Relações florísticas e fitossociologia de uma Floresta Ombrófila Mista Montana Secundária em Lages, Santa Catarina

Ana Carolina da Silva, Pedro Higuchi, Manoela Drews de Aguiar, Marcelo Negrini, João Fert Neto, André Felipe Hess

Resumo


http://dx.doi.org/10.5902/198050985091

O presente estudo teve como objetivos caracterizar a estrutura fitossociológica de um fragmento de floresta secundária em Lages, SC, contextualizar a composição florística do componente arbóreo do fragmento em relação a outros remanescentes da região do Planalto Sul-Catarinense e avaliar a influência de variáveis geográficas e climáticas sobre os padrões observados. O levantamento da composição florística e estrutural da vegetação arbórea, do fragmento estudado, foi conduzido em 25 parcelas de 400 m2, onde todos os indivíduos arbóreos com DAP (diâmetro medido à altura do peito) ≥ 5 cm foram medidos e identificados. Para o estudo das relações florísticas entre o fragmento estudado e outros remanescentes da região foi utilizada a Árvore de Regressão Multivariada, que utilizou matrizes florísticas de espécies arbóreas de presença e ausência e de variáveis geográficas e climáticas de cada remanescente. Foram encontradas 87 espécies, distribuídas em 36 famílias botânicas. As espécies de maior valor de importância no fragmento estudado foram Araucaria angustifolia (Bertol.) Kuntze e Podocarpus lambertii Klotzsch. A distribuição diamétrica da comunidade demonstrou padrão próximo ao J invertido e as populações tiveram padrões de distribuição diferenciados. Foram descriminados três agrupamentos florísticos associados à sazonalidade térmica e à temperatura média anual. O presente fragmento esteve agrupado a outras áreas de sazonalidade térmica maior ou igual a 3,053ºC.

Palavras-chave


Árvore de Regressão Multivariada; estrutura; Floresta de Araucária

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5902/198050985091

Licença Creative Commons