Crescimento do ipê-roxo, Tabebuia impetiginosa Martius ex A. P. de Candolle, na Depressão Central do Estado do Rio Grande do Sul.

Paulo Sérgio Pigatto Schneider, Paulo Renato Schneider, César Augusto Guimarães Finger

Resumo


Neste trabalho foi utilizada a técnica da dendrocronologia, desenvolvida pelo arqueólogo americano Andrew Douglass, em  1920, e o auxílio do aparelho LINTAB II, para analisar a espécie Tabebuia impetiginosa e avaliar  as tendências de crescimento em diâmetro, volume comercial, incremento corrente anual em percentagem do volume comercial, bem como o fator de forma comercial. Para isso, foi selecionada a função de Backman para o diâmetro e volume comercial em razão da idade, tendo obtido, para ambas, um excelente ajuste. Também, foi ajustada a mesma equação para as variáveis volume comercial, fator de forma comercial e incremento corrente anual percentual em volume comercial em razão do diâmetro, conseguindo igualmente um excelente ajuste. O incremento corrente anual percentual em volume comercial variou de 54,02%, com, 7 anos a 11,26%, aos 21 anos. Já o fator de forma comercial, foi 0,7 para diâmetros entre 5,2 cm e 30,0 cm, nas idades de 7 e 21 anos.


Palavras-chave


dendrocronologia; crescimento; <i>Tabebuia impetiginosa.</i>

Texto completo:

PDF

Referências


BACKMAN, G. Wachstum und organisches Zeit. Leipzing: Johann Ambrosis Barth, 1943. 192p.

LEMOS, R.C.; AZOLIN, M. D.; ABRAO, P.V.R. et al. Levantamento dos solos do Estado do Rio Grande do Sul. Recife: Ministério da Agricultura – Departamento Nacional de Pesquisa Agropecuária – Divisão de Pesquisa Pedológica, 1973. 4231 p. (Boletim Técnico n. 301).

MORENO, J.A. Clima do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura, 1961. 41 p.

REITZ, R.; KLEIN, R. M.; REIS, A. Projeto madeira do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria de Agricultura e Abastecimento, 1988. 524 p.

CARVALHO , P.E.R. Comportamento de essências florestais nativas e exóticas em dois locais do Estado do Paraná. In: CONGRESSO FLORESTAL BRASILEIRO, 1982, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: Sociedade Brasileira de Silvicultura, 1982. p. 262-266.

CARVALHO, P. E. R. Espécies florestais brasileiras recomendações silviculturais, potencialidades e uso da madeira. Brasília: Embrapa/CNPF, 1994. 640 p.

SCHNEIDER, P.R.; FINGER, C.A.G.; FARIAS, J. et al. Comportamento silvicultural de algumas espécies nativas plantadas sob capoeira na Depressão Central do Rio Grande do Sul. In: CONGRESSO FLORESTAL ESTADUAL, 7., 1992, Nova Prata. Anais ... Nova Prata: Prefeitura Municipal de Nova Prata, 1992. p. 1037-1047.

SCHNEIDER, P.R. Introdução ao manejo florestal. Santa Maria: CEPEF/FATEC, 1993. 320 p.

TOLEDO FILHO, D. V.; PARENTE, P. R. Essências indígenas sombreadas. Silvicultura, n. 16, p. 984-958, 1982.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19805098483

Licença Creative Commons