Crescimento e qualidade de mudas de Pinus taeda L. submetidas à poda química de raízes.

Vera Lucia Rossi, Cassandro Vidal Talamini do Amarante, Frederico Dimas Fleig

Resumo


O presente trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos da poda química de raízes com sulfato de cobre, oxicloreto de cobre e ethefon (ácido 2-cloroetilfosfônico) sobre o crescimento e qualidade de mudas de Pinus taeda L. produzidas em tubetes. Os tratamentos à base de sulfato de cobre ou oxicloreto de cobre foram feitos nos tubetes (antes da sua utilização para preenchimento com substrato e semeadura), por meio da sua imersão em uma mistura de partes iguais de água e tinta látex comum, contendo 0, 12, 24, 36 e 48g de cobre L-1 de solução (tinta + água). O ethefon foi aplicado via aérea em mudas com 10-15cm de altura nas concentrações de 0, 50, 75, 100 e 125 mg (i.a.) L-1. Foi utilizado o delineamento em blocos ao acaso com cinco repetições. Considerando as fontes de cobre testadas, apenas o sulfato de cobre ocasionou redução significativa na massa seca total do sistema radicular, pela inibição do desenvolvimento de raízes secundárias, bem como no diâmetro do colo e na altura e massa secada parte aérea, com o aumento da dose aplicada. O incremento nas doses de sulfato de cobre ocasionou aumento maior na concentração de cobre presente no substrato em relação ao oxicloreto de cobre. O incremento nas doses de oxicloreto de cobre não causou redução na massa seca total do sistema radicular, mas promoveu aumento no número de raízes secundárias, concentradas especialmente nas porções mediana e superior do sistema radicular. O sulfato de cobre reduziu a emissão de raízes laterais, o mesmo fato não ocorrendo com o oxicloreto de cobre. Dessa forma, o incremento nas doses de oxicloreto de cobre parece apresentar efeito positivo em relação ao sulfato de cobre, já que um sistema radicular com maior número de raízes secundárias curtas é desejável visando estabelecimento das mudas a campo. O incremento nas doses de ethefon pulverizado na parte aérea das mudas ocasionou aumento significativo no acúmulo de massa seca de raiz primária e no número de raízes secundárias presentes nas porções mediana (efeito linear) e inferior (efeito quadrático) do sistema radicular. Não houve efeito de dose do ethefon sobre os demais atributos de crescimento analisados.


Palavras-chave


crescimento radicular; morfologia de muda; cobre; ácido 2-cloroetilfosfônico.

Texto completo:

PDF

Referências


ARDUINI, I.; GODBOLD, D.L.; ONNIS, A. influence of copper on root growth morphology of Pinus pinea L. and Pinus pinaster seedlings. Tree Physiology, v. 15, n. 6, p. 411-415, 1995.

ARBOLEDA, M.E.; BAUTISTA, D.; MOGOLLÓN, N. Efecto del hidróxido de cobre sobre el crecimiento de las espécies arbóreas Pachyra insignes y Andira inermis em condiciones de vivero. Bioagro, v. 14, n. 2, p. 65-70, 2002.

ASSOCIAÇÃO MINEIRA DE SILVICULTURA. O complexo florestal industrial (CFI) em Minas Gerais: caracterização, dimensionamento e importância. Belo Horizonte: MAS, 2004. 41p.

DORES, E.F.G de C.; DE-LAMONICA-FREIRE, E.M. Contaminação do ambiente aquático por pesticidas. Estudo de caso: Águas usadas para consumo humano em Primavera do Leste, Mato Grosso - Análise Preliminar. Química Nova, v. 24, n. 1, p. 27-36, 2001.

DUMROESE, R.K.; WENNY, D.L. An assessment of Ponderosa pine seedlings grown in copper-coated polybags. Tree Planters’ Notes, v. 48, n. 3/4, p. 60-64, 1997.

FONSECA E CRUZ, C.A.; NOGUEIRA DE PAIVA, H.; GOMES, K.C.O.; GUERRERO, C.R.A. Efeito de diferentes níveis de saturação por bases no desenvolvimento e qualidade de mudas de ipê-roxo (Tebebuia impetiginosa (Mart.) Standley). Scientia Forestalis, v. 2, n. 66, p. 100-107, 2004.

JOHNSON, F. The use of chemicals to control root growth in container stock: a literature review. Ontario: 1996. 20p. (OMNR, Northeast Science & Technology: TR-026). Disponível em: . Acesso em: 20/07/2003.

LANDIS, T.D. Containers and Growing Media. In: LANDIS, T.D.; TINUS, R.W.; McDONALD, S.E.; BARNETT, J.P. The container tree nursery manual. Washington: DC: U.S. Department of Agriculture, Forest Service, 1990. 6v. V. 2: Cap. 1: Containers: Types and Functions. Disponível em: . Acesso em: 20/07/2003.

LEITE, N. B. O setor florestal no Brasil. In: SEMINÁRIO SOBRE A QUESTÃO FLORESTAL E O DESENVOLVIMENTO. Rio de Janeiro: BNDES, 2003. Disponível em: . Acesso em: 10/04/2004.

LEMOS, R. C.; UBERTI, A.A.A.; VIZZOTTO, V.J. et al. Levantamento de reconhecimento dos solos do estado de Santa Catarina. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria e Superintendência do Desenvolvimento da Região Sul – SUDESUL, Santa Maria: 1973. 32p.

MATTEI, V.L. Deformações radiculares em plantas de Pinus taeda L. produzidas em tubetes quando comparadas com plantas originadas por semeadura direta. Ciência Florestal, v. 4, n. 1, p. 9-21, 1994.

MENDHAM, J.; DENNEY, R.C.; BARNES, J.D.; THOMAS M.J.K. Vogel: Análise química quantitativa. 6.ed. Editora LTC, São Paulo: Editora LCT, 2002. 488p

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Plant physiology. 2.ed. Sunderland: Sinauer Associates, Inc., Publishers, 1998. 793p.

TEDESCO, M.J.; GIANELLO, C.; BISSSANI, C.A.; BOHNEN, H.; VOLKWEISS, S.J. Análise de solo, plantas e outros materiais. 2.ed. Porto Alegre: UFRGS - Departamento de Solos da Faculdade de Agronomia, 1995. 174p.

WENNY, D.L.; LIU, Y.; OSBORNE, H.L. First year field growth of chemically root pruned containerized seedlings. New Forests, v. 2, n. 2, p. 111-118, 1988.




DOI: http://dx.doi.org/10.5902/19805098427

Licença Creative Commons