Produção científica sobre esporte adaptado e paralímpico em periódicos brasileiros da educação física

Beatriz Dittrich Schmitt, Rafaela Bertoldi, Josiana Ayala Ledur, Tuany Defaveri Begossi, Janice Zarpellon Mazo

Resumo


Esse estudo objetivou analisar a produção científica sobre esporte adaptado e paralímpico em periódicos nacionais da Educação Física. Realizou-se pesquisa bibliométrica entre 1998 a 2013. Examinaram-se 61 periódicos, sendo que 26 publicaram artigos sobre o tema, nove periódicos apresentaram conteúdo inacessível e em 26 periódicos não publicaram sobre o tema. Nos 26 periódicos com publicações sobre a temática, 121 artigos foram publicados. Em 2002 houve maior número de publicações em relação a 1998 a 2007. Esses artigos demonstram diferentes objetivos e metodologias. Conclui-se que as publicações sobre os esportes adaptados e paralímpicos encontram-se em expansão no país. 


Palavras-chave


Revisão; Artigo de Revista; Esportes; Pessoas com deficiência

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, M. E. D. A. A produção acadêmica sobre formação de professores: um estudo comparativo das dissertações e teses defendidas nos anos 1990 e 2000. Formação Docente – Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 41-56, ago./dez. 2009.

ARAÚJO, R. F. os grupos de pesquisa em ciência, tecnologia e sociedade no Brasil. Revista Brasileira de Ciência, Tecnologia e Sociedade, São Carlos, v. 1, n. 1, p.81-97, jul./dez. 2009.

BAILEY, S. Athlete first: a history of the paralympic movement. West Sussex: John Wiley & Sons; 2008.

BACKES, V. M. S.; et al. Grupos de Pesquisa de Educação em Enfermagem do Brasil. Rev. Esc. Enferm USP. São Paulo, v. 46, n. 2, p. 436-42, abr. 2012.

BORGES, L. J.; et al. Grupos de pesquisa sobre atividade física e envelhecimento no Brasil. Rev. Bras. Ativ. Fis e Saúde, Pelotas, v. 17, n. 2, p. 114-120, abr. 2012.

BORGMANN, T.; ALMEIDA, J. J. G. de. Esporte paralímpico na escola: revisão bibliográfica. Movimento, Porto Alegre, v. 21, n. 1, p. 1-16, jan./mar. 2015.

BRACHT, V. et al. A educação física escolar como tema da produção do conhecimento nos periódicos da área no Brasil (1980-2010): parte I. Movimento, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 11-34, abr./jun. de 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Relação de Cursos Recomendados e Reconhecidos. Grande área Ciências da Saúde, área Educação Física. Disponível em: . Acesso em: 07 jan. 2017.

COSTA, A. M.; SOUZA, S. B. Educação física e esporte adaptado: história, avanços e retrocessos em relação aos princípios da integração/inclusão e perspectivas para o século XXI. Rev Bras Cien Esporte, Campinas, v. 25, n. 3, p. 27-42, mai. 2004.

CUNHA, A. C. Educação Física na Europa e no Brasil: um sentido comum que mostra uma identidade universal. Em Aberto, Brasília, v. 26, n. 89, p. 81-93, jan./jun. 2013.

DeCS. Descritores em Ciências da Saúde Disponível em: http://decs.bvs.br/P/decsweb2016.htm. Acessado em: 11 de janeiro de 2017, às 10:00 horas.

ÉPOCA. Potência inesperada: uma aplicação eficiente de recursos explica os bons resultados do Brasil nos jogos de Pequim. Rev Época. 2008; 539.

GAYA, A. Metodologia da Pesquisa em Ciências do Movimento Humano. Porto Alegre: ARTEMED. 2008.

GOODWIN, D. et al. Its okay to be a quad: wheelchair rugby players sense of community. Adapted Physical Activity Quarterly, Champaign, v. 26, n. 2, p. 102-117, abr. 2009.

GREGUOL, M., et al. Orientação esportiva de atletas pertencentes às modalidades de remo e natação adaptados. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 10, n. 1, p. 98-106, 2011.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Participação percentual das grandes regiões no Produto Interno Bruto [online]. Brasil: IBGE. Disponível em: http://ftp://ftp.ibge.gov.br/Contas_Regionais/2011/contas_regionais_2011.pdf. Acessado em: 12 de janeiro de 2017, às 08:00 horas.

JOB, I.; FRAGA, A. B.; MOLINA NETO, V. M. Invisibilidade das revistas científicas brasileiras de educação física nas bases de dados. Cadernos Bad: cadernos de biblioteconomia, arquivística e documentação, Lisboa, v. 1, p. 14-26, 2008.

KEOGH, J. W. L. Paralympic sport: an emerging area for research and consultancy in sports biomechanics. Sports Biomechanics, London, v. 10, n. 3, p. 234-253, set. 2011.

MARQUES, R. F. R.; GUTIERREZ, G. L.; ALMEIDA, M. A. B. Investigação sobre as configurações sociais do subcampo do esporte paralímpico no Brasil: Os processos de classificação de atletas. Rev. educ. fis. UEM, Maringá, v. 23, n. 4, out./dez., 2012.

MARQUES, R. F. R., et al. Mídia e o movimento paralímpico no Brasil: relações sob o ponto de vista de dirigentes do Comitê Paralímpico Brasileiro. Rev. bras. educ. fís. esporte, São Paulo, v. 27, n. 4, p. 583- 596, out.-dez. 2013.

MAUERBERG-DECASTRO E. Esporte para deficientes: do alto rendimento ao esporte de participação. In: Mauerberg-deCastro E. Atividade física adaptada. Ribeirão Preto: TecMedd; p. 437-83, 2005.

SAMULSKI, D.; NOCE, F. Perfil psicológico de atletas paraolímpicos brasileiros. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v. 8, n. 4, p. 157-166, out. 2002.

MENEGUCI, J.; et al. Análise de grupos de pesquisa em atividade física e envelhecimento no Brasil. Estud. interdiscipl. envelhec., Porto Alegre, v. 19, n. 3, p. 655-667, 2014.

MOLINA NETO, V.; et al. Reflexões sobre a produção do conhecimento em educação física e esporte. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 28, n. 1, p. 145-165, set. 2006.

OLIVEIRA, P. H. A.; et al. Brazilian pediatric research groups, lines of research, and main areas of activity. J Pediatr., Rio de Janeiro, v. 91, n. 3, p. 299-305, mai./jun. 2015.

PORTO, I. P.; et al. Deficiência Física: Contribuições dos grupos de pesquisa. Arquivos de Ciências da Saúde, São José do Rio Preto, v. 23, n. 1, p. 37-41, mar. 2016.

SAMULSKI, D. M.; ANJOS, D. R. dos; PARREIRAS, L. A. de M. A contribuição da psicologia do esporte para o desenvolvimento do desporto paraolímpico brasileiro. Revista Mineira de Educação Física, Viçosa, v. 14, n. 1, p. 138-148, 2006.

SILVA, A. A. C., et al. Esporte adaptado: abordagem sobre os fatores que influenciam a prática do esporte coletivo em cadeira de rodas. Rev. bras. educ. fís. esporte, São Paulo, v. 27, n. 4, p. 679-87, out./dez. 2013.

TURATO, E. R. Métodos qualitativos e quantitativos na área da saúde: definições, diferenças e seus objetos de pesquisa. Revista de Saúde pública, São Paulo, v. 39, n. 3, p. 507-514, 2005.

ZORZETTO R., et al. The scientific production in healthand biological sciences of the top 20 Brazilian universities. Braz J Med Biol Res, Ribeirão Preto, v. 39, n. 12, p. 1513-20, dez. 2006.

WINNICK, J. P. Educação Física e Esportes Adaptados. 3a Ed.: Barueri: Manole; 2004.

WINNICK, J. P. Adapted physical education and sport. 5a. ed. Champaign: Human Kinectics; 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/2316546427494



Avaliação Qualis Capes (2014):

B4- Educação Física / B3- Interdisciplinar e Psicologia / B5- Educação 

Periodicidade: contínua

ISSN: 2316-5464 online

DOI: 10.5902/23165464

email: kinesisrevista@ufsm.br

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.