Bullying e inclusão no ensino fundamental I: ações de professores

Anna Karolina Santoro Borges, Letícia Lovato Dellazzana-Zanon

Resumo


O bullying é um tipo de violência que ocorre entre pares, principalmente na escola. Suas características principais são ações repetidas e intencionais de um aluno contra outro, que causam sofrimento à vítima e danos a todos os envolvidos. Sabe-se que crianças com deficiência sofrem mais bullying do que crianças sem deficiência. Portanto, considerando-se que a escola contemporânea tem o dever de propiciar um espaço saudável de aprendizagem para os alunos com deficiência, este estudo teve como objetivo investigar as ações de professores do Ensino Fundamental I sobre bullying e os alunos com deficiência incluídos no sistema regular de ensino. Participaram seis professores da rede municipal de Educação de uma cidade do interior de São Paulo. Os instrumentos utilizados foram: (a) um questionário sociodemográfico e (b) entrevista semiestruturada sobre bullying e inclusão escolar para professores. Os dados foram submetidos à análise de conteúdo (Lavine; Dionne, 1999). Os resultados indicaram que os professores tendem a ser ativos no que tange essas ações, embora a literatura indique que nem sempre essa agressão pode ser observada pelos mesmos, visto que tende a ser velada para os professores. As ações citadas pelos participantes demonstram que, embora nem sempre assertivos, eles reconhecem a importância de suas intervenções. Observou-se ainda que ser professor especialista ou generalista pode influenciar as concepções desses professores sobre as temáticas investigadas e que o tipo de deficiência do aluno em inclusão influência nas práticas desses professores e na forma como a classe interage com esse aluno.

 


Palavras-chave


Bullying; Inclusão; Ensino Fundamental I; Formação de professores

Texto completo:

PDF

Referências


BORSA, Juliane Callegaro; PETRUCCI, Giovanna Wanderley. O que é o bullying escolar e como enfrenta-lo? In: POLETTO, Michele; SOUSA, Ana Paula Lazzaretti; KOLLER, Silvia Helena. (Orgs.). Escola e Educação: práticas e reflexões. Curitiba: Juruá, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Ministério da educação. Referencial curricular nacional para as escolas indígenas. Brasília: MEC, 1998. p. 55-90

CONSTANTINI, Alessandro. Bullying, como combatê-lo: prevenir e enfrentar a violência entre jovens. São Paulo: Itália Nova, 2004.

CROCHÍK, José Leon. Manifestações de preconceito em relação às etnias e aos deficientes. Boletim de Psicologia, São Paulo, v.53, n.118, p. 89-108, 2003.

DELLAZZANA, Letícia Lovato; SATTLER, Marli Kath; FREITAS, Lia Beatriz de Lucca. A importância da família na intervenção contra o bullying. Pensando Famílias, Porto Alegre, v.14, n.1, p.109-120, 2010.

FANTE, Cleo. Fenômemo bullying: como prevenir a violência nas escolas e educar para a paz. Campinas: Verus, 2005.

FREDERICKSON, Nora; FURNHAM, Adrian. Peer‐assessed behavioural characteristics and sociometric rejection: differences between pupils who have moderate learning difficulties and their mainstream peers. British Journal of Educational Psychology, London, v.74, n.3, 391-410, 2004.

FREDERICKSON, Nora. et al. Assessing the social and affective outcomes of inclusion. British Journal of Special Education, v.34, n.2, p.105-115, 2007.

FROSTAD, Per; Pijl, Sip Jan. Does being friendly help in maKING friends? The relation between the social position and social skills of pupils with special needs in mainstream education. European Journal of Special Needs Education, Coventry, v.22, n.1, p.15-30, 2007.

KAUKIAINEN, Ari. et al. Learning difficulties, social intelligence, and self–concept: connections to bully–victim problems. Scandinavian journal of psychology, Abingdon, v.43, n.3, p.269-278, 2002.

KING, Gillian. et al. Social skills training for withdrawn, unpopular children with physical disabilities: a preliminary evaluation. Rehabilitation Psychology, Salt Lake City, v.42, n.1, p.47-60, 1997.

KUHNE, Michael; WIENER, Judith. Stability of social status of children with and without learning disabilities. Learning Disability Quarterly, Overland Park, v.23, n.1, p.64-75, 2000.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. Laboratório de Psicologia e Epistemologia Genética. Questionário sobre formação e trabalho das educadoras. Porto Alegre: Instituto de Psicologia, 2010a. (Instrumento não publicado).

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. Laboratório de Psicologia e Epistemologia Genética. (2010b). Roteiro de entrevista sobre autonomia. Porto Alegre: Instituto de Psicologia, 2010a. (Instrumento não publicado).

LAVILLE, Christian; DIONNE, Jean. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre : Artmed; Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.

LINDSAY, G.; DOCKRELL, J. E.; MACKIE, C. Vulnerability to bullying in children with a history of specific speech and language difficulties. European Journal of Special Needs Education, Coventry, v.23, n.1, p.1-16, 2008.

LOPES NETO, Aramis Antonio. Bullying: comportamento agressivo entre estudantes. Jornal de Pediatria, v.81, n. 5, p. 164-172, 2005.

MACARTHUR Jude; GAFFNEY, Mason. Bulied and teased or just another kid? The social experiences of students with disabilities at school. Wellington: New Zealand Concil for Educational Reaserch, 2001.

MISHNA, Faye. Learning disabilities and bullying: Double jeopardy. Journal of Learning Disabilities, Chicago, v. 36, n.4, p.336-347, 2003.

NOZI, Gislaine Semcovici; VITALIANO, Celia Regina. Saberes de professores propícios à inclusão dos alunos com necessidades educacionais especiais: condições para sua construção. Revista Educação Especial, Santa Maria, v.30, n.59, p. 589-602, 2017.

ROSE, Chade; MONDA-AMAYA, Lisa; ESPELAGE, Dorotty. Bullying perpetration and victimization in special education: a review of the literature. Remedial and Special Education, Kansas City, v.32, n.2, p.114-30, 2011.

SALMIVALLI, Christina. Peer-led intervention campaign against bullying: who considered it useful, who benefited? Educational Research, London, v.43, n.3, p. 263-278, 2001.

SAVAGE, Robert. Friendship and bullying patterns in children attending a language base in mainstream school. Educational Psychology in Practice, London, v.21, n.1, p. 23-36, 2005.

SILVA, José Luiz da; BAZON, Maria Rezende. Prevenção e enfrentamento do bullying: o papel de professores. Revista Educação Especial, Santa Maria, v.30, n.59, p.615-628, 2017.

SUDERMANN, Marlies; JAFFE, Peter; SCHIECK, Elaine. ASAP: a school-based anti-violence program. London: Family Court Clinic, 1996.

SULLIVAN, Keith. The anti-bullying handbook. Oxford: Oxford University Press, 2015.

UNNEVER, James; CORNELL, Dewey. The culture of bullying in middle school. Journal of School Violence, Washington, v.2, n. 2, p. 5-27, 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1984686X31773

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoespecial.ufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial

 

ISSN eletrônico: 1984-686X

DOIhttp://dx.doi.org/10.5902/1984686X

Qualis/Capes: Educação A2

 

 

Periodicidade – Publicação contínua


O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International (CC BY-NC 4.0)

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________