Tecnologia Assistiva e Educação Especial Inclusiva: o Estado da Arte nas Pós-Graduações do Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5902/1984686X64421

Palavras-chave:

Educação Especial Inclusiva, Tecnologia Assistiva, Estado da arte.

Resumo

O estudo busca oferecer, pela perspectiva das Pós-Graduações do Brasil, uma discussão das teses e dissertações defendidas entre período de 2015 e 2019 sobre os usos da Tecnologia Assistiva na Educação Especial Inclusiva. Foi realizado um estudo do tipo estado da arte, pelo levantamento dos trabalhos localizados no banco de teses e dissertações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Estes foram investigados por meio da teoria dos grafos e a classificação hierárquica descendente, utilizando os softwares IRAMUTEQ e o EXCEL. Os resultados apontam para a existência de 42 trabalhos, neles seus autores pesquisam na área de Educação Especial desde sua formação no Ensino Superior, com interseção à Tecnologia Assistiva mais recentemente no processo de ensino-aprendizagem, principalmente com inquietações sobre a maneira como os recursos de Tecnologia Assistiva podem auxiliar na Educação Especial Inclusiva. Observou-se nessa linha de análise que há um envolvimento dos alunos nas atividades, embora à participação ativa em seu processo de aprendizagem dependesse de formação docente para atuar com esses recursos, produzindo um dos maiores desafios. Tal investigação, portanto, relaciona os resultados das pesquisas com a trajetória acadêmica dos autores, possibilitando assim, uma visão geral do que vem sendo produzido sobre essas temáticas e uma ordenação que permite perceber as transformações desse campo.

Biografia do Autor

Samuel Pires Melo, Universidade Federal do Delta do Parnaíba, Parnaíba, PI

Professor doutor da Universidade Federal do Delta do Parnaíba, Parnaíba, PI, Brasil.

Leonam Costa Oliveira, Universidade Federal do Delta do Parnaíba, Parnaíba, PI

Professor doutor da Universidade Federal do Delta do Parnaíba, Parnaíba, PI, Brasil.

Referências

ALVES, David de Abreu. Tecnologia Assistiva e inclusão: a construção da consciência espacial cidadã de deficientes visuais. Orientador: Antônio Carlos Pinheiro. 243 f. Dissertação (Mestrado em Geografia), Universidade Federal do Paraíba, João Pessoa, 2017.

AQUINO, Adelyn Barbosa de. Contribuições do uso da comunicação alternativa para crianças com deficiência intelectual na Educação Infantil. Orientador: Tícia Cassiany Ferro Cavalcante. 114 f. Dissertação (Mestrado Em Educação), Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2018.

ASSANTE, Lidiane de Souza. A inclusão do robô humanóide não como recurso tecnológico no processo do ensino aprendizado da Língua Portuguesa na Educação Especial. Orientador: Marlene Araújo de Faria. 140 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção), Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2016.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 1. ed. Lisboa: Edições 70, 1977.

BASEGIO, Antonio Carlos. Percursos da Tecnologia Assistiva no contexto de educação inclusiva e a luta por reconhecimento das diferenças. Orientador: Elaine Conte. 175 f. Dissertação (Mestrado em Educação), Centro Universitário La Salle, Canoas, 2016.

BIAZUS, Graziela Ferreira; RIEDER, Carlos Alberto Mello. Uso da tecnologia assistiva na educação inclusiva no processo de alfabetização de escolares: revisão sistemática. Revista Educação Especial, 32, e69/ 1 -15, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.5902/1984686X33317. Acesso em: 3 set. 2019.

BRASIL. Decreto nº 5.296 de 02 de dezembro 2004. Brasília, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. 2008.

BRUCE, Christiane da Costa. A política de educação inclusiva: a tecnologia assistiva como possibilidade de participação e aprendizagem de alunos com deficiência física na escola. Orientador: Maria Almerinda de Souza Matos. 88 f. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2015.

BUENO, José Geraldo Silveira. A educação especial nas universidades. Brasília: MEC, Secretaria de Educação Especial, 2002.

CAMARGO, Brigido Vizeu; JUSTO, Ana Maria. IRAMUTEQ: um software gratuito para análise de dados textuais. Temas Psicol. Vol. 21, n.2, p.513-8, 2014.

CANDIDO, Vilma Mussilene de Araújo. O "LIA": uma tecnologia assistiva no processo de construção de narrativas para alunos com autismo. Orientador: Filomena Maria Gonçalves da Silva Cordeiro Moita. 128f. Dissertação (Mestrado Profissional em Formação de Professores), Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande, 2018.

DONOSO, Elizabeth; MATURANA, Cristina Júlio; CONOJEROS, Leonor; MANGHI, Dominique; VEGA, Vavessa. ¿Es la Educación Especial una disciplina? reflexiones sobre su Objeto y Método de Estudio p.75-94. En

GARRIDO, José; VEGA, Vanessa; BUSTOS, Andrea. De los fundamentos a las prácticas: algunos desafíos en la formación inicial docente. Ediciones Universitarias de Valparaíso: Valparaíso, 2017.

ECHALAR, Adda Daniela Lima Figueiredo et al. Trabalho docente mediado por tecnologias: ecos e repercussões. Educação em foco (JUIZ DE FORA), v. 23, p. 319-339, 2018.

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes (Org.). Práticas interdisciplinares na escola. São Paulo: Cortez, 1999.

FERREIRA, Júlio Romero. Pesquisa no contexto da política em Educação Especial. In: Seminário Brasileiro de Pesquisa em Educação Especial, 2, 1991, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: UERJ, 1991. v. 1. p. 8-11.

GALVÃO FILHO, Teófilo Alves. Tecnologia Assistiva para uma Escola Inclusiva: apropriação, demandas e perspectivas. Orientador: Theresinha Guimarães Miranda. 346f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.

GATTI, Bernardete Angelina. A construção da pesquisa em educação no Brasil. Brasília: Liber Livro, 2010.

GOMES, Elayne Crystyna Pereira Borges. Tecnologia Assistiva para alunos com baixa visão nas escolas estaduais de São Luís: utilização na classe comum e na sala de recurso multifuncional. Orientador: Silvana Maria Moura da Silva. 160 f. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2015.

LUGLI, Luciano Cassio. Prototipagem de soluções tecnológicas, alfabetização matemática na Educação Infantil e deficiência sensorial, Parametrização de características assistivas. Orientador: Deise Aparecida Peralta. 130 f. Dissertação (Mestrado em Ensino e Processos Formativos, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho, Rio Claro, 2018.

MENDES, Felismina Rosa Parreira; ZANGÃO, Maria Otília Brites; GEMITO, Maria Laurência Grou Parreirinha; SERRA, Isaura da Conceição Cascalho. Social Representations of nursing students about hospital assistance and primary health care. Rev Bras Enferm [Internet]. 69(2):321-8, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2016690218i. Acesso em: 3 set. 2019.

MANZINI, E. J. Formação do professor para o uso de tecnologia assistiva.In: Cadernos de Pesquisa em Educação. PPGE/UFES, Vitória, ES. a. 9, v. 18, n. 36, p. 11-32, jul./dez. 2013.

MIRANDA, Edinéia Terezinha de Jesus. O aluno cego no contexto da inclusão escolar: desafios no processo de ensino e de aprendizagem de matemática. Orientador: Ivete Maria Baraldi, 167f. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência), Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2016.

NASCIMENTO, Edivaldo Jerônimo Pereira do. Contribuições da audiodescrição para o ensino de células animais no ensino médio. Orientador: Ernani Nunes Ribeiro. 75 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Biologia), Universidade Federal de Pernambuco, Vitória de Santo Antão, 2019.

NUNES, Leila Regina d’Oliveira de Paula et al. A produção discente da Pós-graduação em Educação e Psicologia sobre o indivíduo com necessidades educacionais especiais. In: MENDES, Enicéia Gonçalves et al. (Orgs.) Temas em Educação Especial: avanços recentes. São Carlos: EDUFSCar, 2004.

PAULI, Patrícia Aparecida Coimbra de. A integração das tecnologias ao currículo inclusivo de crianças com TEA: um estudo de caso. Orientador: Maria da Graça Moreira da Silva. 203 f. Dissertação (Mestrado em Educação: Currículo), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2019.

PAMPLONA, Thaís Christovam. Contribuições da Tecnologia Assistiva na aprendizagem online, de alunos da educação superior com deficiência física nos membros superiores. Orientador: Luciano Frontino de Medeiros. 136 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação e Novas Tecnologias), Centro Universitário Internacional, Curitiba, 2016.

PELOSI, Miryam Bonadiu.; NUNES, Leila Regina d'Oliveira de Paula. Caracterização dos professores itinerantes, suas ações na área de tecnologia assistiva e seu papel como agente de inclusão escolar. Rev. bras. educ. espec., vol.15, p. 141-154, 2009.

RAMOS, Ingrid de Souza Cayres. O uso da Tecnologia Assistiva na Educação Física escolar, em uma perspectiva lúdica: desafios e possibilidades. Orientador: Cristina Maria D'Ávila. 151 f. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2015.

SANTOS, Laís Carla Simeão da Silva; KAUTSKY, Giselle Lemos Schmidel; CALIXTO, Rafaella Mayanne Antunes. Análise das pesquisas em Educação Especial produzidas nos cursos de mestrado em educação e doutorado em educação da UFES anos de 2013 e 2014. Anais... IV Seminário Nacional de Educação Especial; XV Seminário Capixaba de Educação Inclusiva; I Seminário de Pesquisas de Pós-Graduação Lato Sensu na Perspectiva da Inclusão [recurso eletrônico] / organização e realização, UFES, Centro de Educação. - Dados eletrônicos. - Vitória, ES: GM Gráfica Ed., 2019.

SILVA, Lessandra Marcelly Sousa da. Do improviso às possibilidades de ensino: estudo de caso de uma professora de matemática no contexto da inclusão de estudantes cegos. Orientador: Miriam Godoy Penteado. 194 f. Tese, Doutorado em Educação Matemática, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho, Rio Claro, 2015.

SIMÕES, Guilherme Soares. Me ajuda a entender: website como ferramenta de apoio para professores no ensino de Química a estudantes com Deficiência visual. Orientador: Nilma Soares da Silva. 142 f. Dissertação (Mestrado Profissional Em Educação e Docência), Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2018.

SOARES, Magda Becker; MACIEL, Francisca. Alfabetização. Brasília: MEC/INEP/Comped, 2000.

SOUZA, Christianne Thatiana Ramos de; MENDES, Eniceia Gonçalves. Revisão Sistemática das Pesquisas Colaborativas em Educação Especial na Perspectiva da Inclusão Escolar no Brasil. Rev. bras. educ. espec., Marília , v. 23, n. 2, p. 279-292, June 2017 .

TOLOI, Gabriela Gallucci. Formação de professores de educação física para inclusão educacional usando tecnologia assistiva. Orientador: Eduardo José Manzini. 212 f. Tese (doutorado em Educação), Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Marília, 2015.

UNESCO. Declaração de Incheon: educação 2030, rumo a uma educação de qualidade inclusiva e equitativa e à educação ao longo da vida para todos. In: FÓRUM MUNDIAL DE EDUCAÇÃO, 2015, Incheon. Relatório... Genebra, 2015.

VARELA, Renata Cristina Bertolozzi; OLIVER, Fátima Corrêa. A utilização de Tecnologia Assistiva na vida cotidiana de crianças com deficiência. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 18, n. 6, p. 1773-1784, June 2013 .

VIEIRA, Paulo Sérgio José. Políticas e práticas de educação inclusiva para pessoas com Deficiência visual: o caso da Escola de Música de Brasília. Orientador: Ivar César Oliveira de Vasconcelos. 154 f. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2018.

Downloads

Publicado

2021-06-21

Como Citar

Melo, S. P., & Oliveira, L. C. (2021). Tecnologia Assistiva e Educação Especial Inclusiva: o Estado da Arte nas Pós-Graduações do Brasil. Revista Educação Especial, 34, e32/1–25. https://doi.org/10.5902/1984686X64421

Edição

Seção

Revisão de literatura/Estudo teórico