Invisibilidades na Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA): os alunos com deficiência e o trabalho docente

Kamila Lockmann, Roseli Belmonte Machado

Resumo


Vivemos, na atualidade, um movimento de proliferação das avaliações em larga escala. Tal movimento convive, paradoxalmente, com a constituição da inclusão como imperativo contemporâneo. Discursos sobre o respeito à diferença chocam-se com as medições globais que prometem aferir a qualidade da Educação. Diante disso, questiona-se: o que os números são capazes de medir? O que escapa às avaliações em larga escala? Para responder tal questionamento a presente pesquisa analisou documentos oficiais que legislam sobre a Avaliação Nacional da Alfabetização e sobre os indicadores sociais; também realizou entrevistas com professores e diretores de escolas públicas localizadas em sete municípios do Rio Grande do Sul. A partir da coleta de dados argumenta-se, na esteira dos Estudos Foucaultianos, que as avaliações em larga escala produzem uma espécie de semelhança imaginada, uma vez que, ao considerar algumas variáveis, deixando outras tantas de fora, estabelece invisibilidades, tanto dos alunos com deficiência, quanto do trabalho docente.


Palavras-chave


Avaliação em Larga Escala; Inclusão escolar; Invisibilidades

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Avaliação Nacional da Alfabetização (ANA): documento básico. – Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2013. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/saeb/2013/livreto_ ANA_online.pdf Acesso em 10 de maio de 2018.

BRASIL, Portaria nº 468, de 19 de setembro de 2014. INEP, 2014. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/saeb/ana. Acesso em 10 de maio de 2018.

BRASIL. Nota Técnica – Perfil de Escolas Similares. INEP, 2014. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/prova_brasil_saeb/resultados/2013/nota_tecnica_perfil_de_escolas_similares.pdf Acesso em 10 de maio de 2018.

BRASIL. Nota Técnica Nº 039/2014 – Indicador do Esforço Docente. INEP, 2014. Disponível em: http://download.inep.gov.br/informacoes_estatisticas/indicadores _educacionais/2014/docente_esforco/nota_tecnica_indicador_docente_esforco.pdf. Acesso em 10 de maio de 2018.

FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

FOUCAULT, Michel. Nascimento da Biopolítica: curso no Collège de France (1978- 1979). São Paulo: Martins Fontes, 2008.

HATTGE, Morgana Domênica. Peformatividade e Inclusão no movimento todos pela educação. São Leopoldo, 2013. Tese (Doutorado em Educação) — Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos –UNISINOS, São Leopoldo, 2013

LOCKMANN, Kamila. A proliferação das políticas de assistência social na educação escolarizada. Tese (Doutorado em Educação), Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2013.

LOPES, Maura Corcini et al. Inclusão e biopolítica. Caderno IHU Ideias, ano 8, n. 144, 2010.

MACHADO, Roseli Belmonte. A inclusão com rede: uma análise de práticas de professores de Educação Física na Contemporaneidade. Tese (Doutorado em Educação), Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2016.

TRAVERSINI, Clarice Salete. Currículo e avaliação na contemporaneidade: há lugar para a diferença em tempos de imperativo dos números? In: X Colóquio sobre Questões Curriculares / VI Colóquio Luso Brasileiro de Currículo – 4,5 e 6 de setembro de 2012. Belo Horizonte: FAE- UFMG, 2012.

VEIGA-NETO, Alfredo. Delírios avaliatórios: o currículo desvia para a direita ou um farol para o currículo. Texto apresentado no X Colóquio sobre Questões Curriculares e VI Colóquio Luso-Brasileiro de Currículo. Belo Horizonte: UFMG, 2012. Disponível em: http://www.fe.unicamp.br/TEMPORARIOS/veiga-neto-curriculos-delirios-avaliatorios.pdf




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1984686X33090

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOI10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

 

 

Periodicidade – Trimestral

Primeiro trimestre, jan./mar., limite para publicar a edição 31 março.

Segundo trimestre, abr./jun., limite para publicar a edição 30 junho.

Terceiro trimestre, jul./set., limite para publicar a edição 30 setembro.

Quarto trimestre, out./dez., limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________