DO PROCESSO ELETRÔNICO AO DOCUMENTO PÚBLICO: UMA ANÁLISE DA CONSERVAÇÃO DOS AUTOS COMO ARQUIVOS PERMANENTES

Elaine Harzheim Macedo, Renan Matheus Macedo Tolfo

Resumo


A gestão dos documentos produzidos pelo Poder Judiciário no exercício de sua função jurisdicional constitui dever constitucional da administração pública judiciária, tendo a guarda e o acesso a esses documentos importante ponto de conexão entre a História, a Arquivologia e o Direito. Como problema, tem-se o risco da preservação inadequada de arquivos eletrônicos judiciais. Neste estudo, tem-se como objetivo encontrar um sistema que cumpra os requisitos arquivísticos de preservação. Utiliza-se do método dedutivo, tendo como premissa maior o dever de preservação dos documentos. A premissa menor advém da guarda dos arquivos eletrônicos que representam o processo judicial. O método auxiliar tipológico foi escolhido em busca de um tipo ideal de sistemática de preservação. Utiliza-se de pesquisa bibliográfica e documental da legislação pátria, explicando o fenômeno e propondo possível solução à manutenção de tais documentos, concluindo-se pela utilização do Archivematica no Poder Judiciário.


Palavras-chave


Arquivos judiciais, Conservação dos autos, Documentos digitais, E-processo

Texto completo:

PDF

Referências


ABRÃO, Carlos Henrique. Processo eletrônico: Lei nº 11.419 de 19 de dezembro de 2006. 2. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2009.

BRASIL. Arquivo Nacional. Resolução CONARQ nº 26 de 06 de maio de 2008. Estabelece diretrizes básicas de gestão de documentos a serem adotadas nos arquivos do Poder Judiciário. Disponível em: http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/legislacao/resolucoes-doconarq/268resolucaon-26,-de-06-de-maio-de-2008.html. Acesso em: 15 ago. 2016.

BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Manual de Gestão Documental. Disponível em: http://www.cnj.jus.br/images/programas/gestaodocumental/manual_gestao_documental_poder%20judiciario.pdf. Acesso em: 15 ago. 2016.

BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Modelo de Requisitos para Sistemas Informatizados de Gestão de Processos e Documentos do Judiciário brasileiro - MoReq-Jus. Disponível em: http://www.cnj.jus.br/images/programas/gestaodocumental/rescnj_91.pdf. Acesso em: 15 ago. 2016.

BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Recomendação nº 37, de 15 de agosto de 2011. Recomenda aos Tribunais a observância das normas de funcionamento do Programa Nacional de Gestão Documental e Memória do Poder Judiciário – Proname e de seus instrumentos. Disponível em: http://www.cnj.jus.br/images/stories/docs_cnj/recomendacoes/reccnj_37.pdf. Acesso em: 15 ago. 2016.

BRASIL. Constituição Federal. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 out. 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 15 ago. 2016.

BRASIL. Decreto nº 4.073, de 3 de janeiro de 2002. Regulamenta a Lei nº 8.159, de 8 de janeiro de 1991, que dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 4 jan. 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2002/d4073.htm. Acesso em: 15 ago. 2016.

BRASIL. Decreto nº 8.539, de 8 de outubro de 2015. Dispõe sobre o uso do meio eletrônico para a realização do processo administrativo no âmbito dos órgãos e das entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 9 out. 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Decreto/D8539.htm. Acesso em: 12 nov. 2016.

BRASIL. Lei nº 8.159, de janeiro de 1991. Dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 9 jan. 1991. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8159.htm. Acesso em: 15 ago. 2016.

BRASIL. Superior Tribunal Militar. IV Congresso Brasileiro de Arquivos do Poder Judiciário, Brasília, 18, 19 e 20 nov. 2015. Disponível em: https://www.stm.jus.br/IV-congresso-brasileiro-de-arquivos. Acesso em: 12 nov. 2016.

CHAVES JÚNIOR, José Eduardo de Resende. O processo em rede. In: CHAVES JÚNIOR, José Eduardo de Resende (Coord.). Comentários à lei do processo eletrônico. São Paulo: LTr, 2010.

COSTA, Milene Aparecida Silva da; CASTRO, Priscila de Paiva. Archivematica uma Ferramenta de Software livre para preservação de documentos arquivísticos digitais. Revista Intercâmbio dos Congressos Internacionais de Humanidades, Brasília, n. 6, p. 106-119, 2016. Disponível em: http://unb.revistaintercambio.net.br/24h/pessoa/temp/?file=anexo,1,11625,3008,3008.Archivematica%20uma%20Ferramenta%20de%20Software%20livre%20para%20preserva%C3%A7%C3%A3o%20de%20documentos%20arquiv%C3%ADsticos%20digitais. Acesso em: 15 ago. 2016.

COSTA, Milene et al. Guia do usuário Archivematica. Brasília: Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, 2016. Disponível em: http://livroaberto.ibict.br/bitstream/123456789/1063/4/Manual-Archivematica.pdf. Acesso em: 12 nov. 2016.

COOK, Terry. Archival Science and Postmodernism: new formulations for old concepts. Archival Science, v. 1, p. 13-24, 2000. Disponível em: http://www.mybestdocs.com/cook-t-postmod-p1-00.htm. Acesso em: 12 nov. 2016.

DOCUMENTO histórico: Peças do processo crime mãos amarradas: denúncia e habeas corpus. Direito e democracia, Universidade Luterana do Brasil, v. 6, n. 2, 2º sem. 2005. Canoas: Ulbra, 2005, p. 513-522.

FLORES, Daniel. Sistemas informatizados de acesso e gestão da preservação em documentos históricos permanentes. Fórum Permanente: as instituições-memória e as tecnologias da informação e comunicação: desafios contemporâneos. Campinas - SP. 61 slides, color, Padrão Slides Google Drive/Docs 4x3. Material elaborado para a Palestra na Unicamp, 12 abr. 2016. Disponível em: http://documentosarquivisticosdigitais.blogspot.com.br/2016/08/sistemas-informatizados-de-acesso-e.html. Acesso em: 12 abr. 2016.

MEDEIROS, Nilcéia Large de; AMARAL, Cléia Márcia Gomes do. A representação do ciclo vital dos documentos: uma discussão sob a ótica da gestão de documentos. Em Questão, Porto Alegre, v. 16, n. 2, p. 297-310, jul./dez. 2010. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/15108/10436. Acesso em: 14 nov. 2016.

NEGREIROS, Leandro Ribeiro; DIAS, Eduardo José Wense. A prática arquivística: os métodos da disciplina e os documentos tradicionais e contemporâneos. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 13, n. 3, p. 2-19, set./dez. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pci/v13n3/a02v13n3.pdf. Acesso em: 15 ago. 2016.

RIO GRANDE DO SUL. Justiça Federal. Acervo Histórico. Disponível em: https://www2.jfrs.jus.br/acervo-historico. Acesso em: 14 nov. 2016.

TEIXEIRA, Tarcísio. Curso de direito e processo eletrônico: doutrina, jurisprudência e prática. São Paulo: Saraiva, 2013.

UNESCO. A memória do mundo na era digital: digitalização e preservação. Disponível em: http://www.unesco.org/new/fileadmin/MULTIMEDIA/HQ/CI/CI/images/mow/unesco_ubc_vancouver_declaration_pt.pdf. Acesso em: 14 nov. 2016.

UNESCO. Memória do mundo: diretrizes para a salvaguarda do patrimônio documental mundial. Disponível em: http://mow.arquivonacional.gov.br/images/pdf/Edital_MoWBrasil_2017.pdf. Acesso em: 12 nov. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1981369425362

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários




Direitos autorais 2017 Revista Eletrônica do Curso de Direito da UFSM

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

REVISTA ELETRÔNICA DO CURSO DE DIREITO DA UFSM - Qualis A1

RECDUFSM  /  ISSN 1981-3694   /  Digital Object Identifier (DOI): 10.5902/19813694  http://periodicos.ufsm.br/revistadireito

Revista Qualis A1 área de Direito /  Classificações de Periódicos Quadriênio 2013-2016 (CAPES)