geociências e pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia e Geociências - PPGGEO da Universidade Federal de Santa Maria, com objetivo de publicar Artigos originais na área de Geografia, visando abrir espaço para a divulgação científica e o debate qualificado dentro da ciência Geográfica. Para tanto, a revista aceita contribuições originais dentro de quatro grandes linhas temáticas: <em>Geoinformação e Sensoriamento Remoto; Meio Ambiente, Paisagem e Qualidade Ambiental; Produção do espaço e Dinâmica Regional; Geografia e Educação.</em></p> https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/55381 Estudo dos códigos culturais alemães: uma contribuição para o ensino e aprendizagem de Geografia em Paraíso do Sul/RS 2022-01-12T09:07:28-03:00 Denise Lenise Machado denisegeomachado@gmail.com Meri Lourdes Bezzi meribezzi@yahoo.com.br <p>O estudo da cultura é relevante para o processo de ensino e aprendizagem de Geografia, pois a partir da compreensão de conceitos relacionados à cultura os educandos constroem seu pensamento reflexivo sobre o espaço e as relações sociais que nele ocorrem, destacando as singularidades locais. Neste sentido, o trabalho buscou responder sobre a contribuição e importância dos grupos étnicos que colonizaram Paraíso do Sul/RS para sua formação cultural e de que forma a cultura pode auxiliar para a construção do conhecimento dos educandos no ensino básico, na disciplina de Geografia. Para realização da pesquisa foi selecionada a Escola Municipal de Ensino Fundamental Rodrigues Alves, e as atividades foram executadas no 8º ano. O trabalho se desenvolveu em etapas, sendo elas: levantamento bibliográfico, trabalho de campo e realização da atividade em sala de aula. Como consideração final, enfatiza-se que a cultura alemã é vivenciada pela comunidade, sendo fundamental no processo de ensino e aprendizagem em Geografia para compreensão e valorização da cultura local.</p> 2022-06-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Geografia Ensino & Pesquisa https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/66324 Geografia-Pastiche 2022-05-15T15:13:16-03:00 Leonardo Luiz Silveira da Silva leonardo.silveira@ifnmg.edu.br Alfredo Costa alfredo.costa@ifnmg.edu.br Larissa Santos Rocha da Silva lariflorestal@hotmail.com <p class="1Keywords">Este artigo, de cunho epistemológico, parte do pressuposto que o espaço geográfico se configura tal como um pastiche, mesmo em tempos pré-humanos. Para tanto, destaca que o dinamismo dos elementos que compõem o espaço, caracterizado por apartar aquilo que originalmente estava unido e unir aquilo que outrora estava apartado. Para além desta premissa, é defendido que a imaginação humana fabrica outros pastiches, seja pela incapacidade de assimilação das nuances espaço-temporais, seja como um ato político e, portanto, deliberado. Também se defende a hipótese de que a separação do plano do pastiche material e imaginativo não é adequado, tomando como base as reflexões existentes sobre a inadequação da divisão entre mente e matéria. Deste modo, considera-se que os pastiches imaginativos interferem no pastiche material de uma forma dialética e indissociável. Este é o arcabouço teórico desenvolvido e que busca, enquanto objetivo da reflexão, problematizar a essência pastiche do espaço geográfico, abordando a interface mente e matéria e apresentando como as leituras espaciais podem atender a uma lógica de poder, conceito aqui empregado holisticamente como a capacidade de produzir a ação em outrem.</p> 2022-07-06T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Geografia Ensino & Pesquisa https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/63583 Petróleo, empresas e gestão do território: uma análise sobre o mercado de combustíveis no município de Serrinha 2022-04-06T08:03:07-03:00 John Wolter Oliveira Silva johnwollter@outlook.com Renato Leone Miranda Léda renatolmleda@gmail.com <span>O presente artigo tem como objetivo analisar o processo de gestão territorial realizado pela atuação das empresas Postos de Revenda de Combustíveis (PRCs) no município de Serrinha/BA. Trata-se de um recorte da pesquisa intitulada </span><em>“Estratégias e práticas espaciais das distribuidoras e postos de combustíveis como agentes de gestão do território em escala local – O caso do município de Serrinha/BA</em><span>”, desenvolvida no âmbito do Curso de Geografia do Departamento Educação da Universidade do Estado da Bahia, Campus XI – Serrinha. Os PRCs representam uma parcela do conjunto de atividades ligadas ao setor do petróleo, se distribuem por todo o território nacional formando uma densa rede de estações de abastecimentos de veículos automotores, interconectados com as bases de distribuição regionais das principais empresas, como BR, Ipiranga, Raízen, Alesat, dentre outras. O arcabouço teórico-metodológico desta investigação ampara-se na perspectiva da abordagem qualitativa, sem excluir, necessariamente, o levantamento e análise de dados quantitativos, utilizando-os de modo complementar; com a discussão de pressupostos da Ciência Geográfica como Gestão do Território, Redes Geográficas e Circuitos Espaciais Produtivos e Círculos de Cooperação numa leitura de caráter geográfico-econômico aplicada na atuação empresas revendedoras de combustíveis na gestão do território no município de Serrinha/BA. Os procedimentos adotados foram a produção de mapeamento da configuração espacial dos PRCs de Serrinha/BA, pelo exercício de análise de imagens e da pesquisa de campo com visita aos 26 PRCs do município para aplicação de questionário e realização de entrevistas com gerentes e responsáveis, além do registro fotográfico da área dos postos e adjacências. Portanto, este trabalho, demonstrou o emaranhado de postos e distribuidoras que atuam nesta face do setor do petróleo no município, apresentando um potencial de disputas concorrenciais de preço e qualidade dos produtos e serviços, com tendência de expansão dessas relações ao considerarmos as transformações socioespaciais que um município tende a vivenciar no avançar do tempo histórico-geográfico.</span> 2022-07-05T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Geografia Ensino & Pesquisa https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/63339 A ocupação periférica, pelas populações com baixos rendimentos, na cidade de Pouso Alegre (MG) 2021-10-22T15:51:36-03:00 Alexandre Carvalho de Andrade alexandre.andrade@ifsuldeminas.edu.br <p>Os processos de expansão urbana das cidades médias brasileiras refletiram, espacialmente, as desigualdades socioeconômica de seus moradores e investidores, fazendo coexistir áreas mais e menos valorizadas nos espaços intraurbanos. Pouso Alegre, no Sul de Minas, apresentou significativos processos de crescimento populacional e expansão urbana, em especial após o início da década de 70 do século XX, quando foram mais intensivos o desenvolvimento e a diversificação da economia local e sua importância na rede urbana regional. O presente artigo tem o objetivo de demonstrar os processos de periferização da população com menores rendimentos de Pouso Alegre e as questões temporais, socioespaciais, econômicas e socioambientais dos bairros periféricos da cidade.</p> 2022-05-24T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Geografia Ensino & Pesquisa https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/64902 Adversidades impostas pela Covid-19 à Agricultura Familiar nos municípios de Santa Maria e São João do Polêsine/RS 2022-01-17T18:56:38-03:00 Michele Hennig Vestena michele-vestena@hotmail.com Josiane Oliveira De Campos josianecampos.geo@gmail.com Janete Webler Cancelier janetewc@gmail.com Marielen Priscila Kaufmann marielenpk@yahoo.com.br <p>A agricultura familiar está presente em 70% das propriedades rurais brasileiras. No entanto, apesar da representatividade, historicamente, essa categoria não é prioritária nas ações do Estado, tendo por necessidade crescer e se estabelecer à margem da agricultura empresarial, sendo que, somente sob os efeitos do êxodo rural acentuado, as políticas públicas para manutenção da população no campo são criadas, como o Programa Nacional de Financiamento Rural (PRONAF). Junto a isso, se inicia um processo de questionamentos sobre os efeitos à saúde, causados pelo intenso uso de defensivos agrícolas na produção de alimentos, assim, a agricultura orgânica/saudável, logo, de cunho familiar, ganha visibilidade e espaço no mercado, especialmente nas feiras livres. Nesse sentido, o presente trabalho busca averiguar os impactos da pandemia da COVID-19 nesse setor, uma vez que as unidades de comercialização passaram a funcionar em períodos reduzidos e com menor público. Objetiva-se apresentar as principais adversidades geradas pela Pandemia para a agricultura familiar nos municípios de Santa Maria/RS e São João do Polêsine/RS, bem como, as estratégias utilizadas para amenizar estas adversidades. Para tanto, são apresentados três estudos de casos, que foram estudados, metodologicamente, a partir de trabalho de campo in loco e questionários online. Os resultados encontrados são positivos e demonstram que, apesar das dificuldades, os agricultores se adaptaram, inserindo novas estratégias de comercialização e acesso aos clientes.</p> 2022-05-23T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Geografia Ensino & Pesquisa https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/63721 Identificação de áreas prioritárias para a recuperação da vegetação nativa, com o auxílio da modelagem espacial multicriterial, na bacia do rio Buranhém – Minas Gerais e Bahia 2021-10-22T15:51:00-03:00 Samuel Dias Santos samudias30@gmail.com Allívia Rouse Carregosa Rabbani alliviarouse@hotmail.com Leonardo Thompson da Silva leonardothompson@gmail.com Maria Otávia Silva Crepaldi mariaotavia@gmail.com <p class="1Abstracttexto">As alterações no uso da terra provocam diversos impactos na dinâmica de uma bacia hidrográfica. No entanto, existem áreas que são passíveis de uso, e outras que não poderiam ter sido desmatadas, devido às suas restrições legais e à sua importância ambiental para a manutenção dos ecossistemas, sendo necessário recuperá-las, caso estejam degradadas. Neste sentido, o objetivo deste estudo consistiu em identificar as áreas prioritárias para a recuperação da vegetação nativa na bacia do Rio Buranhém, nos estados de Minas Gerais e Bahia, a partir do uso da modelagem espacial multicriterial. Foram selecionados dez critérios, cujos aspectos legais e ambientais conferem à determinadas áreas maiores restrições de uso, em função da sua fragilidade ambiental ou da sua importância para a conservação das espécies e da paisagem natural, fazendo com que essas áreas sejam prioritárias para a recuperação, caso estejam degradadas. Os pesos dos critérios selecionados foram estabelecidos por meio do Processo Analítico Hierárquico (AHP). Foi utilizada a álgebra de mapas com o método da Combinação Linear Ponderada (CLP), resultando na elaboração de um mapa-síntese com a hierarquização das áreas prioritárias para a recuperação, permitindo, inclusive, a viabilização de corredores ecológicos interligando unidades de conservação e fragmentos florestais isolados.</p> 2022-06-22T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Geografia Ensino & Pesquisa https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/65331 Cartografia da Vulnerabilidade à contaminação de aquíferos: revisão conceitual 2022-03-17T10:41:46-03:00 Danilo Heitor Caires Tinoco Bisneto Melo danilo.melo@ufba.br Maria da Conceição Rabelo Gomes conceicaorabelo@yahoo.com.br Luiz Rogério Bastos Leal lrogerio@ufba.br <p>O texto objetiva realizar discussão conceitual referente a vulnerabilidade à contaminação de aquíferos, realizando uma revisão bibliográfica, recordando fatos que corroboraram nesta linha de pesquisa. Nesta análise percebe-se uma evolução do pensamento científico, com uma convergência teórico-metodológico em focar os perigos e ameaças de contaminação, contextualizando-o à um modelo de gestão ambiental. Além disto, nota-se a inexistência de um consenso comum sobre quais aspectos são relevantes na avaliação da vulnerabilidade à contaminação de aquífero. Com isto, faz-se uma classificação geral de avaliação da vulnerabilidade, em específica e intrínseca, para em seguida agrupar os métodos de avaliação. Por fim, constata-se a existência de uma correlação entre escala, consistência da informação e quantidade de variáveis analisadas.</p> 2022-07-05T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Geografia Ensino & Pesquisa https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/65183 O cadastro territorial multifinalitário na gestão dos municípios do Norte De Minas Gerais 2022-03-17T10:45:46-03:00 Marcos Esdras Leite marcos.leite@unimontes.br Robson José Veloso robson.veloso@gmail.com Geraldo Antonio dos Reis geraldo.reis@unimontes.br <p class="1Abstracttexto">Compreender o funcionamento dos cadastros territoriais multifinalitários (CTM) é imprescindível para aprimorar a gestão pública do município e, consequentemente, contribuir para o desenvolvimento municipal. Nesse sentido, o presente trabalho teve como objetivo analisar as condições dos cadastros territoriais dos municípios do Norte de Minas. Portanto, foi necessário demonstrar a importância das informações territoriais para a gestão dos municípios, logo o cadastro territorial é fundamental no processo de pensar e executar as políticas públicas. Dessa maneira, investigar como os municípios usam o cadastro territorial como instrumento de gestão, revelando suas limitações e suas potencialidades são fundamentais para aprimorar a gestão pública. Na metodologia, utilizou-se de pesquisa remota com servidores públicos e visitas às prefeituras dos municípios sedes das microrregiões do Norte de Minas. Verificou-se que são vários desafios de a serem enfrentados na administração pública para a tomada de decisão, mas com a implementação do CTM, isso pode ser facilitado. O trabalho procurou contribuir para a modernização do cadastro territorial nos municípios, uma vez que apresentou um diagnóstico desses setores e as necessidades de sua modernização, de modo a auxiliar no desenvolvimento municipal.</p> 2022-06-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Geografia Ensino & Pesquisa https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/65327 Considerações acerca do papel das políticas educacionais de acesso ao ensino superior na migração internacional de brasileiros 2022-01-11T11:01:55-03:00 Ariel Pereira da Silva Oliveira aripso543@gmail.com Ideni Terezinha Antonello antonello.uel@gmail.com <p>A migração de brasileiros, que deixam seu país à procura de melhores condições de vida, vem mostrando que a necessidade de inserção no mundo do trabalho não é o único fator que influencia essa tomada de decisão. Nos últimos anos passou-se a vislumbrar com maior nitidez casos onde a motivação foi a forma como as políticas educacionais foram historicamente estruturadas no Brasil e é com o intuito de contribuir para com esse debate que apresentamos o presente artigo, que tem como objetivo principal discutir a migração de brasileiros, para nações latino-americanas, por conta da das políticas educacionais de acesso à universidade que atuam como fator de expulsão. Este trabalho foi construído a partir da leitura de referencial bibliográfico referente à temática e entrevistas com brasileiros que imigraram para Rosário, na província argentina de Santa Fé para estudar medicina na Universidade Nacional de Rosário. Os resultados da pesquisa demonstraram que a forma como as políticas educacionais estão organizadas no Brasil contribui para a manutenção da desigualdade social e elitização das universidades e que a migração foi para os entrevistados a única forma de ter acesso a um ensino de qualidade em uma universidade pública, de forma gratuita e sem processos seletivos excludentes já que na Argentina a educação, desde o nível básico até o superior, é tratado como um direito humano inerente a todos, inclusive estrangeiros. </p> 2022-06-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Geografia Ensino & Pesquisa https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/63425 O mundo está mudando, e agora? Desafios para ensinar e aprender Geografia em tempos de pandemia 2021-10-22T15:51:31-03:00 Rafael Ghidini rafael.ghidini@gmail.com Najla Mehanna Mormul najlamehanna@gmail.com <p class="1Abstracttexto">Este trabalho discute alguns reflexos da pandemia de Covid-19 no ensino de Geografia. Para isso, realiza-se uma revisita à história da disciplina científica, evidenciando seus percalços constitutivos e a instabilidade de sua base epistemológica. Essa fragilidade reflete na Geografia Escolar uma vez que a disciplina na escola é atravessada, como a científica, por interesses externos. Por isso, relembramos a evidência já constante na bibliografia de que é necessário repensar a Geografia mnemônica e descritiva que é ensinada na escola, no sentido da constituição de um saber vivo e que explique a realidade dos alunos a partir do pensamento espacial. Nesse caminho, analisamos que a pandemia de Covid-19, por mais trágica situação que seja, apresenta também possibilidades para o ensino de Geografia centradas na tecnologia, motivo pelo qual apresentamos algumas ferramentas que podem ser utilizadas pelos professores. Concluímos, dessa maneira, que a situação pandêmica, mesmo sendo temporária, pode ter reflexos permanentes para o estabelecimento do papel e da importância da Geografia Escolar, reflexos estes que podem ser positivos ou negativos a depender das posturas e práticas adotadas pelos professores.</p> 2022-04-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Geografia Ensino & Pesquisa https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/63610 Geoturismo como estratégia de geoconservação para a Cachoeira da Pedra Negra, Sigefredo Pacheco, Piauí, Brasil 2022-01-13T16:41:27-03:00 HELENA VANESSA MARIA DA SILVA helenavessa18@gmail.com CLAUDIA MARIA SABÓIA DE AQUINO cmsaboia@gmail.com RENÊ PEDRO DE AQUINO rene.uespi@hotmail.com <p class="1Abstracttexto">Além de subsidiar atividades de geoconservação, como o geoturismo, estudos relacionados à geodiversidade podem contribuir para futuros projetos de ordenamento territorial. O presente trabalho tem como objetivo apresentar a potencialidade do geomorfossítio Cachoeira da Pedra Negra para a prática do geoturismo. A metodologia apoiou-se em levantamento bibliográfico, inspeção a campo para identificação e caracterização da área a partir de preenchimento de ficha de inventário proposta por Oliveira (2015). A relevância da temática e a carência de estudos no estado justificam a realização da pesquisa. A partir do potencial evidenciado foram propostas a confecção de um painel interpretativo e enfatizadas a necessidade de ações como cursos de capacitação para condutores locais. Essas estratégias de valorização e divulgação buscam potencializar o referido geomorfossítio, sobretudo no viés geoturístico. Conclui-se que é necessário, antes de tudo, proceder ao planejamento e criar políticas públicas que regulamentem a atividade. Só assim será possível caminhar na direção de um turismo sustentável e atingir um dos propósitos principais do geoturismo que é a geoconservação.</p> 2022-06-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Geografia Ensino & Pesquisa