Estabelecimento de povoamentos de Pinus elliottii Engelm pela semeadura direta a campo.

César Augusto Guimarães Finger, Paulo Renato Schneider, Alencar Garlet, Jackson Roberto Eleotério, Rute Berger

Resumo


O experimento foi conduzido para testar o uso da semeadura direta a campo como método de implantação de povoamentos de Pinus elliottii Engelm. O preparo do solo resumiu-se a uma roçada mecânica, seguida de coroamento de 40 cm de diâmetro. Em cada ponto de semeadura, foram depositadas quatro sementes de Pinus elliottii Engelm, previamente embebidas em água por 24 horas e protegidas por um copo plástico sem fundo fixado por pequenas estacas de taquara. Os tratamentos testados foram o plantio de mudas produzidas em viveiro como tratamento testemunha, sementes envolvidas por envelope de papel e semeadura direta no solo. Os resultados obtidos não foram satisfatórios, sendo observados no máximo 38,5 % dos pontos de semeadura com mudas no 84o dia após a semeadura. O principal fator que contribuiu para o insucesso do método foi a mortalidade das plantas causada por déficit hídrico e temperaturas elevadas.


Palavras-chave


<i>Pinus elliottii</i>; semeadura direta; sobrevivência

Texto completo:

PDF

Referências


BRASSIOLO, M. M. Avaliação da regeneração natural de Pinus elliottii Engel. var. elliottii na Florestal Nacional de Capão Bonito, SP. 1988. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) - Curso de Pós-Graduação em Engenharia Florestal, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1988.

BRISSETTI, J.C.; BARRETT, J.P.; LANDIS, T.D. Container seedlingd. IN: DOUTHERTY,P.M.; DUREYEA, M. L.ed. Forest Regeneration Manual. London: Kluwer, 1991. p. 117-141.

COELHO, M.C. Crescimento em altura para Pinus elliottii Engelm. Originado a partir de diferentes métodos de regeneração, em Canela e Palmares do Sul, RS. 1997. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) – Programa de Pós-graduação em Engenharia Florestal, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 1997.

DOUGHERTHY, P.M. A field investigation of the factors whicht control germination and establishment of Loblolly pines seeds. Georgia: Forestry Commission, 1990. (Research report n. 7).

FREESE, F. Métodos estatísticos elementales para tecnicos forestales. México: AID, 1970.104p.

LEMOS, R. C.; AZOLIN, M.A.D.; ABRAÃO, P.V.R.; SANTOS, M.C.L. Levantamento e reconhecimento dos solos do Estado do Rio Grande do Sul. Recife: Ministério da Agricultura, Departamento Nacional de Pesquisas Agropecuárias - Divisão de Pesquisas Pedológicas, 1973. 431p. (Boletim Técnico, 30).

LOHREY, R.E.; JONES Jr, E.P. Natural regeneration and direct seeding. In: Symposium. the managed Slash Pine Ecosystem.. Proc... Gainsville, Fla., University of Florida. Gainsville, June 9-11, 1981. p. 183-193.

MATTEI, V.L. Semeadura direta em alternativa para implantação de povoamentos de Pinus taeda. In.: CONGRESSO FLORESTAL PANAMERICANO, I., 1993., Curitiba, PR. Anais ... Curitiba, 1993, p. 306-308.

MATTEI, V.L. Preparo de solo e uso de protetor físico, na implantação de Cedrella fissilis Vell. e Pinus taeda L., por semeadura direta. Rev. Bras. de Agrociência, v. 1, n. 3, p. 127-132, 1995a.

MATTEI, V.L. Agentes limitantes a implantação de Pinus taeda L. por semeadura direta. Ciência Florestal. Santa Maria, v. 5, n. 1, p. 9-18, 1995b.

MATTEI, V.L. Avaliação de protetores físicos em semeadura direta de Pinus taeda L. Ciência Florestal. Santa Maria, v. 7, n. 1, p. 91-100, 1997.

MORENO, J.A. Clima do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Secretaria da Agricultura, 1961. 42p.

WILLISTON, H.L.; BALMER, W.E. Direct seeding of southern pines-a regeneration alternative. U.S.D.A. Forest Service, Southeast Area State and Private Forestry, Atlanta. Forest management Bull. 6p. 1977.




DOI: https://doi.org/10.5902/198050981728

Licença Creative Commons