A arte-educação no ensino médio: desafios à formação estética

Rafaella Lira de Vasconcelos, Catia Piccolo Viero Devechi

Resumo


O artigo busca compreender e refletir, por meio de uma abordagem hermenêutica, a atuação do arte-educador do ensino médio diante das condicionantes da sociedade administrada, a partir das percepções dos professores de arte das escolas públicas do Distrito Federal. Para tal foi aplicado um questionário para identificar os desafios desses profissionais nas suas práticas de ensino, por exemplo as poucas horas-aula destinadas às aulas de arte, a incompatibilidade entre a formação específica do arte-educador na graduação e seu exercício polivalente na sala de aula e o não reconhecimento do trabalho em arte-educação perante seus pares e a sociedade. Os dados são discutidos a partir da teoria estética de Adorno (2008), que aponta a potencialidade crítica da arte e seu compromisso social na contemporaneidade. Estima‑se que, em uma perspectiva estética, a arte no ensino médio poderia se colocar como um espaço de formação para o espírito humano, em que a sensibilidade crítica não estivesse contra a ciência, mas vislumbrada como pertencente à integralidade do indivíduo e como forma de resistência diante da massificação sociocultural.


Palavras-chave


Formação Estética; Arte-Educador; Sociedade Administrada.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor W. Educação e emancipação. São Paulo: Paz e Terra, 1995.

ADORNO, Theodor W. Teoria da semicultura. Tradução de Newton Ramos de Oliveira, Bruno Pucci e Cláudia de Moura Abreu. Educação & Sociedade, Campinas, n. 56, 1996.

ADORNO, Theodor W. Teoria da Semiformação. In: PUCCI, Bruno; ZUIN, Antônio Á. S.; LASTÓRIA, Luiz A. C. N. Teoria Crítica e inconformismo: Novas perspectivas de ensino. Tradução de Newton Ramos-de-Oliveira. Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2010. p. 6-40.

ADORNO, Theodor W. Teoria estética. Tradução de Artur Morão. Lisboa, Portugal: Edições 70, v. 14, 2008. (Coleção Arte & Comunicação).

ADORNO, Theodor W.; HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Tradução de Guido António de Almeida. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

BARBOSA, Ana Mae. Arte-Educação no Brasil: realidade hoje e expectativas futuras. Estudos avançados, São Paulo, v. 3, n. 7, p. 170-182, dez. 1989. Disponível em: . Acesso em: 3 dez. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40141989000300010.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação / Câmara de Educação Superior. Diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em artes visuais. Brasília: MEC, 2007.

CASTRO, Rosana de. Os incomodados que se desloquem: problematizando o ensino das artes visuais. Revista Digital do LAV, [S.l.], n. 11, p. 047-058, set. 2013. ISSN 1983-7348. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2018. doi:http://dx.doi.org/10.5902/1983734810726.

CAZDEN, Courtney. B. A pedagogy of multiliteracies: designing social futures. Harvard Educational Review, Spring, v. 66, n. 1, p. 61-93, April 1996. doi: http://dx.doi.org/10.17763/haer.66.1.17370n67v22j160u.

CENCI, Angelo V.; DALBOSCO, Claudio A.; MUHL, Eldon. H. Reconhecimento e formação. In: BOMBASSARO, Luiz Claudio; DALBOSCO, Claudio A.; HERMANN, Nadja (Orgs.). Percursos hermenêuticos e políticos: homenagem a Hans-Georg Flickinger. Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2014.

CONTE, Elaine. Tempo e performance no trabalho docente. Educação (UFSM), Santa Maria, p. 541-552, nov. 2014. ISSN 1984-6444. Disponível em: . Acesso em: 3 dez. 2017. doi:http://dx.doi.org/10.5902/1984644414250.

DUARTE JÚNIOR, João Francisco. Por que arte-educação? 22. ed. São Paulo: Papirus, 2012. (Coleção Ágere).

FARINA, Cynthia; ALBERNAZ, Roselaine Machado. Arte y vida en Deleuze. Formación estética y políticas de lo sensible. Educação (UFSM), Santa Maria, p. 113-122, abr. 2017. ISSN 1984-6444. Disponível em: . Acesso em: 3 dez. 2017. doi:http://dx.doi.org/10.5902/1984644418539.

FERRAZ, Maria Heloísa C. de T. Arte na educação escolar. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

FUSARI, Maria F. de Rezende e; FERRAZ, Maria Heloísa C. de T. Arte na educação escolar. Cortez, 2001.

GADAMER, Hans-Georg. Hermenêutica como filosofia prática. In: GADAMER, Hans Georg. A razão na época da ciência. Tradução de Ângela Dias. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1983.

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. São Paulo: 34, 2003.

MAGALHÃES, Ana Del Tabor Vasconcelos. Ensino de arte: perspectivas com base na prática de ensino. In: BARBOSA (ORG.), A. M. Inquietações e mudanças no ensino da arte. São Paulo: Cortez, 2002.

NEUVALD, Luciane; GUILHERMETI, Paulo. A semiformação no curso de Pedagogia: uma reflexão introdutória. In: Seminário Nacional de Filosofia & Educação. Santa Maria. Confluências. Santa Maria: Facos, 2006. Disponível em: Acesso em: 2 jan. 2018.

PIMENTEL, Lucia Gouvêa. Tecnologias contemporâneas e o ensino da arte. In: BARBOSA, Ana Mae (Org.) Inquietações e mudanças no ensino de arte. 7. ed. São Paulo: Cortez, p. 113-121, 2012.

PUCCI, Bruno. Teoria crítica e educação: contribuições da teoria crítica para a formação do professor. Espaço Pedagógico, v. 8, p. 13-30, 2001.

PUCCI, Bruno. O privilégio da experiência filosófica no processo educacional. Comunicações, Piracicaba, v. 23, n. 3, p. 145-155, 2016.

PUCCI, Bruno. A escola e a semiformação mediada pelas novas tecnologias. In: PUCCI, Bruno; ALMEIDA, Jorge de; LASTÓRIA, Luiz Antônio Calmon Nabuco (Orgs.). Experiência formativa e emancipação. São Paulo: Nankin, 2009. p. 69-80.

TOURINHO, Irene. Transformações no ensino da arte: algumas questões para uma reflexão conjunta. In: BARBOSA, Ana Mae (Org.). Inquietações e mudanças no ensino da arte. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2003. p. 28-36.

TREVISAN, Amarildo. Filosofia da educação: mímesis e razão comunicativa. Ijuí: Unijuí, 2000.




DOI: https://doi.org/10.5902/1984644432158

CONTATO:

E-mail: revistaeducacaoufsm@gmail.com

Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Centro de Educação - Lapedoc - Prédio 16
Av. Roraima, 1000 - Cidade Universitária
97105-900 - Santa Maria - RS, Brasil.
Telefone: +55 55 3220 8795

Link: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao


ISSN Eletrônico: 1984-6444

DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19846444

Qualis/Capes: Educação A1

Periodicidade: Publicação contínua

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

 

A Revista Educação (UFSM) agradece auxílio recebido por meio do Edital Pró-Revistas, da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, da Universidade Federal de Santa Maria. 

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International (CC BY 4.0).

Contador de visitas
click counter
Contador de visitas

Acessos a partir de 30/11/2016

____________________________________________________

    

SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar